cartaaberta

A 31 de Maio de 2016, Paulo Fonseca despediu-se da estrutura bracarense. Depois de uma época fantástica, penso não estar enganado quando te digo que se um dia pretenderes voltar a porta está aberta.

Depois de ajudar a escrever mais uma epístola no evangelho bracarense, segue-se o Shakthar em terras de leste. Os Bracara Augustanos ficaram encantados e agradecidos com a tua simpatia e coragem, que acabou por nos conquistar a todos e à Taça de Portugal. Por Braga, desejam-se as maiores felicidades para ti, já que nos deste muitas durante o ano, chegando a culminar com misticismo e alegria, e num jogo de Guerreiros, a temporada do mágico Braga. Numa época em que vimos um pouco de tudo em todas as competições, compreende-se a tua partida. Revelaste que um grupo de trabalho é superior às individualidades, e que estas a existirem são potenciadas pela união. A verdade é que não queríamos a tua ida. A maldosa mentira, é que já seguiste o teu caminho.

A porta está sempre aberta para Paulo Fonseca Fonte: SC Braga
A porta está sempre aberta para Paulo Fonseca
Fonte: SC Braga

Não te esqueças de onde sais. Foi aí que reapareceste para o mundo do futebol. Fizeste o teu caminho acompanhado de uma massa associativa que sempre te apoiou e te acalorou. Essa, que no momento da despedida se sentiu feliz por ouvi-lo da tua boca. Não te percas, e vê por onde e para onde vais. Desejamos-te as maiores alegrias do mundo, e se voltares a defrontar-nos, agora com a camisola do inimigo, vai custar, mas esperemos que neste caso único percas. (A não ser que seja a duas mãos – queremos que percas as duas partidas). Pelo que sei, a escolha que fizeste foi acertada na medida em que todos temos de precaver o nosso futuro.

Foram razões económicas que pesaram e de facto, frente a ucranianos só mesmo os russos. Bem podias ter aguardado este ano de contrato para no fim saltares. Mas compreendemos a tua decisão e acima de tudo respeitámos. Não cedeste ao mesmo dinheiro que movimenta o futebol, e te poderia ter colocado num rival da mesma Liga. Para nós foi bom, e um acto de respeito ter visto isso. Se tu reconheces o nosso valor e dás o exemplo, é porque o merecemos. És um vencedor e que assim continues.

Agora falando mais a sério, de Pedro para Paulo. Numa conversa apostólica vou tentar explicar esse paulinismo que tentaste imprimir na equipa bracarense. Revigoraste o nosso estilo de jogo e tornaste-o apelativo e desejado no futebol ao ponto de seres reconhecido por isso.

Deixaste-nos no nosso lugar mínimo e aceitável na liga é verdade, mas privilegiando outras competições. Fizeste-nos conquistar algo. Algo que até nos fugia há muito tempo. Encontraste Jesus pelo caminho, no intitulado melhor jogo do ano, e festejaste. Colocaste-nos no lote europeu em destaque e com um valor muito próprio e sem repetição. Mostraste que o Braga é um clube enorme e que merece crescer pelo esforço que tem vindo a fazer ao longo do tempo. Enfim, ajudaste a escrever o novo testamento do Braga. Em situações demasiado normais prevalecia a realidade e o sonho estaria distante. O que fizeste foi o contrário de tudo isto. Colocaste-nos no sonho e afastaste a realidade quente/fria que há muito vivíamos. As maiores felicidades para ti e para os teus e que o futebol esteja sempre contigo como esteve no meio de nós!!

Força, Paulo Fonseca!

Comentários