Cabeçalho Futebol NacionalNuma tarde solarenga no Estádio do Bonfim, o Vitória defrontou o Arouca para mais um jogo da Taça CTT. Cumpriu-se um minuto de silêncio em memória de Mário Picoto Flores, Uma das grandes referências do dirigismo desportivo de Setúbal.

O jogo começou logo com um ataque do Vitória, com Meyong a fazer um “chapéu” a Rui Sacramento, que passou muito perto da barra.

Com mais de um quarto de hora, o jogo estava muito partido, com poucas ocasiões para ambos os lados. A eficácia do Vitória levou a melhor e aos 20 minutos Vasco Costa coloca a equipa da casa em vantagem no marcador depois de um canto cobrado por Nuno Pinto.

O placard assinalava 40 minutos e o golo caseiro em nada alterou o jogo. Posse de bola dividida com apenas um lance de algum perigo por parte do Vitória. Ambam as equipas avançavam, mas nenhum ataque era levado até ao fim.

As equipas recolheram aos balneários com o Vitória a vencer o Arouca por uma bola a zero.

Anúncio Publicitário

Lito Vidigal mexeu na equipa, saindo Nelsinho para entrar Vítor.

O Arouca voltou mais atrevido, com a equipa da casa a facilitar de alguma maneira. Aos 54 minutos a bola bate no poste e vai parar às mãos de Trigueira, depois de um lance em que o Vitória premitiu que a equipa visitante tivesse tempo para tudo. No minuto a seguir o Arouca voltou a assustar, mas o guardião dos sadinos manteve a sua baliza inviolável. O Vitória reagiu a estes dois lances perigosissimos com contra ataques rápidos.

Livre perigoso para o Arouca aos 65 minutos, mas a barreira do Vitória não cedu e o perigo passou. Muito mais Arouca na segunda parte: mais bola e muito mais perigo do que na primeira parte.

Fonte: Vitória FC
Fonte: Vitória FC

Aos 73 minutos José Couceiro fez a última alteração do jogo. Depois de Zé Manuel entrar para o lugar de Thiago Santana e Mikel para o lugar do autor do golo, Vasco Costa, foi a jogo Edinho, saindo o quase veterano Meyong.

O primeiro amarelo da partida foi mostrado a Bonilha, concedendo assim um livre ao Arouca que poderia ter dado golo não fosse a intervenção de Trigueira. Nota (muito) positiva para o guarda redes do Vitória. Logo a seguir, Zé Manuel viu também um amarelo, este por simulação.

Desconcentração: o Vitória mostrou muita desconcentração na segunda metade da partida.

O Arouca esgotou as substituições a cinco minutos dos 90’. Entrou no jogo Bruno Lopes e Valente, para substiuir Walter e Artur, respetivamente.

O árbitro Luís Ferreira deu quatro minutos de compensação, depois das várias assistências prestadas a Trigueira na segunda parte.

Nos minutos finais Mikel ainda conseguiu ganhar um canto, que valeu um amarelo a Nuno Pinto (por demorar muito tempo a marcar). O Vitória fez pouco para chegar ao golo e o canto nem à área chegou.

Terminou assim a partida no Bonfim, com o Vitória a vencer o Arouca por um golo. A equipa de Lito Vidigal ainda tentou chegar ao golo, mostrando-se atrevida nos segundos 45 minutos, mas os sadinos levaram a melhor e podem continuar a sonhar com a passagem à próxima fase. Isto se, claro, o Sporting vencer o Varzim, como será de esperar.