O Vitória FC começou a temporada no Bonfim frente ao Desportivo das Aves, num jogo debaixo de um sol quente. A estreia de Lito Vidigal na primeira liga ao comando dos sadinos não podia ter começado melhor.

A equipa da casa entrou em campo com uma atitude há muito perdida na terra do Sado e tal se refletiu no golo madrugador de Costinha, que, logo aos três minutos, não falhou depois de uma grande assistência de Mendy. A vantagem não fez o Vitória recuar. Sempre superior ao Aves, com mais posse de bola e maiores ocasiões de algum perigo, foram diversas as vezes que Beunardeau tremeu. Mendy foi uma surpresa positiva e rapidamente cairá na graça dos vitorianos. Com raça e vontade, foi um dos jogadores mais influentes na primeira parte a par do já conhecido Costinha.

Com os sadinos a não permitirem que os homens de José Mota criassem oportunidades claras de golo, o jogo começou a aquecer. Muitas faltas, mas poucos cartões levaram as duas equipas, traçadas ao perfil dos seus treinadores, exaltarem os ânimos. Com quatro minutos de compensação dados, o calor do jogo culminou na expulsão, através de vermelho direto, de Falcão aos 45+6′, depois do juiz da partida recorrer ao VAR e considerar tentativa de agressão sobre Costinha.

O Vitória foi sempre a equipa mais perto do golo
Fonte: Bola na Rede

As equipas regressaram ao relvado na segunda metade com o Vitória de novo por cima e, desta vez, em superioridade numérica. Tudo corria bem para a equipa sadina que, debaixo de 33º centígrados, voltou a madrugar. Jhonder, numa altura em que o estádio recuperava do intervalo, atirou a bola para o fundo das redes fazendo, no entanto, o VAR voltou a intervir e os sadinos viram aquele que seria o seu segundo golo anulado. Jhonder encontrava-se ligeiramente adiantado.

Se com onze a tarefa do Aves já não era fácil, a jogar com menos um os homens de Vila das Aves sentiram ainda mais dificuldades em construir jogo e criar oportunidades. Já o Vitória continuou a somar pontos, a crescer e, acabou mesmo por chegar ao golo. Aos 62 minutos Zequinha não perdoou e assistiu Cádiz, que atirou para o fundo das redes.

Anúncio Publicitário

A desconcentração era muita e o jogo duro continuou, o que acabou por resultar em mais uma expulsão para o Desportivo das Aves. Aos 66 minutos, Felipe, amarelado desde o final da primeira parte, faz uma falta pouco inteligente sobre Zequinha à entrada da área. Reduzido a nove jogadores, restava ao Aves tentar não sofrer mais golos. Beunardeau foi o melhor jogador avense tendo negado por diversas vezes o terceiro aos homens de Lito Vidigal.

Depois da segunda expulsão o jogo arrefeceu, as oportunidades foram diminuindo bem como a intensidade. Avançou-se até aos 90′ a passo de caracol, com apenas mais um lance de grande perigo a favor do Vitória aos 87 minutos, aquando de um grande remate de Allef que por sorte (ou azar) não entrou na baliza.

Estava então consumada a primeira vitória da época no Bonfim, com nota muito positiva para o Vitória. Resta saber se os sadinos irão conseguir manter a vontade e raça que mostraram hoje durante o resto da temporada.

Onzes iniciais:

Vitória FC: Cristiano, Mano, Vasco Fernandes (C), Nuno Reis, Nuno Pinto (SC), Costinha, R. Micael, Semedo (Pedrosa, 65′), Zequinha, Jhonder (Allef, 80′), Frederic Mendy (Alex, 70′).

CD Aves:  Beunardeau, Rodrigo, J. Felipe, Diego Galo, N. Lenho, V. Gomes, Braga (Fariña, 62′), Falcão, Nildo P. (Oliveira, 54′), Derley (Ponck, 70′), Amilton.

Foto de Capa: Bola na Rede