A CRÓNICA: FC PAÇOS DE FERREIRA CARIMBA A ÚLTIMA VAGA NA TAÇA DA LIGA FRENTE AO MOREIRENSE FC

Foi numa noite fria em Moreira de Cónegos que se decidiu o clube que ficava com a última vaga na Taça da Liga. O Moreirense FC e o FC Paços de Ferreira disputavam finalmente forças, após o jogo ter sido adiado no passado dia sete de novembro devido a um surto de covid-19 na equipa da casa.

Os pacenses contam com uma vantagem logo no início da partida, apenas necessitando de um mero empate para assegurar a sua passagem. Do outro, o Moreirense necessita de vencer por dois golos para conseguir a qualificação.

Um jogo nervoso desde o segundo em que Hugo Malheiro assinalou o início da partida. Os pacenses vêm a sua vantagem aumentar (ainda mais) quando Oleg corre por toda a grande área, desviando-se dos perigos da equipa adversária que tenta impedir o jogador, e procura pelo colega de equipa, Douglas Tanque, no segundo poste que coloca a bola na baliza de Pasinato. Estava feito o primeiro golo em Moreira de Cónegos.

Anúncio Publicitário

A única ameaça real da equipa da casa surge aos 32’ com um remate isolado por parte do médio Franco para uma defesa fácil de Jordi.

Na segunda parte do jogo, o Moreirense amplia as suas oportunidades de golo, mas ainda assim, o maior perigo continua a corresponder à equipa de Paços de Ferreira. Um jogo intenso por parte da equipa de César Peixoto, que tenta a todo o custo chegar à baliza de Jordi, mas sem grande sucesso.

Os últimos minutos são de total desespero de qualquer forma de chegar à igualdade por parte da equipa da casa e de melhorar a qualidade de jogo, que melhorou de forma significativa. Um resultado injusto perante ao que se assistiu em Moreira de Cónegos, no entanto, não restam dúvidas: O FC Paços de Ferreira está na Taça da Liga e ocupa assim a última vaga na competição.

A equipa de Pepa consegue ainda arrancar um quinto lugar na tabela classificativa com este resultado, ultrapassando o Vitória SC.

 

A FIGURA

Oleg – Importantíssimo a nível tático na equipa de Pepa. Em algum momento, condenou a equipa e foi o elemento com mais destaque no golo. Não pecou por erros individuais e auxiliou sempre a equipa, tanto em construção como na defesa.

 

O FORA-DE-JOGO

Meio-campo da equipa do Moreirense FC  – Mal organizados, condenados por erros individuais e cruciais no resultado do jogo que beneficiou a equipa visitante. O meio campo do Moreirense FC beneficiou com as substituições efetuadas por César Peixoto, mas pecou (e de forma impensável) na primeira parte e em alguns momentos da segunda.

 

ANÁLISE TÁTICA – MOREIRENSE FC

César Peixoto opta por escolher um 4-4-2 à semelhança do último jogo frente ao Sporting CP. Steven Vitória fica fora das opções do técnico português, dando lugar a Ferraresi. A nível tático, Franco recua para o meio campo da equipa de Moreira de Cónegos, deixando Walterson e André Luís como os homens mais avançados.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Pasinato (6)

D’Alberto (6)

Rosic (4)

Ferraresi (5)

Pacheco (5)

Pires (5)

André Luís (5)

Afonso Figueiredo (6)

Alex Soares (4)

Walterson (5)

Franco (6)

SUBS UTILIZADOS

Filipe S (5)

Derik (5)

Ibrahima (6)

Galego (5)

Tavares (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – FC PAÇOS DE FERREIRA

Por um outro lado, Pepa mantém o mesmo onze inicial do último jogo frente ao FC Famalicão, onde venceu por uma diferença de duas bolas a zero. Apenas altera os extremos, deixando Bruno Costa no meio campo, enquanto que Eustáquio assegura o lado direito da equipa pacense. O 4-2-2 continua a ser a opção eleita pelo técnico português.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Jordi (9)

Marco Baixinho (6)

Oleg 9)

Helder (6)

Bruno Costa (5)

Luther (5)

Luiz Carlos (4)

Fernando (6)

Marcelo (5)

Eustáquio (6)

Tanque (8)

SUBS UTILIZADOS

Diaby (7)

Ze Uilton (5)

João Amaral (5)

João Pedro (-)

 

 

BNR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Moreirense FC

BnR: Boa noite. A equipa perdeu e consequentemente fica de fora da Taça da Liga. Acha que isso irá influenciar de forma negativa a moral da equipa nos próximos jogos?

César Peixoto: Não, sinceramente não. A equipa está frustrada e era um objetivo. Seria bonito, era a cereja em cima do bolo. Agora é levantar a equipa e mostrar que ainda há mais oportunidades, mais jogos, mais treinos e um campeonato ainda para ser jogador. É necessária uma vitória, para levantar a moral à equipa. Porque é mais fácil trabalhar sobre vitórias do que sobre derrotas, mas havemos de lá chegar. A taça da liga fica pelo caminho mas não é algo de todo preocupante.

FC Paços de Ferreira

BnR: Boa noite. Neste momento encontra-se no topo superior da tabela. Quais são as ambições do Paços? Existe aspiração às competições europeias?

Pepa: Boa noite. Quero começar por recordar, como comecei na flash, a história de Vítor Oliveira no clube. Escreveu duas páginas muito bonitas na história do clube e é isso que também estávamos hoje a tentar fazer. Fez a primeira subida da equipa da história e a última de todas agora em 2018/19. Quero sempre recordar o grande Homem que foi dentro e fora de campo, e o bem e a história que representa para este clube que é o Paços de Ferreira. As ambições não entram aqui, não existem, só queremos ir para cima e ver onde o caminho nos leva. Somos realistas e não existe aspiração (relativamente às competições europeias), isso não entra no balneário e trabalhamos sempre para ir até ao topo, o resto não importa, não entra aqui. Entendo a pergunta, mas não.

 

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome