Anterior1 de 3Próximo

A jornada um do grupo C da Allianz Cup cessa hoje com o Sporting Clube de Portugal a receber o Rio Ave FC. Os leões buscam a primeira vitória na presente edição à semelhança do Portimonense SC, que se deslocou a Barcelos e triunfou por 2-1. O clube de Alvalade é o atual detentor da competição, apresentando, no total, dois troféus.

Comparativamente ao desaire caseiro diante do Famalicão FC, Leonel Pontes faz descansar Renan, Mathieu, Coates, Bolasie, Miguel Luís e Doumbia. Ilori e Neto constituem a dupla de centrais e Borja ocupa a posição mais defensiva da lateral esquerda; no meio campo destaca-se o regresso de Bruno Fernandes e, na linha da frente, Jesé junta-se a Vietto e Acuña. Um 4x3x3 mesclado com um 4x4x2 pelo facto de o nove leonino recuar, durante o decorrer do jogo, e ser o quarto homem do meio campo. Por sua vez, os vila-condenses apresentam-se com o 4x4x2 habitual, com destaque para a ausência de Bruno Moreira e Felipe Augusto.

Apito inicial, jogo muito físico e uma recuperação de bola à entrada da área do Rio Ave: Vietto fica senhor da situação, abre e desmarca Bruno Fernandes que falha defronte da baliza, escandalosamente. Vietto, dois minutos mais tarde, mostrava-se displicente face a um cruzamento milimétrico de Jesé. Seis minutos e duas oportunidades claras de golo. Ao décimo minuto de jogo, após tiro traiçoeiro do oito leonino, Vítor deixa escapar a bola, Jesé recupera-a, cruza para Vietto que, uma vez mais, vacilou diante do objetivo. Nem à terceira tentativa era de vez…

A equipa de Vila do Conde orquestrava boas movimentações, circulando rápido e os leões apostavam na exploração das costas do defesa esquerdo Amaral com diversas triangulações entre Rosier, Bruno Fernandes e Jesé. Mas subsistia a tática e batalha a meio campo e tudo se mostrava vago e inconclusivo. O cronómetro marcava meia hora de jogo.

O minuto 32 dita o 1-0 a favor dos vila-condenses, adiantando-se no marcador: Ronan, desde o seu meio campo, conduz a bola pelo flanco direito, serenamente, e aproveita a passividade de Rosier. A bola volta ao centro, o Sporting ataca e conquista um livre frontal à baliza do Rio Ave FC, o suspeito do costume encarrega-se da marcação do livre direto e faz embater a bola no adversário que se dispunha na barreira: 1-1, estava reposta a igualdade a mando de Bruno Fernandes.

À passagem do minuto 40, Bruno Fernandes, “do meio da rua”, dispara e o guarda redes vila-condense fica mal na fotografia, apesar de estar de mão dada com a sorte, pelo facto de permitir o canto. Três minutos mais tarde, Battaglia volta a lesionar-se e proliferam as dores de cabeça.

A primeira metade terminou com a igualdade a uma bola. Face às flagrantes oportunidades de golo, os leões podiam ter saído para o descanso com um ou até dois golos de vantagem, mesmo sem jogar com devoção alguma à listada verde e branca. Esperava-se uma mudança drástica de atitude para os 45 minutos que restavam.

Em menos de um mês, os vilacondenses vencem por duas vezes em Alvalade
Fonte: Liga Portugal

No começo da segunda parte, Rosier, numa investida atrapalhada pela ala direita, envia a bola ao poste. Ao minuto 50, numa rápida recuperação de bola iniciada por Vietto, os leões criam perigo: este conduz, ludibria Messias e, posteriormente, desmarca o oito leonino e este remata a rasar o poste. Logo a seguir, Jesé, à entrada da área, dispara. Vítor defende para o seu lado esquerdo e Acuña, vindo de trás, remata disparatadamente por cima da baliza.

O 58.º minuto vinca o primeiro livre frontal a favorecer o Rio Ave FC, no qual Borja é admoestado com a cartolina amarela. Luís Maximiano tranquilizou os adeptos, agarrando a bola.

O jogo voltava à pasmaceira que compôs parte da primeira metade. A turma leonina acusava uma falta de ritmo e uma ausência de soluções gritantes, sem poder de fogo ou frieza oportunista. Bruno Fernandes, sempre inconformado, combinava com Vietto em alguns momentos de jogo. Mas a cor dele era cinzenta e turva.

À passagem do minuto 72, Bruno Fernandes está envolvido numa confusão e sai da mesma amarelado. Volvidos dez minutos, o Rio Ave desfaz a igualdade: Amaral cruza para a área, Bruno Moreira apodera-se do esférico, observa Carlos Mané, coloca-lhe a bola na cabeça e este, de primeira, joga em Ronan que, diante do 81 leonino, vacila… a bola sobra para Felipe Augusto, mas é intercetada por Borja, ressalta novamente para Lucas Piázon e este, com a serenidade necessária, gelava Alvalade. O placard assinalava 1-2.

Até aos 98 minutos, a turma leonina tentou, em vão, chegar à igualdade. E soou o apito final. Os leões, uma vez mais esta época, caíram numa teia tática perdida a meio campo. Uma equipa sem garra, sem vontade e totalmente lunática é bem derrotada por uma formação vila-condense portadora de uma atitude completamente antitética.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

Sporting CP: Maximiano, Rosier, Neto, Ilori, Borja, Battaglia (Eduardo, 45′), Wendel (L.Phellype, 76′), Acuña, Jesé (Jovane, 84′), Vietto e B. Fernandes.

Rio Ave FC: Vítor, Borekovic, Messias, Junio, Amaral, Figueiras (Carlos Mané, 66′), Tarantini (Felipe Augusto, 46′), Jambor, Piázon, Ronan (B. Moreira, 67′) e Gabrielzinho.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários

Artigo anteriorQuem tem medo do Manchester United?
Próximo artigoAs 5 apostas de Sérgio Conceição
Casado há 18 anos com o Sporting Clube de Portugal e amante do Moreirense Futebol Clube, clube da terra na qual cresci e da qual me orgulho cada vez mais. Internacionalmente, o foco localiza-se no Liverpool FC e na massa adepta que considero fanaticamente apetecível e extremamente fidelizada para com a instituição que apoia, festejando cada golo como se do último se tratasse. Deste modo, a paixão futebolística faz companhia à escrita e à leitura tendo em mente a opção pela vertente jornalística.                                                                                                                                                 O Romão escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.