Anterior1 de 4Próximo

Naquele que foi o primeiro clássico da edição 19/20 da Primeira Liga, o FC Porto foi mais forte e venceu o SL Benfica por 2-0. À terceira jornada, “águias” e “dragões” tinham encontro marcado na Luz, num jogo que, apesar de ser na reta inicial do campeonato, já podia ter contornos decisivos: se o SL Benfica vencesse, passava a ter seis pontos de vantagem para o seu eterno rival; no caso de vitória azul e branca, o FC Porto igualava o seu adversário na luta pelo título em número de pontos na classificação.

Perante uma excelente atmosfera criada pelos adeptos presentes nas bancadas do Estádio da Luz, o árbitro Jorge Sousa deu início ao jogo à hora marcada, e era tempo de deixar os artistas jogarem à bola. Nos primeiros minutos, viu-se um Porto mais pressionante e a querer ter bola, ao contrário do Benfica, que estava a jogar mais na expectativa.

O primeiro lance de perigo surgiu para a equipa visitante: ao minuto 17, Luis Díaz surgiu em boa posição para rematar, mas valeu Rúben Dias a cortar para impedir o remate do extremo colombiano.

Os portistas voltariam a tentar alguns minutos depois, desta vez por Zé Luís, bem isolado por Marega, contudo Vlachodimos defendeu bem. Era o aviso para o que iria acontecer logo a seguir: canto do lado direito, alguma confusão na área benfiquista e a bola foi parar ao avançado cabo-verdiano que bateu o guardião grego ao minuto 22, confirmando assim o excelente arranque de época.

O momento do primeiro golo “portista” neste clássico, no Estádio da Luz
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

O Benfica ia dando sinais de alguma intranquilidade: muitos passes falhados, lentidão na construção de jogadas de ataque e inexistência de ligação entre os médios e avançados, algo que o Porto estava a aproveitar da melhor forma para manter-se na frente do marcador. Após o golo, o jogo foi jogado sobretudo a meio-campo, daí que não tenham surgido grandes oportunidades para os “encarnados” empatarem ou “azuis e brancos” dilatarem a sua vantagem.

A partida foi-se encaminhando para o intervalo, com os comandados de Bruno Lage a necessitarem do descanso para redefinir a sua estratégia para o segundo tempo. Já os homens de Sérgio Conceição só precisavam de manter a postura evidenciada durante a primeira parte para conseguirem levar para a Cidade Invicta uns importantes três pontos.

A segunda parte começou tal e qual como a primeira. O FC Porto muito mais agressivo e à procura do golo e um SL Benfica a procurar a sua identidade nesta partida. E depressa os comandados de Sérgio Conceição voltaram a pressionar os “encarnados”.

Ao minuto 48, mais uma grande falha defensiva do Benfica e mais uma grande oportunidade para a equipa portista. Luis Díaz não foi de modas e fez um remate de primeira. Mas desta vez estava atento Vlachodimos, e defendeu. Grande voo do guarda-redes grego que deixou a bola junto de si e defendeu à segunda oportunidade o lance dos “azuis e brancos”.

O SL Benfica bem tentava aparecer no jogo, mas o FC Porto estava muito bem defensivamente. Os “portistas” vieram à capital com o objetivo de vencer este jogo e estavam a fazer aquilo que era necessário. Os jogadores de Bruno Lage continuavam desconcentrados e nem as substituições surtiam efeito.

Aos 78 minutos, uma falha incrível do avançado maliano do FC Porto. Apenas com Vlachodimos pela frente acabou por atirar para fora numa falha escandalosa. Para desespero dos adeptos “portistas” e para satisfação dos “benfiquistas” a bola acabou por ir para fora. Estava tudo na mesma no jogo e ainda se esperava no Estádio da Luz por um golo que desse o empate.

Se o ambiente na Luz já não estava nada bom então foi ao minuto 87 que ficou ainda pior. Marega apareceu na cara de Vlachodimos e aí não perdoou como da última vez. O avançado maliano apareceu bem nas costas da defesa e apenas teve de colocar a bola num dos postes mais distantes e fazer o golo. A bola ainda bateu no poste, mas o avançado do Porto definiu bem o lance. Estava feito o 2-0 a favor dos “azuis e brancos” na Luz.

Ainda houve tempo para um golo anulado ao SL Benfica por fora de jogo no início da jogada. Gritou-se golo do Estádio da Luz, mas o pesadelo estava mesmo para ficar nos lados de Lisboa e com um resultado que apesar de não ter sido pesado foi difícil de digerir. Nada saiu bem à equipa de Bruno Lage que vai precisar de esclarecer esta exibição aos adeptos e a si própria.
Seferovic ainda marcou, mas o golo não contou por fora de jogo marcado no início da jogada
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Até ao final do jogo não houve alterações no resultado ou houve oportunidades de perigo para ambos os lados. Ouviram-se “olés” nos minutos finais do jogo por parte dos adeptos “portistas” que se mostravam satisfeitos com a exibição da equipa e com o resultado.

Os “azuis e brancos”, com muita justiça, vieram à capital buscar os três pontos e a igualdade pontual no campeonato. Houve ritmos africanos por parte do FC Porto no Estádio da Luz visto que o cabo-verdiano Zé Luis e o maliano Marega marcaram os dois golos do encontro. Já os “encarnados” mantém os mesmos seis pontos com que entraram nesta jornada.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

SL Benfica: Odysseas Vlachodimos (GR), Nuno Tavares, Ferro, Rúben Dias, Álex Grimaldo, Andreas Samaris (Taarabt, 45’), Florentino Luís (Vinícius, 79’), Pizzi, Rafa Silva, Raúl de Tomás (Chiquinho, 71’) e Haris Seferovic.

FC Porto: Marchesín (GR), Alex Telles, Pepe, Iván Marcano, Jesús Corona, Danilo Pereira, Matheus Uribe, Romário Baró (Otávio, 72’), Luis Díaz (Manafá, 81’), Moussa Marega e Zé Luís (Soares, 72’).

Anterior1 de 4Próximo

Comentários