Cabeçalho Futebol Nacional

Numa tarde fria e chuvosa, os sadinos não deixaram de comparecer à partida entre o Vitória FC e o GD Chaves. Ambas as equipas entraram em campo com 28 pontos e na máxima força.

Num início de jogo muito interessante, como se previa, João Carvalho criou o primeiro lance de verdadeiro perigo aos sete minutos. O remate ao lado foi o suficiente para assustar a baliza do camisola um do Chaves. Perto do quarto de hora, Nuno Santos, numa jogada notória, tentou fazer um “chapéu” a António Filipe, mas a bola bateu na barra. Seria um golo fenomenal por parte do extremo sadino.

Até à meia hora o Vitória era a equipa dominante, com passes corretos, velocidade e ataques perigosos. A partir daí, o Chaves conseguiu subir no terreno, no entanto o jogo tornou-se mais agressivo, com muitas faltas, o que contribuiu para a quebra do ritmo de jogo. Aos 38 minutos, ambas as equipas já estavam amareladas: Costinha do lado do Vitória e Pedro Tiba do lado do Chaves.

As equipas recolheram ao balneário e deixaram um jogo muito menos interessante que aquele para o qual entraram. Os últimos 15 minutos ficaram marcados pelas sucessivas faltas e paragens.

A segunda parte começou como terminou a primeira. Dez minutos após o início dos segundos 45’, o Vitória conseguiu voltar a assumir-se no jogo, à semelhança do que fez na primeira meia hora. O primeiro remate de grande perigo surgiu aos 59 minutos por parte de João Carvalho, mas, mais uma vez, a barra foi o pior inimigo dos sadinos. As duas maiores oportunidades da equipa da casa, que, caso se concretizassem, seriam golos fenomenais, foram barradas. Faltou uma pontinha de sorte aos homens de José Couceiro. Ricardo Soares queria mais da equipa e realizou dupla substituição aos 65 minutos. Tirou Braga e Fábio Martins para dar lugar a Davidson e William, respetivamente.

Os flavienses agradeceram aos adeptos que visitaram o Bonfim Fonte: GD Chaves
Os flavienses agradeceram aos adeptos que visitaram o Bonfim
Fonte: GD Chaves

Pela primeira vez no jogo, e já com Amaral em campo, o Chaves levou perigo à baliza de Bruno Varela, mas a bola passou ao lado. De seguida, Perdigão rematou obrigando o guardião sadino a fazer a primeira grande defesa da tarde. Com 75 minutos jogados, o Vitória e a equipa visitante iam trocando a dominância. Thiago Santana foi lançado no jogo, para o lugar de Nuno Santos que realizou uma excelente partida, principalmente nos primeiros 45’.

O juiz da partida, Fábio Veríssimo, deu quatro minutos de compensação. Na parte final do jogo, o Chaves pressionou o Vitória, tentou chegar ao golo, mas sem sucesso. Nos contra-ataques os sadinos tentaram chegar ao tão desejado golo, mas os flavienses não o premitiram.

O jogo terminou mesmo com um empate a zeros. Em seis pontos possíveis, os homens de Couceiro fizeram apenas um e continuam sem atingir o principal objetivo do técnico: os 30 pontos. Uma nota aos fieis adeptos do Chaves que realizaram uma longa viagem e marcaram presença no Bonfim nesta tarde fria e molhada.

Foto de Capa: Bola na Rede

Comentários