A CRÓNICA: VITÓRIA DA EFICÁCIA

Deu-se início à Primeira Liga, e as campanhas de Vitória SC e Portimonense SC iniciaram-se no Estádio D. Afonso Henriques, numa tarde de domingo solarenga, que marcou também o regresso dos adeptos vimaranenses ao seu estádio.

Movidos pela energia eletrizante do público nas bancadas, a equipa minhota entrou muito bem no jogo e poderia ter chegado à vantagem no marcador por duas vezes muito cedo no jogo. À passagem do minuto oito, Alfa cruza milimetricamente para Ricardo Quaresma, que com um remate acrobático atira à malha lateral. No minuto seguinte, recuperação alta da equipa do Vitória, Edwards solta de trivela para Quaresma e o “mustang” não consegue converter em golo, muito por culpa de Samuel, que defendeu o remate do internacional português.

O Vitória continuou por cima do jogo e teve a oportunidade mais flagrante do primeiro tempo em cima do minuto vinte e nove. Canto batido à maneira curta por Quaresma, Edwards entra na área e encontra Jorge Fernandes ao segundo poste, que já em esforço desvia a bola contra a barra da baliza dos algarvios.

Quaresma estava endiabrado e continuava a fazer tremer a defesa adversária. À passagem do quadragésimo terceiro minuto, o extremo vimaranense simulou um cruzamento e atirou à baliza do Portimonense, surpreendendo Samuel que teve de se esforçar bastante para travar o tiro.

Anúncio Publicitário

O segundo tempo começou com maior equilíbrio do que acabou a primeira. O Portimonense quis ter mais bola e deu uma melhor réplica à equipa vitoriana. Ainda assim foi do Vitória a primeira oportunidade da segunda parte, com um remate de fora da área de Alfa, após uma excelente recuperação de bola, o que obrigou Samuel a voar.

Numa segunda parte sem tantas oportunidades como a primeira, o Portimonense ameaçou através de um canto, que culminou com um cabeceamento de Relvas ao lado do poste esquerdo da baliza defendida por Trmal.

Quando o jogo estava numa fase com muitas paragens e em declínio de qualidade, apareceu o golo da equipa visitante. Aylton ganha espaço no corredor, ultrapassa Lameiras cruza para Beto, que com um ligeiro toque desvia a bola para o fundo da baliza defendida por Trmal, contra a corrente do jogo.

O golo desimanou a equipa vitoriana, que até ao final do jogo tem apenas mais uma oportunidade de golo, quando Edwards apareceu aos 90+8 sozinho com o guarda-redes adversário, mas atirou ao lado.

O Portimonense vence em Guimarães e ganha confiança para a receção ao Gil Vicente, na próxima jornada.

 

A FIGURA

Aylton – Esteve no golo dos algarvios e fez uma exibição muito sólida. Ajudou muito Moufi no processo defensivo e saiu em velocidade quando a sua equipa ganhava a bola. Por vezes passou despercebido, mas arrancou em grande velocidade no lance do golo da equipa visitante.

O FORA DE JOGO

Jorge Fernandes – Teve muitas dificuldades na saída de bola e não esteve bem nas disputas físicas com Beto. Levou amarelo cedo por uma entrada imprudente. Muitos passes errados para Rafa, o que condicionou muito a saída da equipa vimaranense.

 

ANÁLISE TÁTICA – VITÓRIA SC

Pepa alterou a equipa em relação aos jogos para a Taça da Liga, mas não mexeu no esquema tático da equipa. Entraram Quaresma e Alfa, saíram Rochinha e Handel. O Vitória alinhou num 4-3-3, com Alfa como médio mais recuado.

Edwards e Quaresma, bem abertos numa primeira fase, foram muito procurados, com os laterais a entrarem numa manobra ofensiva posteriormente. Bruno Duarte foi variando entre o apoio mais recuado e o ataque à profundidade.

Defensivamente, o Vitória entrou com uma pressão média/alta, condicionando a saída do Portimonense, algo que obrigou Bruno Duarte a desgastar-se muito.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Trmal (5)

Rafa Soares (6)

Borevkovic (5)

Jorge Fernandes (4)

Sacko (4)

Alfa Semedo (7)

André Almeida (6)

André André (6)

Marcus Edwards (6)

Quaresma (7)

Bruno Duarte (6)

SUBS UTILIZADOS

Janvier (5)

Gui (5)

Lameiras (-)

Herculano (-)

 

 ANÁLISE TÁTICA – PORTIMONENSE SC

O Portimonense alinhou num 4-2-3-1, com Fabrício à direita do ataque e Aylton à esquerda, e Luquinha por trás de Beto, que foi a referência ofensiva. Tentaram sair a jogar num primeiro momento, mas a pressão do Vitória obrigou a tentar colocar a bola mais longa, na referência Beto.

Sem bola organizaram-se num 4-4-2, com Luquinha a juntar-se a Beto numa primeira linha de pressão, que não foi muito alta e intensa. Boa Morte e Fabricio acompanhavam o extremo adversário, deixando o lateral mais solto para a segunda disputa.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Samuel (6)

Relvas (5)

Lucas (6)

Wilyan (5)

Moufi (4)

Pedro Sá (5)

Lucas Fernandes (5)

Luquinha (5)

Aylton Boa Morte (7)

Beto (7)

Fabrício (4)

SUBS UTILIZADOS

Anderson (6)

Carlinhos (5)

Jeferson (4)

Jocú (-)

Junior (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Vitória SC

BnR: Alfa entrou no 11 no lugar do Handel, que tinha sido titular nos primeiros dois jogos, e teve uma boa exibição. O que procurou com esta mudança, sendo que são dois jogadores com caraterísticas diferentes?

Pepa: Todos tem contribuído. A capacidade de abrangência do Alfa de ligação entre a linha defensiva e a linha média foram fatores para a mudança, é importante a disputar a primeira bola devido à sua complexão física, mas não quero estar a individualizar. Trabalhamos muito e merecíamos levar outro resultado, mas o futebol é eficácia e nós não a tivemos. Parabéns ao Portimonense.

Portimonense SC

BnR: O Portimonense sofreu, mas acabou por levar os três pontos para o Algarve. Qual foi o segredo desta vitória num terreno sempre difícil e de que forma ajuda na confiança da equipa para os próximos jogos”

Paulo Sérgio: O segredo foi o trabalho, a concentração ao longo de todo o jogo. Não nos encolhemos, mesmo quando o Vitória foi pressionando e soubemos sofrer, isso é fundamental num jogo como este. Foi tudo o mérito da equipa e do trabalho que desempenharam em campo.

Crónica redigida por Francisco Silva

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome