Anterior1 de 4Próximo

O Moreirense FC somou a terceira vitória consecutiva para o campeonato esta sexta-feira,  um feito inédito na história do clube, batendo o Portimonense SC por 2-0, com golos de Nenê e Pedro Nuno.

As duas equipas, apesar de para já confortáveis, entraram em campo conscientes que este era um daqueles jogos que conta mais. Afinal de contas, são duas equipas que lutam pelo mesmo objetivo – a manutenção –  e esta época são despromovidas três equipas.

A equipa algarvia chegava a Moreira de Cónegos depois de um empate em casa frente ao Belenenses SAD. Já a equipa da casa vinha de duas vitórias seguidas. Depois da derrota por 3-0 em Setúbal, a equipa dos cónegos parecia estar finalmente a encontrar o seu rumo e a sua identidade. O jogo desta sexta-feira confirmou isso mesmo.

Ivo Vieira apresentou o mesmo onze que foi ao Estádio da Luz bater o SL Benfica por 1-3. Já António Folha acabou por fazer apenas uma alteração no onze, comparativamente à última partida: trocou Ewerton por Lucas Fernandes.

As duas equipas entraram bem no jogo e tudo parecia alinhado para que este fosse um grande jogo de futebol. Ora o Moreirense FC, com um futebol apoiado e paciente, sempre à espera da abertura de espaços, ora o Portimonense SC, procurando sempre a criatividade de Shoya Nakajima, iam praticando um futebol apelativo e sem medos. Apesar do bom futebol, a primeira meia hora de jogo foi tranquila para Jhonatan e Leo. Os guarda-redes das duas equipas não se viram obrigados a fazer grandes esforços perante a dificuldade das duas equipas em produzir lances de perigo.

Foi ao minuto 34 que surgiu o primeiro remate enquadrado com a baliza, do Moreirense FC, e bastou para os Cónegos inaugurarem o marcador. Nenê saltou mais alto que todos e, com um cabeceamento “como mandam as regras”, fez o 1-0 para a equipa da casa.

Imediatamente após o golo dos Cónegos, os algarvios cresceram no jogo e passaram a ter a totalidade da iniciativa, contra um Moreirense FC tímido e encolhido. Ao minuto 39, Jackson Martínez podia ter igualado o resultado com um chapéu muito bem executado a Jhonatan, mas o avançado colombiano foi apanhado em fora de jogo.

O fôlego algarvio durou pouco e o jogo aproximou-se do intervalo com muitas paragens, devido à elevada quantidade de faltas na sequência de lutas pela posse de bola na zona de meio-campo.

As lutas pela posse de bola a meio-campo foram uma constante nos minutos finais da primeira parte
Fonte: Luís Rocha/Bola na Rede

Para a segunda parte, Ivo Vieira tirou Pacheco de campo e colocou Ângelo Neto. A alteração teve efeitos imediatos: a equipa entrou a todo gás. Logo a partir do pontapé de saída para o segundo tempo, Arsénio protagonizou uma grande arrancada do lado direito do ataque da equipa da casa, deixou a bola para Chiquinho. que disparou contra um adversário. Valeu Lucas Possignolo a evitar o golo de Pedro Nuno na recarga. O mesmo Lucas viria a ser essencial a impedir, também, males maiores depois de uma grande arrancada de Chiquinho.

Nesta avalanche de oportunidades, as redes de Leo chegaram mesmo a tremer, mas o golo de Nenê foi invalidado por fora de jogo. O Moreirense acabaria por marcar a contar, mas só ao minuto 56: Arsénio aproveitou uma falta de agressividade de Leo na abordagem à bola e serviu Pedro Nuno que, sem dificuldades, fez o 2-0 para a equipa da casa.

Folha viu-se obrigado a mexer para mudar o paradigma do jogo: retirou Manafá e Pedro Sá para colocar Ewerton e João Carlos. A alteração tornou a equipa mais ofensiva, mas criou problemas na construção de jogo e o treinador do Portimonense SC acabou por voltar atrás e colocar Hackman para repor a linha de 4 homens na defesa.

O Moreirense FC procurou, naturalmente, pôr gelo no jogo e cabia ao Portimonense SC assumir a partida. Com alguma dificuldade, ia avançando no terreno, sempre sem grande perigo. Nota para o golo anulado de Jackson Martínez, mais uma vez por fora de jogo.

A vitória nunca pareceu que fosse fugir da equipa da casa, tais eram as dificuldades sentidas pelos forasteiros. Aliás, o Moreirense até ficou perto de ampliar a vantagem, não fosse a atenção de Leo na resposta a um remate muito forte de Ângelo Neto.

Nota também para o minuto 80, em que o Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas cantou os parabéns ao Moreirense FC, que celebrou 80 anos de existência no dia 1 de Novembro.

Com esta vitória, o Moreirense FC continua a sua campanha impressionante e soma já três vitórias consecutivas. Os Cónegos sobem assim ao sexto lugar, com 16 pontos. Já o Portimonense pode vir a cair para o 15º lugar.

Onzes iniciais

Moreirense FC: Jhonatan; Rúben Lima, Ivanildo (Iago 90’), Abarhoun, D’Alberto; Pacheco (Ângelo Neto 45’), Luom, Pedro Nuno (Heriberto, 71’); Arsénio , Chiquinho e Nenê

Portimonense SC: Leo; Vitor Tormena, Lucas Possignolo, Rúben, Manafá (João Carlos 58’);  Fernandes, Pedro Sá (Ewerton 58’), Paulinho, Bruno Tabata (Hackman 68’); Shoya Nakajima e Jackson Martinez

Anterior1 de 4Próximo

Comentários