Cabeçalho Futebol NacionalNum final de tarde em Portimão, o Portimonense encontrou-se com o Feirense a contar para a 6ª jornada do campeonato português. Ambos vinham de derrotas contra os grandes, ainda que tangentes. O Portimonense vinha de uma derrota injusta com o Benfica no Estádio da Luz por 2-1, perante uma excelente exibição e muita polémica à mistura com o vídeo-árbitro, os algarvios queriam vingar em casa perante os seus adeptos e conquistar mais 3 pontos. O Feirense vinha de uma derrota caseira frente ao Sporting por 3-2, que também deu uma réplica bastante boa apesar da derrota, e estava disposto a derrotar os algarvios em sua casa.

Os instantes iniciais do encontro foi marcado pela forte entrada do Portimonense, a controlar o jogo com maior posse de bola e a fazer pressão alta, dificultando o jogo dos visitantes. Logo nos primeiros 10 minutos, os algarvios dispuseram de inúmeros livres e cantos que criaram aperto à defesa do Feirense, com Shoya Nakajima a ser porta-voz do ataque algarvio e simultaneamente o elemento destabilizador.

O que era previsível acabou mesmo por acontecer, ao minuto 12’ o Portimonense acabava por justificar a forte entrada no jogo, através de uma jogada de insistência colectiva com a finalização de Nakajima, a criar a primeira festa no Portimão Estádio. Mas nem por isso os algarvios acalmavam, os da casa continuaram a pressionar e a criar oportunidades de golo, e após uma jogada de bastante garra e sorte à mistura de Fabrício, Nakajima desmarcou-se bem e só teve de encostar para o 2-0 ao minuto 19.

Uma primeira meia hora de jogo bastante forte por parte do Portimonense, onde praticamente não se viu Feirense, salvo raros contra-ataques ou tentativas de tal, até que ao minuto 28’ os visitantes num contra-ataque e sem nada fazer para merecer, reduziram para 2-1 através de Etebo. O golo do Feirense veio meter um pouco de gelo no ataque algarvio. Ainda assim ao minuto 31’ o Portimonense colocou a bola na baliza mas havia soado o apito de alegado fora-de-jogo.

Até ao intervalo destaque para as várias oportunidades de golo de parte a parte, criando um jogo partido, ainda que nada fizesse alterar o marcador de 2-1. Uma primeira parte muito bem disputada por duas equipas que quiseram impor o seu tipo de jogo e que desejavam sair de Portimão com uma vitória. Sinal mais para a equipa da casa, entrou muito forte no jogo e marcou 2 golos nos primeiros 19 minutos de jogo, criando a sensação de possível goleada, tal desejo foi travado pelos visitantes através do golo de honra.

Anúncio Publicitário

No reatamento da segunda-parte, a partida recomeçou com a mesma intensidade verificada na primeira parte, com ocasiões de golo e perigo para ambas as partes, com maior contacto físico, talvez com maior destaque para o Portimonense. O jogo mantinha-se em aberto bem como o resultado, ainda que para vantagem para os da casa.

Fonte: Bola na Rede
Jogo muito bem disputado, sobretudo na 2ª parte
Fonte: Bola na Rede

Continuamente o jogo encontrava-se partido e qualquer uma das equipas podia marcar. Ao minuto 62’ os visitantes tiveram talvez a maior oportunidade de golo até à altura, numa situação em que o ponta-de-lança João Silva só tinha de empurrar a bola para dentro, podendo igualar a partida.

A 15 minutos do final do encontro, os algarvios jogavam com a confiança em alta escala, estavam instalados no meio campo adversário e sufocavam os visitantes, que nem de contra-ataque conseguiam criar perigo, só através de bolas paradas. O jogo estava intenso e o marcador só ficaria fechado quando o árbitro apitasse. Fabrício do Portimonense teimava em desperdiçar ocasiões claras de golo e à boca da baliza.

A caminhar para o final do jogo, o mesmo encontrava-se em intensidade máxima, o contacto físico era cada vez maior, qualquer uma das equipas podia marcar, com o árbitro a ter muito trabalho.

O Portimonense venceu e convenceu, perante o seu público os algarvios venceram uma partida sofrida mas muito bem disputada, dominaram grande parte do encontro perante um Feirense que se debateu de igual para igual, lutando até ao fim pelo empate.