A CRÓNICA: UM LEÃO COM IDEIAS MAS SEM PRÁTICA FOI SUFICIENTE PARA LEVAR OS TRÊS PONTOS

Tarde de futebol em Alvalade, o Sporting CP venceu o CD Santa Clara por 1-0, num jogo bastante equilibrado. Ambas as equipas apresentaram novidades nos seus onzes iniciais. Ao longo da partida, ambas tentaram encontrar-se em campo, mas não foi fácil encaixar o seu jogo.

Primeira parte taco a taco, mérito da equipa açoriana que se apresentou com bastante rigor tático, em Alvalade. Podia ter saído para o intervalo em vantagem, depois de uma perdida incrível de Thiago Santana. Sem grandes oportunidades durante todo o encontro, foi o Sporting CP a sorrir já na segunda parte, ao minuto 67, depois de uma assistência de Wendel para Jovane Cabral fazer mais um golaço. O jovem leonino marca, assim, mais um golo que o deixa atrás de Bruno Fernandes e Luiz Phellype nos melhores marcadores da equipa.

O Sporting CP foi a equipa que mais tempo teve bola nos pés, acabando o jogo com 63% de posse de bola, mas nem isso foi suficiente para comandar o jogo. Os três pontos ficaram em casa. Não obstante, o empate seria justo tendo em conta a história do jogo.

Anúncio Publicitário

A FIGURA

Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Marcus Wendel – O jogador mais desta equipa. É certo que foi Jovane Cabral a fazer o golo, mas a figura foi claramente Wendel por tudo o que deu ao jogo e à equipa. Praticamente 90 minutos ligado à corrente e tentou sempre levar a equipa para a frente. Faz uma bela assistência para Jovane voltar a abrir o livro. Cada vez mais influente nesta equipa, e começa a haver um Sporting CP com Wendel e outro sem ele. Novamente a justificar os elogios de Rúben Amorim, que na antevisão respondeu que “gostava de ter tido todas as características técnicas de Wendel” no tempo em que foi jogador.

O FORA DE JOGO 
Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

Idrissa Doumbia – Claramente um jogador a menos em campo. Postura apática do médio leonino, a não conseguir ajudar a equipa defensivamente. Além disso, a sua presença foi insuficiente para anular qualquer jogada adversária. Em nenhum momento teve influência no jogo. Colocou a bola dentro da baliza, mas o árbitro já tinha assinalado uma falta muito duvidosa de Coates na área adversária. Podia já nem ter entrado na segunda parte. Nos últimos jogos a sua irregularidade tem sido regular e, por isso, é caso para dizer que Doumbia esteve em “fora de jogo”.

ANÁLISE TÁTICA – Sporting CP

O Sporting CP apresentou-se novamente em 3x4x3, mas com novidades no onze inicial. Pela primeira vez, Rúben Amorim aposta em Acuña e Nuno Mendes em simultâneo, sendo o argentino a constituir o sistema defensivo de três centrais. Eduardo Quaresma e Wendel voltaram à equipa que iniciou a partida. Primeira parte um pouco confusa da equipa leonina, pouca organização ofensiva, blocos muito separados e o meio campo parece que não existe na fase de construção. Doumbia foi um jogador a menos em campo, não conseguiu dar consistência defensiva e não contribuiu em nada para o jogo ofensivo da equipa. Na segunda parte pouco mudou, Rúben Amorim tardou em mexer na equipa. A ideia estava lá, mas os jogadores raramente conseguiram acelerar o jogo. Valeu o excelente golo de Jovane Cabral, que mais uma vez foi decisivo. Sporar continua muito sozinho na frente, tenta procurar a bola, mas é servido sem qualidade. Os três pontos foram o melhor do encontro em Alvalade para a equipa de verde e branco.

 

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Maximiano (6)

Eduardo Quaresma (7)

Coates (7)

Nuno Mendes (6)

Ristovski (5)

Wendel (8)

Doumbia (1)

Acuña (4)

Plata (5)

Jovane (8)

Sporar (4)

SUBS UTILIZADOS

Matheus Nunes (6)

Tiago Tomás (5)

Borja (-)

 

ANALISE TÁTICA – CD Santa Clara

O CD Santa Clara entrou em campo com duas alterações em relação à jornada anterior, frente ao Marítimo SC, na Madeira. Apresentando-se num 4x3x3, conseguiu equilibrar o jogo e dividiu a primeira parte com o Sporting CP. Em Alvalade, viu-se uma equipa bastante organizada e que soube temporizar todas as fases de construção. Teve a oportunidade de sair para o intervalo em vantagem. Já na segunda parte, o rendimento baixou, mas, ainda assim, tentou criar dificuldades à equipa da casa, jogando num bloco defensivo muito baixo. Em alguns momentos do jogo, o CD Santa Clara jogou com seis homens a constituir a linha defensiva. Rafael Ramos foi o jogador mais desta equipa. Boa prestação da equipa das ilhas que podia ter saído de Alvalade com pontos.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Marco (6)

Rafael Ramos (8)

João Afonso (6)

Fábio Cardoso (6)

Mamadu Candé (7)

Osama Rashid (6)

Anderson Carvalho (4)

Lincoln (3)

Zaidu Sanuss (5)i

Carlos Jr. (4)

Thiago Santana (6)

SUBS UTILIZADOS

Francisco Ramos (4)

Diogo Salomão (3)

Cryzan (-)

Zé Manuel (-)

Foto de Capa: Liga Portugal

Artigo revisto por Joana Mendes

Comentários