Anterior1 de 4Próximo

No primeiro Clássico da Primeira Liga 2018/2019, o Benfica venceu em casa o Porto por 1-0, naquele que foi o primeiro triunfo de Rui Vitória frente aos azuis e brancos. Vindos ambos de triunfos europeus a meio da semana, Águias e Dragões queriam vencer para aproveitar da melhor forma o empate do líder Sporting de Braga no dia anterior, e assim ficar no topo antes da pausa para as seleções.

Face aos onzes apresentados nos compromissos europeus, Rui Vitória mudou apenas duas peças: Lema e Gabriel foram titulares nos lugares de Conti (expulso na jornada anterior, frente ao Desp. Chaves) e Gedson, respetivamente. Já Sérgio Conceição, só fez uma alteração, com Tiquinho Soares a atuar de início, relegando Jesús Corona para o banco de suplentes.

O jogo começou a um ritmo algo lento, com os dois conjuntos a estudarem-se mutuamente durante os primeiros 20 minutos, daí que não tenha havido grandes oportunidades nas duas balizas. Durante esse período, o foco esteve sobretudo no árbitro Fábio Veríssimo, que ia tentando manter o controlo da partida algo dura e com elevadas interrupções, devido às faltas cometidas pelos jogadores das duas equipas.

O primeiro lance de perigo surgiu ao minuto 22 para os visitantes: Soares, descoberto nas costas da defesa encarnada por Herrera, rematou às malhas laterais da baliza de Vlachodimos. O Porto ia tendo mais facilidade em chegar à área contrária, fazendo uma boa circulação de bola e aproveitando a velocidade de Marega e Soares, perante um Benfica que se limitava a bater a bola para a frente, em busca de encontrar Seferovic, que estava quase sempre desposicionado.

A única ocasião para o conjunto caseiro surgiu perto do intervalo, por intermédio de Seferovic, que, isolado com Casillas, atirou a bola ao lado, mas o avançado suíço estava fora-de-jogo. Com tão poucos lances dignos de registo, foi sem surpresas que o Clássico chegou ao tempo de descanso com um nulo no marcador.

O jogo foi empatado a zero para o intervalo
Fonte: Carlos Silva/Bola na Rede

O segundo tempo iniciou-se sem mudanças táticas nos dois lados, mas não demorou muito até surgir a primeira: Sérgio Oliveira foi lançado em campo ao minuto 51, para o lugar de Otávio. O primeiro lance de perigo da segunda parte surgiu ao minuto 60, com Gabriel a rematar à entrada da área para uma bela defesa de Iker Casillas. O aviso foi dado para o aconteceria dois minutos depois: Seferovic, isolado com um cabeceamento de Pizzi, bateu o guardião portista e fez o 1-0 na Luz.

O golo abriu mais o jogo, e Sérgio Conceição decidiu arriscar e mudou a sua estratégia de jogo ao minuto 69, e colocou Corona a fazer o lado direito dos Azuis e Brancos, no lugar de Maxi Pereira. Na sequência de um canto, Danilo teve perto de fazer o golo do empate, mas o seu cabeceamento saiu desviado da baliza de Vlachodimos. Rui Vitória percebeu que era importante tapar os caminhos da sua baliza, daí que tenha optado por meter Alfa Semedo no jogo, para o lugar de Pizzi para os últimos 10 minutos do encontro.

Mas o pior para o Benfica surgiria depois: na estreia a titular, Lema viu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Terceiro jogo consecutivo em que as Águias terminam o jogo sem a equipa completa em campo.

O Porto carregou no acelerador em busca do empate, e voltou a estar perto ao minuto 85, por Brahimi, que num remate em arco, fez a bola passar junto ao poste direito da baliza adversária.

Até final, nota para entrada de Samaris para ajudar na missão de defender a vantagem mínima, e com o Porto a fazer de tudo para chegar ao tento que desse o empate, mas sem sucesso.

O Benfica acabou por vencer o Porto pela margem mínima, mesmo sem convencer, mas o importante são os três pontos. Com este resultado, os comandados de Rui Vitória saltam de novo para o topo da liderança, em conjunto com o Sporting de Braga. Já o Porto sofreu a segunda derrota no campeonato, o mesmo número do campeonato anterior.

Onzes Iniciais

SL Benfica: Vlachodimos; André Almeida; Rúben Dias; Lema; Grimaldo ; Fejsa; Gabriel; Pizzi (Alfa Semedo 80’); Cervi (Rafa Silva 57’); Salvio; Seferovic (Samaris 90’)

FC Porto: Casillas; Maxi Pereira (Jesús Corona 69’); Felipe; Éder Militão; Alex Telles; Danilo Pereira; Otávio (Sérgio Oliveira 51’); Herrera; Brahimi; Moussa Marega; Tiquinho Soares (André Pereira 75’)

Anterior1 de 4Próximo

Comentários