António Pedro Pina Gomes é o nome de um jovem futebolista português, pouco conhecido por terras lusas, que poderá fazer história em Itália. Nascido a 29 de agosto do ano 2000 em Lisboa, António Pedro começou a sua carreira no Amora FC, emblema do concelho do Seixal (Área Metropolitana de Lisboa). No entanto, a jovem promessa do Amora haveria de emigrar para o Luxemburgo, um país com pouca relevância no panorama europeu do «desporto-rei», pese embora o visível crescimento que a modalidade tem vindo a registar nestes últimos anos. Aí prosseguiu o seu processo de formação no FC Rodange, onde depressa se destacaria, sendo que, aos 15 anos, já era chamado para integrar a seleção de sub-17 daquele país, constituída por uma das mais talentosas gerações de futebolistas do Luxemburgo.

“Pedro Pina”, o talento que transpôs fronteiras

No entanto, a qualidade que o extremo evidenciava nos relvados luxemburgueses tinha ambições maiores, as quais seriam, cerca de ano e meio depois, atendidas com a chamada para representar a sua pátria natal: Portugal.

Por conseguinte, a 7 de maio de 2016, António Pina Gomes fazia a sua estreia pela seleção de sub-16 lusa, num encontro de caráter amigável ante a congénere turca. Iniciara-se, assim, um trajeto que tem tido alguma continuidade (presentemente, é internacional sub-19), pese embora não tenha sido convocado para as últimas partidas referentes à fase de grupos da ronda de qualificação para o Campeonato da Europa daquele escalão, que se realizaram em março passado.

Ainda com idade de juvenil (15 anos), António Pina Gomes faria a sua estreia pelos seniores do FC Rodange 91
Fonte: FC Rodange 91

O salto para o Calcio, como «prenda de aniversário»

Ora, à estreia com a camisola da seleção nacional, seguir-se-ia um outro marco na carreira do extremo: precisamente no dia em que completou 16 anos, a 29 de agosto de 2016, António Gomes viu ser consumada a sua transferência para a Atalanta Bergamasca Calcio, emblema italiano da região da Lombardia que tem investido bastante no desenvolvimento dos seus escalões de formação, oferecendo, paralelamente, um relevante contributo no processo de renovação que tem vindo a ser implementado pela seleção Azzurra.

Note-se, por exemplo, o facto de pelas camadas jovens da Dea terem passado, ao longo dos últimos seis anos, jogadores como o médio defensivo Roberto Gagliardini (FC Internazionale Milano) ou Mattia Caldara (atualmente a representar o AC Milan) e, mais recentemente, Alessandro Bastoni (promissor defesa central italiano, nascido em 1999, que há cerca de dois anos foi adquirido pelo Inter por cerca de 31M de euros). De salientar, ainda, o facto de Filippo Melegone, o atual capitão da seleção italiana de sub-20, ter sido formado na Atalanta.

Deste modo, António Pina Gomes passou a integrar uma ambiciosa equipa e, logo no seu primeiro ano em Itália, que culminou com a conquista do Campionato Nazionale Allievi Professionisti (campeonato nacional de juvenis, primeira divisão), o jovem extremo português revelar-se-ia um elemento importante na formação orientada pelo italiano Massimo Brambilla, essencialmente no decurso da segunda volta do campeonato (disputando 12 partidas e marcando três golos).

Um português «desconhecido» à conquista do bicampeonato de juniores em Itália

Na época seguinte, não obstante a sua não utilização em qualquer partida, a Atalanta sagrar-se-ia campeã da Primavera 1 (campeonato italiano de juniores, primeira divisão), feito que poderá ser repetido já num futuro próximo, na medida em que a quatro jornadas do conjunto liderado por Massimo Brambilla, atualmente líder da prova, possui uma vantagem de sete pontos em relação ao segundo classificado, o Inter. Contudo, desta vez, o extremo natural de Lisboa poderá inscrever o seu nome na inédita conquista do bicampeonato de juniores por parte do emblema bergamasco, uma vez que foi (até agora) utilizado em três partidas da referida prova.

 

Foto de Capa: Atalanta Bergamasca Calcio

Comentários