Anterior1 de 3Próximo

Cabeçalho Futebol NacionalTarde de sol, com uma brisa por vezes forte, foi assim que o Magalhães Pessoa se preparou para receber a eliminatória que punha frente a frente as equipas da União de Leiria e do Sporting de Espinho.  O primeiro classificado da Série C do Campeonato Nacional de Seniores recebia, no seu estádio, o segundo da Série B, num jogo que se adivinhava equilibrado.

Com os primeiros minutos a serem de estudo mútuo e muito jogados a meio campo, com um ou outro remate sem perigo dos visitantes, o jogo teve o seu primeiro lance de verdadeiro perigo à passagem dos 21 minutos, com o avançado João Vieira, após um ataque rápido da equipa da casa, a rematar sobre a barra da baliza adversária, já dentro da grande área, descaído para o lado esquerdo da mesma.

Estava dado o mote, e minuto após minuto notava-se um maior controle da equipa da cidade de Leiria. Aos 25 minutos de novo João Vieira, num trabalho individual a tirar dois adversários da frente e a ser carregado quando se preparava para entrar na grande área do Espinho. Amarelo que ficou por dar ao defesa do Sp. Espinho – confesso que a arbitragem ao longo do jogo não foi brilhante, mesmo não tendo influência no resultado. Na cobrança do livre, Pepo, médio leiriense provocou a primeira defesa da tarde ao guardião do Espinho Bruno Silva, que desviou a bola para canto.

Chegado o minuto 31, assistiu-se ao primeiro do jogo. Quem mais? João Vieira, descaído agora pelo lado direito da grande área rematou à baliza, em mais um lance rápido do ataque dos da casa. O guarda redes dos visitantes ainda defendeu o primeiro remate, mas, na recarga, João Vieira fez a bola beijar as redes pela primeira vez, numa execução de qualidade.

Até ao intervalo apenas realce para o primeiro cartão amarelo do jogo, mostrado ao defesa do Espinho João Ricardo, numa carga dura sobre um adversário.

O União de Leiria, da série C, defrontou o Sporting de Espinho, da série B, ambos do Campeonato de Portugal Fonte: União Desportiva de Leiria
O União de Leiria, da série C, defrontou o Sporting de Espinho, da série B, ambos do Campeonato de Portugal
Fonte: União Desportiva de Leiria
Anúncio Publicitário

 

Chegou-se ao intervalo sem mais lances de relevo, com a União a ir para os balneários a vencer por 1-0.

Segunda parte sem substituições. O Espinho tinha, nos primeiros minutos da 2ª parte, mais bola, procurando a equipa da casa saídas rápidas para o ataque.

E apesar de ter mais bola, os lances de oportunidades claras não surgiam. Em contrapartida a União criava os lances mais perigosos: aos 54 minutos foi Leandro, o outro avançado leiriense, a finalizar mal um lance que prometia outro desfecho. E aos 57 minutos, após uma bola parada, o Leiria ganha a segunda bola, e João Vieira, aparece na grande área para fuzilar Bruno Silva: um remate que sobrevoou o guarda redes adversário, forte, colocado, naquele que seria o momento do jogo. E a equipa visitada estava cada vez mais próxima da fase seguinte da Taça de Portugal.

A partir daqui as substituições e algumas assistências a jogadores quebraram um pouco o ritmo de jogo. Ainda assim, aos 66 minutos o médio da casa Alhandra tenta, de fora da área, um golo de antologia, mas sem sucesso.

Realce para o minuto 69, com Bruno Moraes, esse mesmo, o ex Futebol Clube do Porto de Mourinho, a ser a terceira e última aposta do treinador também razoavelmente conhecido pelos adeptos em geral, Rui Quinta.

O Sp. Espinho foi pois o dono da bola na maior parte do jogo na última meia hora, tendo conseguido ganhar alguns livres à entrada da área do Leiria, conseguindo não poucas vezes, e sobretudo pelo recém entrado Samu, cruzamentos já perto da área do Leiria, mas todos estes lances acabaram por uma ou outra razão por não passarem de meias ocasiões.

Bastantes bolas para a área, uma ou outra defesa mais apertada do guarda redes do União, mas o resultado havia de não sofrer alterações até ao fim dos 95 minutos dado pelo árbitro da partida. Apenas de realçar o vermelho directo ao médio do Leiria Diego, já bem no fim da partida, que havia entrado pouco antes, o qual se justificou face à tentativa de agressão a um adversário.

Vitória justa, da equipa mais madura, mais equilibrada, que soube dominar o jogo em algumas partes do mesmo, e controlá-lo noutras.

E assim continua o Leiria a sua saga só de vitórias: são já nove oficiais. E agora o que se pretende? Um grande em casa? Ou uma equipa que abra boas perspectivas para a fase seguinte da Taça de Portugal?

Anterior1 de 3Próximo

Comentários