A CRÓNICA: ACADÉMICA OAF TRASNFIGURADA NOS SEGUNDOS 45 MINUTOS ARRANCA EMPATE FRENTE AO CD MAFRA

O jogo da 32.ª jornada da Segunda Liga, entre o CD Mafra e a Académica OAF, tinha objetivos diferentes para ambas as equipas: a Académica procurava a vitoria para se manter na luta pela subida direta, enquanto o CD Mafra buscava a vitória para garantir desde já a manutenção e, assim, poder encarar o resto da época com maior tranquilidade.

Anúncio Publicitário

Inicio de jogo muito “tranquilo”, praticamente jogado apenas nos 30 metros centrais, com ambas as equipas com muita cautela e preocupadas em não cometer erros. Contudo, numa jogada rápida e de grande envolvimento, onde a bola rolou rápido da esquerda para a direita, Nuno Campos levou a bola até à linha de fundo e centrou rasteiro para Andrézinho aparecer ao segundo poste e inaugurar o marcador.

Ao contrário do que seria de esperar, a Académica não reagiu ao golo e foi o CD Mafra, que após uma perca de bola dos “Estudantes”, voltou a marcar: Andrézinho progrediu rápido e, à entrada da área, desferiu um remate colocado e sem hipóteses para Mika.

Com os golos, a equipa do CD Mafra baixou claramente os níveis de ansiedade e começou a controlar com alguma tranquilidade o jogo. A Académica apenas uma vez chegou com perigo à baliza do CD Mafra, através de uma bola parada, na qual o guarda redes João Godinho fez uma excelente defesa, no seguimento de um alívio de João Miguel em cima da linha de golo.

A segunda metade do jogo foi completamente diferente, com a Académica a entrar muito pressionante. A entrada de Leandro Sanca e a passagem de Mayambela para junto de Bouldini trouxe uma maior acutilância ao ataque dos “Estudantes”.

A Académica chegou ao golo aos 56 minutos, através de uma jogada de insistência de Mayambela e na qual a defesa do CD Mafra facilitou na esquerda. Com o golo animaram-se ainda mais os homens de Coimbra, que passados nove minutos, aos 65 minutos, fez o empate por Bouldini.

Reagiu o CD Mafra e, aos 67 minutos, teve a hipótese de passar para a frente, mas Abel Camará falhou uma grande penalidade. A partir desse momento, assistimos a um cerrar de linhas da equipa do CD Mafra e a um assédio constante da Académica, que aos 86 minutos teve uma oportunidade para marcar com Leandro Sanca, completamente isolado na frente de João Godinho, que fez uma defesa monumental e segurou o empate para o CD Mafra.

Um resultado justo para o que se passou em campo, pela repartição de jogo por ambas as partes: na primeira CD Mafra, na segunda Académica. Com este resultado, a Académica fica mais longe do objetivo de subida e o CD Mafra assegura a manutenção na Segunda Liga.

 

A FIGURA

Fonte: Carlos Silva / Bola na Rede

João Godinho – O guarda-redes do CD Mafra, que voltou a titularidade com Ricardo Sousa como treinador, fez uma mão cheia de boas defesas e assegurou o empate nesta partida frente à Académica OAF.

 

O FORA DE JOGO

Entrada de jogo da Académica – Início de jogo completamente apático da Académica, que descansou o CD Mafra e não pressionou o estado de ansiedade que era normal da equipa do Oeste.

 

ANÁLISE TÁTICA – CD MAFRA

O CD Mafra apresentou-se com o esquema habitual, o 4-3-3, sem qualquer alteração no “onze” em relação ao jogo da semana passada em Chaves. Na baliza, João Godinho, depois nas alas defensivas, Nuno Campos pela direita e Gui Ferreira pela esquerda, com a zona central da defesa a cargo de João Miguel e Pedro Barcelos. À frente deste quarteto, apareceu Ismael, com João Graça e Cuca a jogarem na posição oito. Nas alas Rodrigo Martins por um lado e Andrezinho pelo outro com o ataque a cargo de Abel Camará.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

João Godinho (8)

Nuno Campos (6)

João Miguel (6)

Pedro Barcelos (6)

Gui Ferreira (Cap) (5)

Cuca (7)

João Graça (7)

Ismael (7)

Andrezinho (8)

Camará (8)

Rodrigo Martins (8)

SUBS UTILIZADOS

Bruno Fidélis (3)

Bruno Silva (3)

Okitokandjo (3)

Kaká (4)

Carlos Daniel (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – ACADÉMICA OAF

O Mister Rui Borges fez quatro alterações em relação à equipa que perdeu na passada segunda-feira em Coimbra frente ao Arouca, alinhando desta feita em 4-4-1-1.

Na baliza, o experiente Mika, com um quarteto defensivo formado por Fabiano á direita, Bruno Teles á esquerda e os centrais Rafael Vieira e Zé Castro. No centro do meio-campo, apareceram Ricardo Dias e Mimito, Traquina mais pela direita e Mayambela pela esquerda, com Fabinho nas costas de Bouldini.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Mika (8)

Bruno Teles (6)

Zé Castro (Cap) (5)

Rafael Vieira (5)

Fabinho (5)

Mayanbela (7)

 Fabiano (6)

 Mimito (7)

 Traquina (6)

Bouldini  (7)

 Ricardo Dias (8)

SUBS UTILIZADOS

Leandro Sanca (7)

Fábio Viana (5)

Guima (5)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

CD Mafra

BnR: Mister, como se explica ou que explicações encontra para uma 2ª parte tão diferente da 1.ª parte do CD Mafra? Foi só a alteração produzida pelo adversário ao intervalo?

Ricardo Sousa: Foram um conjunto de situações, não entrámos bem na 2ª Parte, temos duas/três perdas de bola que fazem com que os jogadores percam os índices de confiança com que os jogadores foram para o intervalo e claro, foi a qualidade da equipa da Académica que veio ao de cimo na 2.ª Parte.

 

Académica OAF

BnR: Mister, foi a entrada ao intervalo do Leandro Sanca e a colocação do Mayambela junto ao Bouldini que mudou tudo na 2ª parte?

Rui Borges: Mais que a mudança, embora dê coisas diferentes á equipa, mas mais do que isso foi o crescimento geral da equipa, não tenho palavras, foram os jogadores todos, depois de uma 1.ª parte onde estávamos totalmente descompensados. Os Jogadores perceberam isso e mudaram totalmente, a intensidade a alegria da equipa, foi o que mudou para a 2.ª Parte.

Rescaldo da autoria de Hugo Rodrigues e Carlos Gonçalves.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome