A CRÓNICA: AROUCA RESOLVEU ATRAVÉS DE PASSES LONGOS E BOLAS PARADAS 

O último jogo da época do Académico de Viseu FC, no habitual estádio (vai entrar em obras), acabou por não correr da melhor forma. A equipa de Pedro Duarte foi goleada por quatro bolas a zero frente ao FC Arouca.

A equipa da casa entrou bem, estando mais perto da baliza do FC Arouca. Aos 18 minutos, Fernando Ferreira solto de marcação dentro da grande área, aproveitou o cruzamento de Luisinho para cabecear por cima da baliza de Victor Braga.

Os minutos iam passando e o Arouca equilibrou a partida. No entanto, os visitantes foram mais eficazes e aproveitaram as bolas paradas para se adiantaram no marcador. Aos 32´, André Silva fez o primeiro de livre direto à entrada da grande área do Académico, com uma execução irrepreensível, sem hipóteses para Ricardo Fernandes.

O Académico ainda se tentava reorganizar e três minutos depois já sofria o segundo. Recuperação de bola na defesa, passe longo para Adílio, que mais rápido do que os centrais, entrou na grande área e foi abalroado pelo guarda-redes da equipa da casa. Luís Godinho não teve dúvidas e apontou para a marca de grande penalidade. Basso aproveitou a oportunidade e alargou a vantagem.

Anúncio Publicitário

Os visitantes geriram os dez minutos restantes do primeiro tempo e ainda podiam ter feito o terceiro da tarde. Com espaço, Moses rematou com força de fora da área, mas Ricardo Fernandes respondeu com uma grande defesa.

O segundo tempo começou com uma substituição para cada lado, com o Académico a começar mais perto da baliza de Victor Braga. Só que quem voltou a marcar foi o Arouca. Aos 52´, Pedro Moreira, sem espaço para rematar dentro da grande área, cruzou rasteiro para Adélio fazer o terceiro da partida. Dois minutos depois, novo golo do Arouca. Bom passe longo nas costas da defesa viseense e André Silva bisou a partida.

A partir daí, a partida acabou por entrar numa toada morna, com várias interrupções para assistir jogadores e para substituições. Quase quarenta minutos que o Arouca geriu a seu bel-prazer, perante a instabilidade emocional e desorganização do Académico.

Vitória justa para o Arouca que continua a fazer um percurso tranquilo no campeonato.

A FIGURA


André Silva – Duas oportunidades, dois golos. Não se podia pedir mais a um ponta de lança. Desbloqueou a partida, com um grande golo de livre direto e ainda fez o bis num contra-ataque rápido com o avançado a ser letal na cara do guarda-redes adversário. Combinou bem com Adílio e com o meio campo.

O FORA DE JOGO

Distância entre setores no Académico Viseu – O espaço livre entre a defesa e o meio campo facilitaram o trabalho a uma equipa como o Arouca, que explora bem as transições rápidas e os passes longos. Dois dos quatro golos resultaram deste fator e ainda podiam ter sido mais, quando a equipa da casa apostou tudo nos últimos 20 minutos.

 

  ANÁLISE TÁTICA – ACADÉMICO VISEU FC

Pedro Duarte apostou num 4x3x3 bastante móvel com Ayongo mais ao centro, João Vasco e Luisinho, mais nas laterais. Jorge Miguel muitas vezes explorava o corredor esquerdo, levando João Vasco mais para dentro. Fernando Ferreira e André Carvalhas eram os elementos do meio campo mais adiantados, juntando-se muitas vezes aos atacantes. No centro da defesa, face à ausência de Pica por castigo, houve uma novidade,  o lateral Mesquita foi adaptado a central e juntou-se a Mathaus.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ricardo Fernandes (6)

Jorge Miguel (5)

Mesquita (5)

Mathaus (5)

Joel (5)

Zimbabwe (5)

Fernando Ferreira (6)

Luisinho (5)

André Carvalhas (5)

João Vasco (6)

Ayongo (5)

SUBS UTILIZADOS

Yuri Araújo (5)

Carter (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – FC AROUCA

Os visitantes apostaram num 4x4x2, com Adílio, mais móvel, e André Silva, no centro do ataque. Moses e Pedro Moreira organizaram o jogo pelo meio-campo. Bola rasteira através de passes curtos ou longos era a estratégia da equipa do distrito de Aveiro, para segurar a bola e chegar até à grande área adversária.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

 Victor Braga (6)

Joel (6)

 Brunão (7)

Basso (7)

Thales (7)

Pedro Moreira (8)

 Moses (8)

Arsénio (7)

Ofori (7)

Adilio (7)

André Silva (8)

SUBS UTILIZADOS

 Sema (7)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Bola na Rede: O Arouca conseguiu fazer dois golos, resultado de passes longos para as costas da defesa viseense? Foi algo preparado especialmente para este jogo, até pelas limitações nas opções da defesa do adversário?

Armando Evangelista: A partir de determinado momento, sim. Principalmente depois do primeiro golo, o Académico Viseu deu-nos mais espaço na profundidade defensiva que a gente queria explorar. Procurámos explorar e com êxito. Não de uma forma declarada inicialmente, mas após o primeiro golo passou a ser um objetivo explorar a profundidade, sem dúvida.

Bola na Rede: Substituiu Brunão por Sema Velasquez ao intervalo, no centro da defesa. Qual foi a razão?

Armando Evangelista: Foi má disposição, não estava bem. Não se sentia bem. Foi por precaução.

Bola na Rede: O espaço livre entre a defesa e o meio campo no Académico foi o fator decisivo para a derrota?

Pedro Duarte: Não foi por aí. Os primeiros 25/30 minutos foram bons. Depois aconteceu o primeiro golo, pela qualidade individual do jogador que desequilibra. Pouco podíamos fazer. O que podíamos ter feito era evitar a falta naquela zona. Obviamente que depois ao querermos marcar, a equipa fica mais exposta, mais partida e poderá dar, por vezes, a sensação desse distanciamento entre a linha defensiva e o setor intermédio, mas não me parece ter sido esse o problema para o facto de termos sofrido os quatro golos. É normal numa equipa que esteja a perder, que queira dar a volta. Nós levamos um golo aos 32´ e aos 35´ e outro aos 53´ e aos 55´, é natural que a equipa abane um bocadinho e fique mais desequilibrada. Vamos continuar a trabalhar, obviamente, tendo em atenção aos nossos comportamentos que não foram aquilo que queremos. Não atingimos aquilo que queríamos que eram os três pontos. Temos agora de preparar o próximo adversário, recuperar os jogadores em termos físicos e preparar um plano de jogo para nos apresentarmos para ganhar.

Bola na Rede: Não pode contar com o João Pica para este jogo. Apresentou no seu lugar, o lateral Mesquita. Que características tem este jogador para a posição?

Pedro Duarte: Se perceberem a forma como jogámos a semana passada (derrota com o Estoril por 3-0) com três centrais, já foi um primeiro indicador na eventualidade de precisarmos de um jogador para central, poderia ser o Mesquita. Poderia ser o Zimbabwe, o Filipe, o Diogo… Na nossa análise, entendemos que o Mesquita reunia as condições para fazer a posição. Como já disse em conferências anteriores, são as soluções que temos de arranjar dentro do que temos e foi a solução que era mais válida. Para a semana já temos mais um atleta, o Pica e é bom termos toda a gente disponível para jogar. Felizmente neste momento, já temos mais soluções, mas quando não temos, temos de arranjar as soluções mais válidas.