A CRÓNICA: BOA SEGUNDA PARTE DO GIL VICENTE FC ELIMINA CD TONDELA

O nosso futebol está de volta! Depois de Portimonense SC e Académica OAF terem dado o pontapé de saída oficial na época 2021/22 (vitória dos algarvios por 2-1), o encontro entre CD Tondela e Gil Vicente FC seguiu-se no calendário, em nova partida da primeira eliminatória da Taça da Liga Portuguesa.

Os primeiros minutos de jogo mostraram os tondelenses a ter maior tempo de posse de bola, mas, com o decorrer do encontro, os gilistas foram equilibrando este número. Ainda assim, foi a equipa da Beira Alta a manter um ascendente na partida.

Numa primeira parte em que as balizas foram praticamente inexistentes, a melhor ocasião chegou já no minuto 45, com Fran Navarro a finalizar um ataque do Gil Vicente enviando a bola ao poste. Apesar deste lance, justificou-se o 0-0 com que chegámos ao intervalo.

Anúncio Publicitário

A segunda parte começou com João Pedro a testar o guarda-redes Kritciuk, que voou e respondeu positivamente ao remate. A resposta do Gil a este lance surgiu já ao minuto 55, mas o cabeceamento de Hackman não levou a direção da baliza.

Ao minuto 64, a melhor oportunidade para os homens de Barcelos: depois de uma grande defesa de Niasse ao cabeceamento inicial, Rúben Fernandes não conseguiu enviar a bola para uma baliza deserta. Os pupilos de Ricardo Soares aproveitaram este bom momento e até conseguiram marcar, mas o golo foi anulado por fora de jogo de Fran Navarro.

Os barcelenses mantiveram-se por cima até ao fim da partida, tendo melhorado muito com as substituições, sobretudo a entrada de Samuel Lino. O bom momento do Gil Vicente foi recompensado com o golo da vitória, ao minuto 87, através de um cabeceamento de Vitor Carvalho. Um golpe certeiro disferido perto do fim.

O Gil Vicente venceu em Tondela e vai, assim, defrontar o FC Paços de Ferreira na segunda eliminatória da Taça da Liga. Já os tondelenses, ficam por terra no primeiro jogo oficial da nova época.

 

A FIGURA

Carlos Silva / Bola na Rede

Samuel Lino – Não começou de início, mas entrou bem a tempo de mudar o rumo do jogo do Gil Vicente. A partir do momento em que foi opção, os gilistas pegaram no jogo e assumiram-se, até final, como donos e senhores do comando da partida. É a figura de proa da formação de Barcelos.

 

O FORA DE JOGO

Rúben Fonseca – O avançado do Tondela deixou muito a desejar. Quase sempre ao lado do jogo, não criou as movimentações de rotura a que Mario González habituou os adeptos beirões, nem tão pouco baixou para servir como apoio, de costas para a baliza. Precisa de mostrar mais para agarrar o lugar.

 

ANÁLISE TÁTICA – CD TONDELA

A nova época trouxe um novo sistema, passando Pako Ayestarán a apostar no 4-4-2 (pelo menos nesta partida). O meio-campo, só com João Pedro e Tiago Dantas, demonstra uma enorme qualidade no trato da bola e no passe, mas falta músculo. Na defesa, adivinham-se reforços para o setor central, enquanto o ataque ficou órfão de Mario González e ainda procura novo goleador.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Pedro Trigueira (6)

Tiago Almeida (5)

Jota Gonçalves (6)

Pedro Augusto (6)

Naoufel Khacef (6)

João Pedro (6)

Tiago Dantas (6)

Jhon Murillo (6)

Salvador Agra (6)

Rafael Barbosa (6)

Rúben Fonseca (5)

SUBS UTILIZADOS

Babacar Niasse (6)

Tomislav Strkalj (5)

Bebeto (6)

Souleymane Anne (5)

João Jaquité (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – GIL VICENTE FC

Também em 4-4-2, os homens de Ricardo Soares acusaram as muitas mudanças a que o plantel foi sujeito. Sobretudo nas saídas para o ataque, notou-se alguma descoordenação entre os jogadores, algo que, com o acumular de minutos, deve ser ajustado. Destaque para Kanya Fujimoto, que atuou como segundo avançado, mas alternou muitas vezes de posição com o ala direito, Léautey.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Stanislav Kritciuk (6)

Emma Hackman (6)

Lucas Cunha (6)

Rúben Fernandes(6)

João Talocha (6)

Vítor Carvalho (6)

Pedrinho (6)

Antoine Léautey (6)

Bilel Aouacheria (5)

Kanya Fujimoto (6)

Fran Navarro (5)

SUBS UTILIZADOS

Murilo Souza (5)

Samuel Lino (6)

Matheus Bueno (5)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

CD Tondela

BnR: Na última época, o Tondela apresentou mais vezes um 4-3-3, mas hoje alinhou em 4-4-2. Foi algo circunstancial ou pode ser uma hipótese para a nova época?

Pako Ayestarán: Já no fim da última época jogámos assim algumas vezes. Com os jogadores que temos, sentimos que não tínhamos ninguém para jogar a trinco. Como sabem, ainda faltam reforços para a defesa, meio-campo e ataque, por isso só quando tivermos todos é que vamos perceber como vamos jogar.

 

Gil Vicente FC

BnR: Sobretudo a partir do momento das substituições, o Gil Vicente ficou por cima do Tondela. O que é que sentiu que era preciso alterar na equipa?

Ricardo Soares: Começámos mal, a primeira linha de pressão falhou completamente. Ao intervalo, corrigimos isso e, a partir do momento que entraram os três jogadores, ficámos melhores nesse aspeto. Senti, sobretudo, que estávamos mais frescos que o Tondela, e aproveitei também isso para podermos passar a eliminatória. Apesar de eu ver este jogo como mais um encontro de pré-época, queríamos passar e conseguimos.

Artigo revisto por Gonçalo Tristão Santos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome