Anterior1 de 3Próximo

O Sporting da Covilhã voltou a empatar em casa, frente ao União da Madeira a uma bola. A equipa, que em três jogos sofreu outros tantos auto-golos, procurava assim desfazer a maldição, já que em cinco jogos contava com um empate e quatro derrotas. As condições do relvado não eram as melhores, tornando assim o trabalho tático de ambas as equipas mais fraco, mas nem assim deixou de haver emoção na partida.

Desde cedo que os leões da serra mostraram que mo seu jogo iria ser praticado no meio-campo adversário, querendo assim alcançar os três pontos. A defesa do União entrou algo adormecida, cometendo erros que os covilhanenses não conseguiam aproveitar da melhor maneira, valendo sempre a atenção de Tony, o guarda-redes madeirense. Já do outro lado, Hugo Marques não teve muito trabalho até à meia hora de jogo, visto que o ataque madeirense também não conseguia sair a jogar, isto devido ao excelente trabalho do meio-campo serrano.

Já no ataque do Sporting da Covilhã, Davidson fazia as delícias dos (poucos) espectadores presentes no estádio Santos Pinto, com toques técnicos de bastante qualidade. Apesar da superioridade da equipa sportinguista, o jogo chegou ao intervalo empatado a zero.

Na segunda parte, o União da Madeira parecia entrar com vontade de mudar o jogo, jogando mais ao ataque e a sufocar o Sporting da Covilhã na sua área. Apesar disto, o primeiro golo veio mesmo da equipa serrana, por parte de Ponde, jogador do Sporting Clube de Portugal emprestado ao Sporting da Covilhã. Após cruzamento de Pintassilgo, o jovem ponta de lança cabeceou com classe para dentro da baliza madeirense, fazendo com que a bola ainda embatesse no poste mais afastado antes de tocar no fundo das redes. Este golo foi determinante para acordar o jogo e para acordar o ataque dos leões, com Gilberto a rematar forte, de fora da área, com a bola a passar a escassos metros do poste do União.

Logo depois, quando não se fazia prever, o União empata. Breitner, através de um livre batido do lado esquerdo do ataque madeirense, meteu a bola ao primeiro poste. O guarda-redes fica mal na fotografia já que, apesar de ser um livre batido com bastante força, este ainda tinha hipótese de chegar à bola e tentar defender este remate. Contudo, o jogo com este golo não se tornou mais emocionante, com o Sporting da Covilhã sempre por cima, a mostrar que queria arrecadar os primeiros três pontos em casa.

Anúncio Publicitário

O jogo aqueceu, mas não foi por bons motivos, havendo confusão desnecessária entre diversos jogadores, o que acabou por trazer menos qualidade tática e a tornar-se menos emotivo. A defesa do União da Madeira, no entanto, acabou por acordar, conseguindo travar todos os ataques da equipa covilhanense, principalmente quando esta fazia as suas investidas através de Luís Pinto, que veio dar mais rapidez à mesma. Este jogador ainda beneficiou de um livre à entrada da área ao minuto 90, que já dava esperanças a todos os espectadores que estavam à espera de ver a sua equipa sair vitoriosa.

No final, o jogo acabou empatado, com o Sporting da Covilhã a não conseguir mais do que um ponto, que veio somar ao outro que já tinha, não sendo assim um bom início de campeonato para os pupilos de Filipe Gouveia. Já os madeirenses, com o jogo defensivo que fizeram, conseguiram segurar o empate, também devido à falta de eficácia do adversário.

O Sporting da Covilhã vai agora ter uma deslocação bastante difícil ao terreno do Porto B, enquanto que o União irá a Guimarães defrontar a equipa secundária do Vitória, já a meio da semana. Ambos jogarão ainda para a Taça de Portugal, no próximo fim-de-semana, contra o GD Joane e Moimenta, respectivamente.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários