A CRÓNICA: Leões voltam a sentir dificuldades fora de casa e marcam passo

Um jogo monótono e sem grande história. A melhor maneira de descrever o que foi a primeira parte, no jogo que encerrou a jornada trinta. Um jogo sem grandes aproximações à baliza, um jogo muito preso e amarrado, jogado sempre com um ritmo baixo. O Moreirense FC foi até a equipa que mais perigo criou e a melhor oportunidade surgiu apenas ao minuto 29, através de um remate acrobático de Filipe Soares. Foram muitas as faltas cometidas de parte a parte e as poucas oportunidades que surgiam, foram fruto também dessas bolas paradas. O Sporting CP sentiu sempre muitas dificuldades em sair e em ter bola, estando a realizar uma exibição fraca e demasiado previsível. Intervalo em Moreira de Cónegos com um resultado que traduz na perfeição o que se passou no relvado.

O jogo retomou sem qualquer alteração aos onzes que iniciaram a partida e o Sporting CP aos 51 minutos, pode dizer que viveu um déjà-vu. Na jornada anterior, Gonzalo Plata aproveitou da melhor maneira um erro clamoroso do Gil Vicente FC e hoje foi igual. Rafik Halliche atrapalhou-se e perdeu a bola numa zona proibida, permitindo ao jovem leonino ficar isolado. O central viu-se obrigado a recorrer à falta e acabou por ser admoestado com o cartão vermelho.

Um jogo que se pintou na mesma tela que na primeira parte, sem ideias e sem dar sinais de melhoria. Um jogo apático que pouco ou nada mudou, mesmo com os Leões a contarem com mais um elemento ainda durante largos minutos. As alterações na equipa da casa foram para dar ainda mais estabilidade defensiva, enquanto que Rúben Amorim procurou lançar jogadores com maior dinâmica, mobilidade, para dar outro critério e capazes de oferecer mais profundidade, mas que também não trouxeram efeitos práticos, apenas o jovem Nuno Mendes com alguns fogachos foi procurando desequilibrar na faixa esquerda.

https://twitter.com/Sporting_CP/status/1280260606491320322

Anúncio Publicitário

Final da partida, sem golos e com – mais uma vez – o resultado a espelhar da melhor forma o que se passou no relvado do Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas. O Sporting CP soma agora 56 pontos, mais três que o SC Braga, enquanto que o Moreirense FC soma 39 pontos, ficando tranquilos na oitava posição e confirmando, assim, a manutenção.

A FIGURA
formação
Fonte: Sporting CP

Nuno Mendes – Num jogo praticamente sem ideias e muito longe do espetáculo que se podia prever antes do apito inicial, torna-se difícil de destacar uma figura quando praticamente os jogadores se anularam mutuamente. Mas no meio de tanta mediocridade, saliento a entrada de Nuno Mendes. Parece-me justo atribuir este “prémio” ao jovem leonino, porque foi dos poucos – ou o único – que de facto tentou remar contra a maré. Em apenas 30 minutos fez mais do que muitos elementos que jogaram mais tempo e entrou determinado e com atitude. Acuña entrou novamente no onze titular, mas pouco ou nada fez na partida, enquanto que o jovem leonino, que até vinha a realizar boas exibições, deu uma resposta ao técnico demonstrando que pode contar com ele. Um jovem certamente com um futuro risonho.

O FORA DE JOGO
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Sporting CP: Não se trata de passar de bestial a besta, mas hoje temos de destacar pela negativa a equipa leonina. Apesar de não ter perdido, entrou em campo de forma apática e nunca procurou soluções para dar a volta ao momento menos bom que viveu especialmente na primeira parte. Uma segunda parte de igual forma amorfa, sem dar sinais de querer mudar, sem grande atitude e praticamente a jogar o jogo por obrigação. Nem mesmo com mais um em campo a equipa deu outra imagem. Hoje a equipa sentiu – e muito – as alterações feitas por Rúben Amorim e demonstra que há muitas lacunas no coletivo, mas sobretudo na capacidade individual. Certamente uma lição e uma aprendizagem para o futuro próximo.

ANÁLISE TÁTICA – MOREIRENSE FC

O Moreirense FC mostrou-se com a lição bem estudada, sobretudo no capítulo defensivo. A equipa apresentou-se num 4x3x3 e criou muitas dificuldades ao Sporting CP. Condicionou bem a construção leonina e conseguiu manter a equipa leonina bem longe da sua baliza, sobretudo na primeira parte. Foi até a equipa que mais perigo criou nessa primeira metade. Uma equipa que apresentou boas zonas de pressão e que foi assim controlando também o Sporting CP. Não tendo sido propriamente brilhante, foi uma equipa sobretudo coesa e compacta. Com a expulsão, viu-se obrigada a mudar. Começou a focar-se mais no contra-ataque, quando tinha espaço para a transição ofensiva, jogando no erro do Sporting CP, mas apresentou, desde que passou a jogar com dez elementos, um bloco mais baixo e (ainda) mais compacto, apresentando-se em 5x3x1.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Mateus Pasinato (4)

João Aurélio (4)

Lazar Rosic (4)

 Rafik Halliche (2)

Abdu Conte (4)

Bilel Aouacheria (5)

Alex Soares (4)

Sori Mané (4)

Filipe Soares (5)

Gabrielzinho (3)

Fábio Abreu (4)

SUBS UTILIZADOS

Steven Vitoria (3)

Djavan (3)

Luís Machado (-)

Nenê (-)

Nuno Santos (-)

ANÁLISE TÁTICA – SPORTING CP

O Sporting CP apresentou novamente o seu sistema tipo de 3x4x3, mas apresentou muitas mudanças no onze inicial. E essas mudanças, quer tenham sido por decisão técnica ou até algo forçadas por fadiga muscular, tornaram o Sporting CP muito previsível e a realizar uma exibição completamente sem sal. Uma equipa previsível, sem dinâmicas, sem ritmo e muito estruturada. Os centrais não assumiam na construção como tem sido apanágio, não atacavam o espaço, obrigando os médios a receber de costas para o jogo e os avançados Plata e Jovane em zonas muito recuadas. O Sporting CP raramente criou situações de perigo, o avançado Sporar apenas aos 70 minutos conseguiu realizar o primeiro remate à baliza. Nem mesmo com mais um elemento em campo a equipa conseguiu assumir o jogo, revelando sempre enormes dificuldades, sem critério e a demonstrar muito desespero.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Luís Maximiano (4)

Luís Neto (3)

Seba Coates (4)

Cristian Borja (3)

Stefan Ristovski (2)

Matheus Nunes (3)

Rodrigo Battaglia (2)

Marcos Acuña (3)

Gonzalo Plata (4)

Jovane Cabral (4)

Andraz Sporar (3)

SUBS UTILIZADOS

Nuno Mendes (4)

Wendel (3)

Joelson Fernandes (3)

Foto de Capa: Moreirense FC

Artigo revisto por Joana Mendes

Comentários