Mas exigir um boicote à leitura de jornais desportivos que não o Jornal Sporting e a canais televisivos que não a Sporting TV, é já algo que devemos olhar de soslaio, cautela e, acima de tudo, demarcação. A liberdade é algo que deve residir sempre no cerne de qualquer associação desportiva, cultural ou cívica sempre em estreita articulação e em conformidade com as leis e regras da República Portuguesa. Tudo o que se afasta dessas leis e regras, afasta-se daquilo que as sociedades democráticas consagraram para si próprias há já algumas décadas: a liberdade de opinião, de participação e de organização em qualquer lado, respeitando sempre, integralmente, as opiniões dos outros e nunca subjugando nenhuma pessoa ou grupo social.

Os adeptos leoninos continuam a dar a máxima confiança à Direção liderada por Bruno de Carvalho
Fonte: Sporting Clube de Portugal

– A Dignidade – a AG do passado dia 17 com o reforço da liderança de BdC trará, estou certo, conquistas e glórias para o Sporting Clube de Portugal. O equilíbrio e a sustentabilidade das contas do clube, a recuperação e expansão das modalidades, a existência de um pavilhão tão grande como os maiores da Europa resgatou o Sporting do poço sem fundo desportivo e financeiro em que se encontrava antes de Bruno de Carvalho e da sua Direção. Deu-nos a dignidade que durante muitos anos fugiu para os nossos rivais. Hoje somos um clube eclético, com conquistas nacionais e europeias nas modalidades e, no que ao Futebol Sénior diz respeito, a discutir, taco-a-taco, com os nossos rivais diretos, os títulos em disputa. São factos e contra estes não há argumentos.

Mas o que BdC tem que perceber é que essa dignidade desportiva recuperada não pode nunca limitar a liberdade de expressão dos sportinguistas, e estes deverão optar sempre pela liberdade pois não há dignidade de ninguém nem de nenhuma associação desportiva, cultural ou de outro tipo que subsista se não tiver como base o princípio da liberdade dos seus elementos constituintes. E o Sporting não é uma “associaçãozinha” desportiva qualquer, nem um clube de esquina. Quanto a mim, sempre que tiver de falar falarei onde me apetecer, sempre que sentir necessidade de escrever, escreverei onde me der na real gana, quando quiser e sobre o que quiser e não será Bruno de Carvalho ou outro presidente do Sporting que me calará ou me impedirá de opinar sobre os assuntos do Sporting. O sportinguista Carlos Anjos disse ao Record algo que subscrevo na íntegra a este respeito: “Nem o meu pai me diz o que posso ler, ver ou ouvir, quanto mais o presidente” (Jornal Record , dia 19 de fevereiro de 2018).

Foto de Capa: Sporting Clube de Portugal