Já a apenas duas jornadas do final da temporada, o Cova da Piedade garantiu uma importante vitória diante de uma Académica que já não luta por nada, ficando à beira de garantir a manutenção.

Os comandados de Miguel Leal vieram de uma derrota frente ao Mafra, que deixou o conjunto da Margem Sul a apenas dois pontos da linha de água, mas invicto em casa desde o início de fevereiro. Mais atribulada tem sido a vida dos Estudantes, com três jogos sem ganhar, a subida perdida e polémica entre João Alves e Júnior Sena, com o extremo cabo-verdiano a ser afastado do plantel por recusar-se a jogar diante do Famalicão.

Numa primeira parte marcada pelo calor intenso e a falta de qualidade no terreno de jogo, foi o Cova da Piedade a ter a primeira oportunidade logo aos três minutos, com Pedro Coronas a cruzar para a entrada da área, onde Cele atirou de fora da área, mas muito por cima da baliza.

Após este lance, surgiram muitas faltas a meio-campo que, acompanhadas pela quantidade absurda de bolas perdidas de parte a parte, “queimaram” a iniciativa ofensiva das duas equipas.

Anúncio Publicitário

A Briosa acordou aos 15 minutos, criando perigo à baliza de Anacoura pela primeira vez no jogo através de Marinho que, desde a esquerda, cortou para dentro e atirou de fora da área, mas à figura do guarda-redes italiano do Piedade. Mas futebol via-se pouco, com as duas equipas a não mostrarem capacidade para criar perigo, como se verificou num canto curto do Cova da Piedade aos 20 minutos, com um cruzamento a ir direto para as mãos de Ricardo Moura. Já do lado da Académica, Fernando Alexandre tentou um pontapé sem sentido do meio da rua, mas saiu fraco e ao lado da baliza.

Para quebrar a rotina, Miguel Rosa surgiu no jogo e desbloqueou o nulo. Stanley na direita cruzou para o extremo do Cova da Piedade que, de cabeça, fez o golo do conjunto da Margem Sul, dando emoção a um jogo até então fraco futebolisticamente.

Apesar do golo, as equipas não se libertaram nem se tornaram mais ofensivas, com Miguel Rosa a ser um raio de sol num jogo negro em termos de futebol, com as duas equipas muito trapalhonas na construção.

Não surpreendeu, portanto, que o resultado não se alterasse até ao intervalo, com o Piedade a ir para os balneários em vantagem.

Após uma temporada com muitos problemas físicos, Miguel Rosa ainda foi a tempo de ser decisivo
Fonte: CD Cova da Piedade

No segundo tempo apareceu mais a Académica, mas mesmo assim as oportunidades mantiveram-se escassas de parte a parte. Romário Baldé mostrou um primeiro vislumbre de resposta por parte da Briosa, mas a o remate do guineense foi à figura de Anacoura.

Seguiu-se Balogun, entrado na segunda parte, a criar perigo na esquerda, cruzando rasteiro à procura de alguém para o desvio, mas não estava nenhum jogador da Académica na área.

Se o calor “matava” a capacidade física dos jogadores, então as constantes paragens para assistência aos atletas do conjunto de Coimbra cortavam completamente o ritmo de jogo, com as oportunidades de finalização a surgirem maioritariamente de bola parada, como um canto na direita a favor do Cova da Piedade aos 58 minutos, em que o guarda-redes Ricardo Moura precisou de esticar-se para evitar o segundo golo.

A reação da Briosa desvaneceu-se a meio da etapa complementar, com o Cova da Piedade a criar mais perigo junto da baliza dos Estudantes através de contra-ataques rápidos. Um livre indireto na direita, ao jeito de um canto mais curto, levou perigo para Ricardo Moura aos 67 minutos, com o cabeceamento de Yan Victor a sair ligeiramente por cima. Já a quinze minutos do fim, foi Ronaldo Tavares a ter uma grande oportunidade, mas o remate acabou desviado por um defesa e saiu por cima.

Acabou por ser mesmo o Cova da Piedade a dilatar a vantagem, perante uma Académica de rastos e sem capacidade no ataque. Ki, aposta de João Alves na segunda parte, ofereceu a bola infantilmente ao Piedade, Ronaldo Tavares cruzou rasteiro e Cele encostou para o 2-0 final, com o conjunto da Margem Sul a conquistar três preciosos pontos na luta pela manutenção, enquanto a Académica pode perder o terceiro lugar se o Estoril pontuar esta jornada.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES:

CD Cova da Piedade: F. Anacoura, P. Coronas, Allef, Yan Victor, Evaldo, M. Rosa (Ballack, 80’), S. Mané, T. Cele, A. Carvalhas (B. Diarra, 62’), A. Stanley (R. Tavares, 56’) e H. Firmino.

Académica OAF: R. Moura (J. Neiva, 74’), D. Teles (Ki, 67’), Yuri, Zé Castro, N. Pedroso, Marinho (F. Balogun, 46’), Reko, F. Alexandre, J. Traquina, J. Toro e R. Baldé.