Anterior1 de 4Próximo

Cabeçalho Futebol Nacional

Num dia frio de Inverno, no meio do atlântico, vivia-se mais uma disputa intensa do futebol português entre o CD Santa Clara e o Cova da piedade. As equipas vinham de fases diferentes. A equipa da casa contava já com sete partidas sem conhecer o sabor da vitória, enquanto que o Cova da Piedade assinalava uma notável recuperação com Bruno Ribeiro ao leme.

Surpresas de parte a parte. O Santa clara a jogar num esquema tático diferente, um 4-2-3-1 com Clemente como referência atacante e com Minhoca a jogar como um 10 clássico. Já no Cova da Piedade a principal surpresa acabou por ser a saida de Dieguinho dos convocados que ao que tudo indica estará de malas feitas para a equipa do Belenenses e também Miguel Rosa que se lesionou antes da partida.

A primeira parte mostrou um Santa Clara com mais posse de bola mas num ritmo lento. Já o Cova da Piedade tentava jogar de forma fechada, com as linhas juntas e num bloco médio-baixo, tentando sair em contra-ataque, ainda que sem grande sucesso.  Ainda assim, o Santa Clara dispôs de boas ocasiões para chegar ao golo ainda na primeira parte, com Pedro Alves a estar em evidência com duas defesas de grande nível. A primeira parte acabou com o Santa Clara numa fase melhor da partida. A equipa da casa mostrou alguma impaciência na primeira parte fruto do mau momento na época perante um Cova da Piedade que mostrava vir jogar para o empate.

A segunda parte trouxe um Santa Clara mais agressivo na luta pela posse de bola, sendo que as recuperações eram zonas altas do terreno foram uma constante. Quando a segunda parte ainda estava a começar, ao minuto 51 surgiu Minhoca. Com um livre exemplarmente marcado o camisola 10 da equipa açoriana abriu o ativo e colocou justiça no marcador. Nos minutos posteriores ao golo, o Santa Clara tentou chegar ao segundo golo na partida. A equipa da casa continuou a ter mais bola e as ocasiões sucediam-se perante um Cova da Piedade incapaz de criar perigo.

Já nos últimos 15 minutos de jogo,  a equipa visitante começou a ter mais bola , jogando mais próxima da baliza adversária. O Santa Clara optava também por baixar linhas para tentar controlar melhor a iniciativa da equipa piedense, com sucesso, diga-se de passagem. Apesar da maior inaciativa da equipa forasteira, a bola esteve sempre longe de beijar as redes da baliza de Serginho.

A vitória do Santa Clara ajusta-se no jogo. Viu-se pouco Cova da Piedade perante um Santa Clara determinado a vencer, ciente de que este jogo era providencial na luta pela subida. Já o Cova da Piedade esteve longe do nível exibicional demonstrado a meio da semana para a Taça de Portugal frente ao Sporting.

Anterior1 de 4Próximo

Comentários