BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

Casa Pia AC

BnR: Boa tarde, mister. Parabéns. Por falar em jogadores novos, hoje foi possível ver Martim Maia no lugar que pertenceu a Mateus no último jogo [frente ao Vilafranquense]. Sem querer individualizar, no processo ofensivo – linha de três lá atrás e subida de David Rosa – o Martim aparecia várias vezes como interior a fazer a diferença: em que lugar entende que este jogador pode render mais?

Luís Loureiro: Prefiro não individualizar. Preparámos este jogo segundo uma estratégia, porque conhecíamos a equipa do Boavista. Analisámos e preparámo-nos de acordo com aquelas que são as características dos nossos jogadores e penso que estes interpretaram bem o que queria, pois controlámos o jogo. Temos uma equipa forte e competente, recheada de jogadores que estão sempre preparados para jogar.

Outras respostas:

«O resultado final espelha aquilo que se passou em campo».

«Vestimos o fato-macaco quando foi preciso, mas também tivemos qualidade quando foi preciso».

Boavista FC

BnR: Boa tarde, mister. Falou em oportunidades criadas mas a verdade é que é o sexto jogo consecutivo sem marcar. Consegue identificar alguma lacuna no processo ofensivo da equipa ou justifica estes dados meramente com azar?

Lito Vidigal: Identificam-se muitas coisas. Vínhamos a pensar que íamos fazer o quinto jogo consecutivo a vencer [jogos oficiais] e, se tivéssemos ganho hoje, tê-lo-íamos conseguido e dávamos continuidade a esse bom momento. Agora temos de analisar e perceber o que fizemos bem e mal. Quando se ganha não está tudo bem, mas quando se perde também não está tudo mal.

Outras respostas:

«Tivemos três ou quatro oportunidades que podíamos ter concretizado».

«Faltou mais agressividade e entendermos o jogo».

«É uma competição que nos interessava continuar».

Foto de Capa: Bola na Rede

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários