Anterior1 de 4Próximo

Cabeçalho Futebol NacionalNuma tarde solarenga, ainda que invernal, as equipas aqueciam no Bonfim para mais um jogo da 17ª jornada. Estádio mais composto que o habitual, talvez como resposta ao apelo feito por José Couceiro aos sadinos, no passado jogo contra o Sporting. Nota à meia dúzia de adeptos do Nacional que se deslocaram a Setúbal e, ainda que poucos, se fizeram ouvir.

À chegada aos 20 minutos, o jogo encontrava-se muito dividido, com contra-ataques muito rápidos por parte do Vitória. Jogo mais interessante que o expectável, com muitos ataques e velocidade. O Nacional falhou um golo de forma incrível,  perto da meia hora. Depois de um canto, César falhou a bola e perdeu a oportunidade de colocar a sua equipa em vantagem.

A primeira parte terminou a zeros, com poucas oportunidades para ambos os lados. Resultado justo para o que ambas as equipas mostraram, durante os primeiros 45 minutos.

O Vitória entrou com vontade de resolver o jogo, mas o Nacional não cedeu, criando, inclusive, perigo e colocando Bruno Varela à prova. O guarda redes sadino respondeu e manteve a sua baliza inviolável. As primeiras alterações surgiram perto dos 60 minutos: Couceiro retirou de jogo João Amaral, que teve uma exibição muito apagada, e lançou Zé Manuel, enquanto Jokanovic substitui Wilyan por Gomes.

Fonte: CD Nacional
Fonte: CD Nacional

Aos 69 minutos, o guardião sadino fez uma intervenção de excelência, impedido o golo da equipa insular. O jogo continuava muito partido e, até ao momento, o empate era o resultado mais justo.

E foi mesmo aos 86 minutos que o Vitória chegou ao golo. O capitão, Frederico Venâncio, colocou a sua equipa em vantagem a apenas quatro minutos dos 90, após canto de Nuno Pinto. A queda do Nacional, nos últimos 15 minutos, foi bastante acentuada e os sadinos aproveitaram-na da melhor maneira.

O árbitro da partida deu mais três minutos para além dos 90, tempo esse insuficiente para o Nacional alcançar o empate. O jogo terminou mesmo com uma vitória caseira pela vantagem mínima. O empate seria um resultado justo, mas os sadinos foram mais eficazes e conseguiram aquilo que os madeirenses não conseguiram: o golo.

O Vitória acaba a primeira volta com o mesmo número de pontos alcançados na passada época. Esperemos que não termine a segunda volta, também, como terminou na anterior temporada.

Anterior1 de 4Próximo

Comentários