A CRÓNICA: GOLO DE ANDRÉ ALMEIDA ESCAMOTEIA EFICÁCIA POBRE

Bem, digamos que o CD Aves começou por dar uma grande lição aos jogadores do SL Benfica. Os encarnados tinham mais bola, é verdade, mas o que é certo é que as decisões de último terço estavam a falhar à equipa de Bruno Lage. Por outro lado, o Aves vinha com a lição bem estudada e aproveitou, e muito, os erros defensivos das águias. Aos 20 minutos de jogo o marcador altera-se na Luz: Mohammadi marca para o CD Aves e coloca a sua equipa em vantagem. Depois de conseguir fintar Ferro, o número 23 do Aves, com muita frieza, chuta com o pé esquerdo para dentro da baliza de Odysseas Vlachodimos.

Apesar de o Benfica ter continuado à procura do golo, o Aves manteve as suas linhas bem compactas e com uma ajudinha, claro está, da grande exibição demonstrada por Beunardeau. O Benfica estava bem no jogo e saiu um vermelho do bolso do Carlos Xistra (não, não foi para a eficácia dos encarnados… Antes fosse!) para André Almeida, mas o VAR António Nobre ajudou na correção do erro de abordagem do árbitro.

A falta foi de Falcão sob o Vinicius na área e só assim é que o Benfica conseguiu abanar as redes: de penalti (1-1). Apesar da grande avalanche encarnada, as coisas estavam complicadas para agitar, novamente, as redes da baliza de Bernardeau. Foi preciso sofrer e ver nascer esta vitória encarnada: aos 88 minutos. Foi preciso o jeitinho de Vinicius na receção e no passe para o pé de André Almeida para definir o resultado final em 2-1 (algo invulgar). O SL Benfica mantém a liderança agora com sete pontos de vantagem (à condição) do FC Porto e o CD Aves, ainda que de forma injusta, sai com a 14.º derrota no campeonato.

A FIGURA

Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Beunardeau – O guarda-redes, acompanhado de uma excelente exibição defensiva, foi a chave do bom jogo do Aves no Estádio da Luz. É verdade que a tática que Nuno Manta Santos montou para esta noite teve o seu mérito, mas o guardião foi exímio nas defesas! E note-se que algumas delas foram de se tirar o chapéu. Mas, ainda assim, se o cahpéu acontecesse no relvado, apostamos que este também defendia. Pode parecer incoerente, visto que sofreu dois golos, mas Bernardeau foi o que mais brilhou em campo.

O FORA DE JOGO

Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

Seferovic – Exige-se francamente mais a um avançado que serve um clube como o SL Benfica. Não vive um momento positivo, todos sabem disso, mas a verdade é que começa a faltar desculpas para tão pouca eficiência na frente de ataque. Falhou oportunidades que não podia, numa altura em que era fulcral para a sua equipa marcar um golo.

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

O habitual 4-4-2, mas com algumas alterações. André Almeida, Seferovic, Jota e o estreante Julian Weigl tiveram entradas para o onze inicial, porém, todos com muitos problemas para encaixarem no sistema tático encarnado. Seferovic e Jota continuam com problemas em render no ataque, André Almeida com muitas dificuldades devido a problemas físicos (mas o melhor dos quatro) e Weigl sem saber onde se posicionar. A entrada de Vinicius nada veio alterar no jogo porque as dificuldades de eficácia continuaram… porém, agitou o jogou o brasileiro e foi importante para dar vantagem aos encarnados.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Odysseas Vlachodimos (5)

Grimaldo (6)

Rúben Dias (6)

Ferro (5)

André Almeida (5)

Julian Weigl (6)

Gabriel (7)

Pizzi (6)

Jota (4)

Chiquinho (7)

Seferovic (3)

SUBS UTILIZADOS

Vinicius (7)

Cervi (6)

Samaris (-)

ANÁLISE TÁTICA – CD AVES

O CD Aves começou com um 4-3-2-1 em momentos ofensivos e conseguiu trocar as voltas aos jogadores encarnados com a sua posição defensiva de 4-4-1-1. O Aves esteve, durante a primeira parte, no embalo destes dois esquemas táticos que lhe permitiram jogar com as armas que tinham. Isto é, um jogo mais defensivo que apostava essencialmente em aproveitar erros encarnados. Um jogo “matreiro” que por sinal se estava a mostrar bastante eficaz, uma vez que o Benfica esteve a perder desde os 20 minutos. É difícil manter uma coesão defensiva durante tanto tempo e o Aves conseguiu! Um aspeto importante para salientar.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Beunardeau (9)

Rúben Oliveira (6)

Falcão (5)

Bruno Morais (7)

Adam Dzwigala (7)

Mangas (6)

Estrela (6)

Benjaqui (6)

Kevin Yamga (6)

Reko (6)

Mohammadi (7)

SUBS UTILIZADOS

C. Tavares (5)

Welinton Júnior (5)

Miguel Tavares (-)

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

SL Benfica

Não foi possível fazer pergunta ao treinador do SL Benfica, Bruno Lage.

CD Aves

BnR: Na primeira parte, a sua equipa esteve irrepreensível no capítulo defensivo. Na segunda, o SL Benfica tem uma entrada forte e as linhas defensivas do CD Aves acabaram por baixar muito. Acha que este foi um fator importante para evidenciar as debilidades da sua equipa?

Nuno Manta Santos: O SL Benfica, na segunda parte, subiu mais as linhas e obrigou-nos a estar mais baixos e também estar mais concentrados a meio campo. Foi o Benfica que nos obrigou a recuar as nossas linhas, não foi uma opção nossa. Tivemos de optar por estar mais baixos no campo. Tentamos subir as linhas, e pedi isso à equipa muitas vezes, e não conseguimos subir. Os jogadores do Benfica ganhavam sempre os lances e tornou-se complicado para até conseguirmos sair rápido. Depois do Benfica fazer o segundo golo, tivemos ainda duas oportunidades de perigo nos últimos minutos. E é esta a análise que faço.

Rescaldo com opinião de Inês Santos e João Barbosa

Foto de Capa: Carlos Silva / Bola na Rede

Comentários