Anterior1 de 4Próximo

O Moreirense FC voltou às vitórias para o campeonato esta segunda-feira ao bater o CD Nacional por 2-1 e chegou aos tão ambicionados 30 pontos, sempre apontados como objetivo pelas equipas que lutam pela manutenção. Os golos da equipa da casa foram de Chiquinho. Do lado dos madeirenses foi Okacha que marcou o golo.

No arranque da partida, os protagonistas pareciam afetados pela noite fria que se sentia em Moreira de Cónegos: os lances bem desenhados eram residuais e invariavelmente acabavam com más decisões individuais.

Foi ao oitavo minuto que surgiu a primeira grande oportunidade de perigo para o Moreirense FC. Arsénio ganhou bem espaço do lado direito do ataque dos Cónegos e cruzou para uma tentativa falhada de remate acrobático de Nenê. A bola sobrou para Heriberto, que rematou forte contra um defensor contrário.

Para a equipa madeirense, de anotar apenas um lance em que Iago quase entregou a bola a Okacha como a mais perigosa aproximação à baliza contrária nos primeiros 15 minutos. Foi no contra-ataque desse mesmo lance que o marcador se inaugurou. Chiquinho escapou entre os defesas e, desequilibrado, conseguiu colocar a bola longe do alcance de Lucas França. 1-0 para a equipa da casa.

Depois do golo, os madeirenses viram-se forçados a agarrar o jogo e rapidamente a qualidade da sua construção de jogo aumentou. Com mais bola nos pés e uma pressão mais recuada do Moreirense FC, o CD Nacional aproveitou para subir linhas e deixar a equipa da casa desconfortável. Gorré e Okacha pressionavam a saída de bola e forçavam os Cónegos a bater comprido, impossibilitando a equipa de construir jogadas de qualidade. A materialização do crescimento madeirense surge ao minuto 18, quando Okacha força Jhonatan a uma grande defesa.

O Moreirense FC, agora mais focado em ações de contra-ataque, não ia aproveitando os muitos espaços deixados pelo CD Nacional. Chiquinho, Heriberto, João Aurélio e Nenê tiveram nos pés várias hipóteses de dilatar a vantagem, mas não conseguiram fazer as redes de Lucas França tremer.

Com a passagem do tempo, a capacidade do CD Nacional manter a bola e construir jogo diminuiu, muito por culpa da mudança do posicionamento defensivo do Moreirense FC, que agora havia voltado a fazer uma pressão alta, com os defesas posicionados quase no meio-campo num primeiro momento de construção de jogo dos adversários.

O jogo assim continuou até ao intervalo. A equipa da casa foi para as cabines com a vantagem mínima.

Ambos os treinadores mexeram na equipa à entrada para a segunda parte: Costinha fez entrar Palocevic por Jota, enquanto Ivo Vieira fez entrar Texeira por Nenê.

O CD Nacional entrou a todo o gás na segunda parte e os primeiros dez minutos pertenceram inteiramente aos forasteiros, que deixaram os Cónegos desconfortáveis e recolhidos no seu meio-campo defensivo. Apesar do domínio madeirense, foi o Moreirense FC que aumentou a vantagem, ao minuto 55. Um bom trabalho de Heriberto, no lado esquerdo do ataque, que serviu Texeira. O avançado da equipa da casa deixou a bola para Chiquinho, que rematou para o fundo das redes de Lucas França. A bola ainda foi desviada por um jogador contrário, mas só parou dentro da baliza adversária. 2-0 para o Moreirense FC.

Fonte: Moreirense FC

Depois do golo, o CD Nacional pareceu perder força anímica e o Moreirense FC passou a gerir o jogo com mais facilidade. O 3-0 esteve à espreita, mas nem Texeira, nem Luom, nem Chiquinho conseguiram dar continuidade a bons trabalhos ofensivos da equipa da casa.

O Moreirense FC parecia ter o jogo completamente controlado e precisava apenas de esperar pelo apito final. Ainda deu para a equipa da casa apanhar uns sustos: primeiro, Jhonatan chegou atrasado a uma bola e acabou por rematar contra a mão de Okacha, que fez o 2-1. O golo foi anulado por indicação do vídeoárbitro.

Ao minuto 88, o CD Nacional conseguiu novamente fazer as redes de Jhonatan tremer e desta o golo valeu mesmo: um chapéu muito bem executado por Okacha deu o 2-1 para o CD Nacional.

Até ao final da partida, o CD Nacional procurou o empate, mas o vermelho de Camacho, por agressão a Jhonatan, num lance em que a bola já não estava em jogo, acabou por destruir as esperanças dos forasteiros.

O apito final acabou mesmo por chegar e confirmou a décima vitória na Primeira Liga da equipa da casa. O Moreirense FC passou a somar 31 pontos e subiu à condição à quinta posição da Primeira Liga. Já o CD Nacional, mantém os 19 pontos e uma posição a salvo da zona de despromoção.

ONZES E SUBSTITUIÇÕES

Moreirense FC: Jhonatan; Rúben Lima, Iago, Halliche, João Aurélio; Pacheco (Ângelo Neto, 88’), Luom, Arsénio (Pedro Nuno, 80’), Chiquinho; Heriberto e Nenê (Texeira, 45’).

Onze inicial CD Nacional: Lucas França; Filipe F., Rosic, Júlio, Kalindi; Marakis (Arabidze, 80’), Jota (Palocevic, 45’) e Vítor G.; Witi, Gorré (Camacho, 61’) e Okacha.

Anterior1 de 4Próximo

Comentários