Anterior1 de 4Próximo

Depois da eliminação europeia, resta ao Braga o campeonato, mas também aqui já não há muitos objetivos para cumprir, os três primeiros parecem estar inacessíveis e a vantagem para o quinto é ainda maior. No entanto, não houve poupanças nem grandes mudanças nas escolhas de Abel Ferreira, que quer o melhor registo possível, para a receção ao Tondela, que procura consolidar a sua posição a meio da tabela e assegurar a permanência na I Liga.

O jogo começou lento e os primeiros remates pertenceram aos da casa, mas sem ameaçar Cláudio Ramos. Aliás, antes dos guardiões poderem brilhar pelas defesas, Matheus deliciou os amantes do futebol com um belo pormenor. Muito criticado no passado, tem-se tornado intocável entre os postes arsenalistas e, aos 14 minutos, pressionado, fez um passe que parecia destinado aos pés de um dos avançados tondelenses, o arco que a bola descreveu foi perfeito para passar ao largo do adversário e ir ter com um companheiro.

Logo a seguir, Hassan estava em fora-de-jogo que viria a ser assinalado, mas nem assim conseguiu aproveitar uma defesa incompleta do guardião visitante. Na resposta, Matheus a ser obrigado a fazer a primeira grande defesa da noite após cabeceamento na sequência de um canto. Pouco depois, uma decisão estranha do árbitro, com um amarelo a Goiano numa jogada em que terá dado a lei da vantagem, mas em que não se percebeu bem qual foi a falta cometida pelo brasileiro.

Bem perceptível foi o porquê do amarelo a Bruno Viana quando, aos 24 minutos travou em falta uma perigosa iniciativa ofensiva do Tondela. Seriam precisos mais dez minutos para novo lance de perigo, desta vez Delgado fintou bem dois oponentes e colocou bem a bola rasteira na área, mas não houve quem desse bom seguimento à jogada.

Sem estar por cima do desafio, o Tondela era quem melhor se aproximava da baliza adversária e, até ao intervalo, duas situações se destacaram. Primeiro um livre em que Matheus saiu imponente e com os punhos evitou males maiores e depois uma perda de bola infantil de Raul Silva, que, no entanto, rapidamente recuperou posição e permitiu a Jefferson resolver a situação.

Um Braga que jogava de forma algo atabalhoada e com azar nos ressaltos lá conseguiu colocar verdadeiramente à prova a defesa visitante no período de compensação, quando Cláudio Ramos defendeu para a frente um remate de Esgaio à entrada da área e Hassan obrigou um defesa do Tondela a esticar-se bem para conseguir evitar o golo.

Os Guerreiros do Minho vieram do balneário com outra intensidade e, finalmente, tomaram conta do jogo. Os primeiros dez minutos do segundo tempo deram o mote para o que havia de ser o restante do jogo com o Braga a colocar uma bola no ferro num momento em que Claudio Ramos quase era traído pelo golpe de vista, e várias jogadas com a bola a passar perto da baliza, mas sucessivos falhanços do Braga.

Por outro lado, continuava algo desatento nos setores mais recuados e teve de ser novamente Matheus a intervir bem após mais uma perda de bola inexplicável na fase de construção de jogo. O brasileiro ainda voltaria a mostrar a sua confiança mais tarde quando saiu de cabeça fora da área para evitar que uma bola bombeada para a frente chegasse ao adversário.

: Ricardo Horta até acertou mal na bola, mas resolveu o jogo
Fonte: SC Braga

Entretanto os treinadores começavam a mexer na equipa e Pepa a retirar Delgado, o que viria a custar à equipa, já que perdeu criatividade e teve de se fechar muito mais à defesa depois dessa alteração. Já Abel insistia no ataque e lançava Paulinho e Xadas para tentar forçar os três pontos.

Depois de mais algumas jogadas de ataque a rondar Cláudio Ramos, mas sem grande pontaria, os arsenalistas finalmente chegaram ao golo aos 82 minutos. Mais uma jogada confusa dentro da área tondelense e após remate de Wilson contra um adversário a bola sobra para Ricardo Horta, que até falha o chuto e a bola caprichosamente faz um arco que só permite a Cláudio Ramos agarrá-la já para lá da linha.

Até final ainda daria tempo para a estreia de Harramiz pelo Tondela e para duas excelentes defesas do guardião tondelense a evitar que a derrota assumisse outros números. Com este resultado, o Braga aumenta para 15 pontos o fosso para o Rio Ave e continua na expectativa de uma escorregadela dos três grandes para tentar reentrar na luta pelo pódio.

Anterior1 de 4Próximo

Comentários