A CRÓNICA: EFICÁCIA DO CASA PIA PENALIZA EM DEMASIA A EQUIPA DA CASA

O jogo da 28.ª jornada da Segunda Liga, entre CD Mafra e Casa Pia AC, era um desafio entre duas equipas do meio da tabela que necessitavam de vitórias para saciar a sede de vitórias no campeonato.

Apresentando os sistemas táticos habituais, e presenteados pela chuva, os primeiros minutos de jogo foram de equilíbrio a meio-campo e de muito estudo por parte das equipas. Com o passar dos primeiros dez minutos, o Mafra começou a subir no terreno, pressionando alto e obrigando a dupla de pivots do Casa Pia a falhar passes. Aproveitou, neste momento, o ala Gui Ferreira para se destacar, somando três oportunidades claras de golo e dando imenso trabalho ao veterano Ricardo Batista.

Fonte: Sebastião Rôxo / Bola na Rede

Aos 26 minutos e contra a corrente do jogo, a equipa visitante acabou por inaugurar o marcador numa jogada individual do nigeriano Saviour Godwin. O extremo tirou facilmente do caminho Cuca e rematou por baixo das pernas de Filipe Neves. A equipa da casa sentiu o toque e acabou por esmorecer na pressão que vinha – e bem – a fazer junto de Zolotic e Vítor Gonçalves.

Já perto do final do primeiro tempo, e através jogada de equipa entre Diego Medeiros e o lateral-direito Marvin Martins, o Casa Pia chegou ao segundo; o internacional luxemburguês soube subir no terreno e fazer uma combinação perfeita com o brasileiro para marcar e dar ainda maiores contornos de injustiça ao marcador.

Anúncio Publicitário

Na segunda parte, a “receita” foi a mesma: o Mafra entrou melhor, muito dinamizado pelo suplente Lee, porém quem marcou foi o Casa Pia. Jogada interessante de Godwin pela esquerda e a finalização de Diego Medeiros que marcou à ex-equipa e fez o 3-0.

Acusando o golpe, a equipa da casa acabou por se conformar e, mesmo com as entradas de jogadores de cariz ofensivo, pouco foi o perigo que criou para a baliza de Ricardo Batista acabando por sofrer o último golo, que deu contornos de goleada, por intermédio de Camilo Triana.

Um resultado injusto para o que se passou em campo, mas que mostra as enormes fragilidades defensivas do Mafra e que prolonga a série negra de derrotas da equipa mafrense e afunda a mesma na classificação.

 

A FIGURA

Fonte: Sebastião Rôxo / Bola na Rede

Godwin – O extremo nigeriano esteve presente nos lances capitais do jogo e acabou por ser o jogador em maior destaque em campo.

O FORA DE JOGO


Estado anímico do CD Mafra – O Mafra está mal em termos desportivos e psicológicos. O resultado foi pesado e o primeiro golo, numa altura em que a equipa estava por cima acabou por dar início a uma goleada injusta

 

ANÁLISE TÁTICA – CD MAFRA

Filipe Cândido fez cinco alterações para este jogo, comparativamente ao jogo com o UD Vilafranquense. Já o sistema de jogo manteve-se intacto, num 5-4-1 com Abel Camará sozinho na frente de ataque. Os primeiros minutos foram de domínio a meio-campo com boas indicações, mas os golos do Casa Pia acabaram por destruir a ideia de jogo e os jogadores do Mafra nunca mais se encontraram. A equipa da casa terminou o jogo quase num 4-2-4, com Lee e Moura nas alas, mas não conseguiu criar perigo.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Filipe Neves (5)

Campos (6)

João Cunha (4)

João Miguel (5)

Rodrigo Martins (5)

Gui Ferreira (C) (8)

Cuca (4)

Carlos Daniel (6)

Camará (5)

Miguel Lourenço (5)

Rúben Ramos(5)

SUBS UTILIZADOS

Carlos Henriques (-)

Pedro Barcelos (-)

Bruno (-)

Okitokandjo (4)

Kaká (4)

Lee (6)

João Graça (4)

Tomás Domingos (-)

Moura (4)

 

ANÁLISE TÁTICA – CASA PIA AC

O treinador do Casa Pia não mexeu tanto como o seu colega, mas ainda assim, fez três alterações no onze inicial, saindo Bruno Sousa, João Teixeira e Bachi e entrando para o seu lugar Marvin Martins, Diego Medeiro e o bósnio Zolotic. O sistema tático escolhido no início da partida foi um 4-4-2. O início de partida foi de sofrimento, contudo os golos trouxeram a tranquilidade e o resultado ao intervalo fez com que o Casa Pia gerisse a partida sem surpresas.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ricardo Batista (8)

Jefferson (7)

Diego Medeiros (7)

Kelechi (6)

Vitó (6)

Zolotic (6)

 Matheus Dantas (7)

 Martins (7)

 Malik (6)

Vitor Gonçalves (C) (6)

 Saviour Godwin (8)

SUBS UTILIZADOS

 Lucas Paes (-)

Sousa (-)

Jota (5)

Christian (4)

Camilo (7)

Fati (-)

Zach (4)

Banjaqui (5)

Djoussé (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

CD MAFRA

BnR: Foi um resultado injusto, que até o treinador adversário mencionou que um 4-2 ou 4-3 seria mais adequado. Estando a equipa a perder por 2-0 ao intervalo e com o terceiro golo a ser marcado logo no início da segunda parte, não acredita que mexeu demasiado tarde no sistema de jogo?

Filipe Cândido: Tentámos criar uma linha de pressão com Lee e Camara. As maiores oportunidades até foram através de variações de jogo e ter mais presença na área com o Okitokandjo e o Camara. Temos que olhar para o copo meio vazio e meio cheio e pensar que talvez conseguíssemos fazer algo com o sistema que tínhamos. O 3-0 foi demasiado cedo e acabou com o jogo.

CASA PIA AC

BnR: O jogo tem duas partes distintas, até ao primeiro golo?

Filipe Martins: Neste campeonato é muito importante sair na frente. Na jornada passada perdemos um jogo em 30 segundos e neste jogo sabíamos que iamos apanhar uma equipa fragilizada e teríamos que aproveitar. Ainda assim, foi um jogo cruel para o Mafra.

Rescaldo da autoria de Hugo Rodrigues e Vítor Miguel Gonçalves