Esmaël Ruti Tavares Cruz da Silva, ou simplesmente ‘Isma’, é um nome que pouco diz a quem acompanha a realidade do desporto-rei em Portugal

Outrora uma promessa da formação do Boavista FC, decorria o Verão de 2008 quando este avançado nascido na cidade capital da Guiné-Bissau a 25 de junho de 1991 e ex-internacional sub-17 por Portugal (somou, de resto, três aparições com a camisola das Quinas) decidiu deixar o território luso para se aventurar, pela primeira vez, no estrangeiro com, somente, 17 anos.

O destino escolhido? França, mais concretamente, a cidade de Nice – situada na pitoresca bregião da Côte d’Azur -.  Aí ingressou, primeiramente, na equipa de juniores do OGC Nice, tendo, depois, passado a integrar a equipa B e, por fim, a formação principal dos Les Aiglons, estreando-se, a 30 de janeiro de 2011, num encontro referente à 21.ª jornada da Ligue 1 (o principal escalão na hierarquia do futebol francês) frente ao FC Girondins Bordeaux.

Em Nice, permaneceu quatro anos e, apesar do registo positivo alcançado na temporada de 2011/2012 (19 jogos; três golos; três assistências), Esmaël – então com 21 anos – entendeu prosseguir a sua carreira noutras paragens, tendo em vista a sua afirmação enquanto futebolista profissional.

Apostado em dar um novo sentido à sua carreira, o avançado/extremo luso-guineense regressou a Portugal, desembarcando na cidade piscatória de Vila do Conde, para representar o Rio Ave FC.

 

Relegado por Nuno Espírito Santo

Sob as ordens do técnico Nuno Espírito Santo – atualmente ao serviço do Wolverhampton Wanderers -, que, por esta altura, dava os seus primeiros passos enquanto treinador principal, Esmaël vivenciou uma época inaugural de escassa utilização (disputou, somente, oito encontros, nas três competições de âmbito nacional) e acabou por ser emprestado aos escoceses do St. Mirren FC, na reabertura do mercado de transferências, o que em grande parte se deveu à emergência de um jovem avançado egípcio de 19 anos, de seu nome Ahmed Hassan (agora a atuar no Olympiacos CFP) e a João Tomás, goleador português que, já em fase final da sua carreira, se sagrou naquela temporada o segundo melhor marcador dos Vilacondenses.

Isma é hoje uma das figuras da formação orientada por Shota Arveladze
Fonte: MK Football Management

A ganhar fôlego na Escócia e a continuidade no Chipre

Ao serviço dos The Buddies, o avançado ex-internacional sub-17 por Portugal exibiu-se a grande nível (16 jogos; oito golos; duas assistências), contribuindo, em larga escala, para a excelente campanha protagonizada pela formação orientada por Danny Lennon e que atingiu o seu auge, aquando da conquista da Scottish League Cup , em março de 2013, após ter derrotado o Heart of Midlothian FC, num jogo em que ‘Isma’ desempenhou um papel decisivo, ao marcar o golo inaugural e fazendo a assistência que originou o terceiro.

Contudo, e não obstante as prestações bastante positivas alcançadas durante a sua passagem pela Escócia, o avançado luso-guineense voltou a não figurar nas opções de Nuno Espírito Santo e foi, novamente, emprestado, desta feita ao Apoel Nicósia, onde voltou a estar em bom plano, afirmando-se como presença assídua no onze do conjunto cipriota, primeiramente, sob o comando do português Paulo Sérgio e, posteriormente, orientado por Georgios Donis.

 

Nova vida com Pedro Martins e um golo para a história

No regresso a Vila do Conde, Esmaël dispôs finalmente de espaço para demonstrar o seu valor, sendo utilizado, com regularidade, por Pedro Martins nas diversas competições em que os Vilacondenses estavam inseridos (Primeira Liga; Taça de Portugal; Taça da Liga e Liga Europa).

Na verdade, ‘Isma’ Gonçalves, no decurso da sua segunda passagem pelo Rio Ave FC, foi protagonista de um dos momentos mais elevados da história do clube, na medida em que foi ele o autor do golo que, já para lá do tempo regulamentar, permitiu derrotar a formação sueca do IF Elfsborg e, por conseguinte, assegurar, pela primeira vez, a presença do clube na fase de grupos da Liga Europa.

 

Por onde anda Esmaël Gonçalves?

Atualmente com 28 anos e já internacional A pela Guiné-Bissau, o móvel avançado encontra-se a representar o Pakhtakor Tashkent, emblema que terminou na primeira posição a fase regular do principal escalão da hierarquia do futebol do Uzbequistão. Na referida prova, ‘Isma’ tornou-se o melhor marcador, com 13 golos em 22 encontros.

Foto de Capa: Rio Ave FC

Comentários