O Académico de Viseu FC recebeu e venceu o CD Feirense por uma bola a zero. O tento foi apontado por Latyr Fall, mas fica na retina a boa exibição de todo o conjunto academista.

O jogo começou com os feirenses a ameaçarem de pronto a baliza de Ricardo Fernandes, logo aos 30 segundos. Élvis Baldé conduziu a bola pela direita e disparou forte desde a entrada da área, mas o remate passou ligeiramente ao lado. Da outra parte, o primeiro remate à baliza surgiu aos sete minutos, numa tentativa do lateral direito Yang, que fez o seu segundo jogo consecutivo como titular.

Depois destes dois ameaços iniciais, o perigo só voltou a rondar uma das balizas, neste caso a dos viseenses, em cima do quarto de hora de jogo. Zé Ricardo avançou pelo corredor esquerdo da turma de Santa Maria da Feira, cruzou a bola, que passou entre o guardião e a linha defensiva do Académico, e por pouco não teve a correspondência de Vítor, ao segundo poste.

A resposta dos academistas só veio aos 29 minutos, mas foi na sequência de um lance que a pressão alta sobre o adversário deu frutos. Ao tentar sair a jogar desde trás, Fábio Espinho acabou por ceder ao congestionamento que lhe foi imposto por João Oliveira, tendo este último arrancado, de seguida, o cruzamento para Jean Patric, mas o remate do extremo saiu muito por cima da baliza de Caio Seco.

Anúncio Publicitário

A partida ganhou vivacidade e, logo de seguida, Feliz colocou à prova os bons reflexos de Ricardo Fernandes, eles que foram companheiros no agora primodivisionário Famalicão. No lado oposto, João Mário roubou a bola a Ícaro junto à grande área do Feirense e ficou isolado na cara de Caio Secco, mas o guarda-redes brasileiro não deixou que o avançado moçambicano inaugurasse o marcador.

A cinco minutos do intervalo, os academistas chegaram mesmo a introduzir a bola na baliza adversária, mas Jean Patric estava em posição irregular no momento do cruzamento de Jorge Miguel. Este foi mesmo o último lance relevante do primeiro tempo, tendo chegado o intervalo com um 0-0 no marcador, que castigava mais a exibição dos viseenses do que a dos feirenses.

O jogo começou a um ritmo baixo, mas este foi aumentando com o desenrolar da partida
Fonte: Bola na Rede

Durante o intervalo, destaque para a homenagem feita pelo Académico de Viseu aos jovens que representam os escalões inferiores do clube, destacando-se destes a equipa de sub17, que conquistou o título distrital na temporada 2018/19.

De volta ao encontro, o início da segunda parte trouxe um cenário idêntico ao do primeiro tempo, com o “sinal mais” do jogo a pertencer aos viseenses. No entanto, a primeira situação evidente de golo pertenceu ao Feirense, com Fábio Espinho a colocar João Víctor na cara de Ricardo Fernandes, mas com o guarda-redes português a fazer uma mancha impecável e a negar o tento de abertura ao avançado brasileiro.

Os ataques da equipa da Beira Alta iam-se sucedendo, ora pela direita com Luisinho, ora pela esquerda com Jean Patric, ou até pela zona central, onde Zimbabwe e João Oliveira funcionaram como dois verdadeiros catalisadores de jogo. Também os laterias Yang e Jorge Miguel projetaram-se bastante no terreno, o que colocava dificuldades à linha recuada dos comandados de Filipe Rocha.

Aos 68 minutos, o Estádio do Fontelo “explodiu” de alegria após João Oliveira ter introduzido a bola na baliza de Caio Secco… mas o golo viria a ser anulado, por alegada falta sobre Ícaro. Este lance levou mesmo a um desentendimento entre adeptos de ambos os clubes, o que resultou na intervenção das forças de segurança nas bancadas.

Quando os ânimos serenaram e o jogo recomeçou, o Académico de Viseu fez valer o velho ditado: à terceira, foi de vez. Após insistência de João Mário, este conseguiu cruzar para o meio da área, zona onde Latyr Fall apareceu e finalizou, numa jogada que não deixou qualquer dúvida e que foi validada. Estava finalmente inaugurado o marcador, de forma justa, para o lado dos viseenses.

Os homens de Santa Maria da Feira responderam perto dos 80 minutos, através de um livre direto, mas Ricardo Fernandes voltou a mostrar-se muito atento e defendeu com segurança. Já para lá do minuto 90, Nsor, que na época passada representou os viseenses, enviou uma bola à trave, numa altura do jogo em que o Feirense tentava por todos os meios chegar ao golo do empate e, consequentemente, forçar o prolongamento.

No entanto, o jogo terminou mesmo com a vitória do Académico de Viseu pela margem mínima, que assim se apura para a próxima eliminatória da “prova Rainha”.

 

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

Académico de Viseu FC: Ricardo Fernandes; Yang; Steven Pereira; Mathaus; Jorge Miguel; João Oliveira; Zimbabwe; Latyr Fall; Jean Patric; Luisinho (Bruninho, 90+3’); João Mário (Anthony Carter, 88’).

CD Feirense: Caio Seco; Edson Farias; Ricardo; Ícaro; Zé Ricardo; Ramires; Vítor (Boupendza, 74’); Fábio Espinho; Élvis Baldé (Fati, 71’); Feliz; João Víctor (Nsor, 65’).