Edmond Fayçal Tapsoba nasceu a 2 de fevereiro de 1999 em Ouagadougou, a cidade capital do Burquina Faso, nação localizada no interior do Oeste de África.

Após passar pelos escalões de formação de uma das mais afamadas academias do seu país, o Salimata Taséré Football Club (vulgo, Salitas FC), Tapsoba ingressou na Union Sportive de Ouagadougou, um conjunto do principal escalão na hierarquia do futebol burquinês. Posteriormente, no verão de 2017, rumou a Portugal para representar a equipa de juniores do Leixões SC. Ora, depois de se exibir em bom plano na excelente campanha da turma matosinhense – obtenção do segundo lugar na Primeira Fase do Campeonato Nacional da I Divisão da referida categoria -, foi contratado, em janeiro de 2018, pelo Vitória SC.

Um talento que (depressa) conquistou Guimarães:

Depois de concluir a época de 2017/2018 pela formação de sub-19, Tapsoba foi promovido à equipa B, onde rapidamente se impôs, pese embora o facto de se estar a estrear como profissional por terras lusas: 30 jogos e sete golos marcados, sendo, de resto, o segundo atleta que mais minutos somou. Assim, não obstante a temporada globalmente negativa, que culminou com a despromoção do conjunto orientado por Alex ao CNS, o futebolista natural de Ouagadougou emergiu (tal como Yakubu Aziz ou El-Musrati) como uma das revelações da Segunda Liga.

Como joga:

Tapsoba é um defensor de grande envergadura (192 centímetros e 82 quilogramas), caraterística da qual se faz valer, para se superiorizar ao seu adversário no «um para um». No que concerne ao capítulo defensivo, merece destaque a inteligência com que aborda os lances, na medida em que procura (quase sempre) efetuar o desarme de modo a facilitar a construção de jogo por parte da sua equipa. Nota, ainda, para a sua polivalência, uma vez que tanto pode atuar do lado direito, como do lado esquerdo do eixo central da defesa.

Por outro lado, e a nível ofensivo, realce-se a sua notável capacidade de passe (em particular, de longa distância), o seu forte jogo aéreo e, ainda, a sua apetência para marcar grandes penalidades.

A par dos, também africanos, Yakubu Aziz e El-Musrati, Edmond Tapsoba sobressaiu na equipa B e ambiciona, agora, uma oportunidade no plantel treinado por Ivo Vieira
Fonte: 10 Management Ltd.

Um paralelismo com outros Vitorianos:

Ora, cientes da valia e potencial de Edmond, os responsáveis do Vitória optaram, ainda no decurso da época, por prolongar o vínculo que o ligava ao emblema da «Cidade do Berço», com o atleta a ficar resguardado por uma cláusula de rescisão cifrada em 20 milhões de euros.

Por conseguinte, e atendendo a que o jovem defesa de 20 anos tem figurado entre as escolhas de Ivo Vieira nos trabalhos de pré-época do plantel principal, acredito que se esteja perante a de uma política da qual os “Conquistadores” têm vindo a fruir num passado recente: a aposta em jovens valores do futebol africano, que após um curto período de adaptação ao nosso país (normalmente, uma época ao serviço da equipa B) se valorizaram (desportiva e financeiramente) na formação principal, tal como se sucedera com Bernard Mensah, Zungu ou Ghislain Konan.

Foto de Capa: 10 Management Ltd.

Comentários