olheiro bnr

Os exemplos de filhos de antigos jogadores que tentaram seguir as pisadas do progenitor são muitos, no entanto, nem sempre “filho de peixe sabe nadar”. No caso de Gonçalo Paciência, foi desde cedo apontado a grandes palcos, só que o filho de Domingos Paciência tarda em comprovar o potencial nele depositado. Más opções de carreira e falta de oportunidades têm adiado a afirmação e esta temporada pode ser decisiva.

Domingos Paciência fez a bola beijar as redes 142 vezes com a camisola do FC Porto e foi durante muitos anos a referência ofensiva dos azuis e brancos, pelo que as expectativas em torno do seu filho foram sempre muito elevadas. Gonçalo nasceu em 1994 e depressa se juntou à formação dos dragões, tornando-se figura de destaque tanto no clube como nos escalões jovens da seleção nacional.

As duas primeiras temporadas como sénior na equipa B dos azuis e brancos até correram bem, sendo que na segunda chegou mesmo a estrear-se pela equipa principal. O passo seguinte era lógico, sem espaço no plantel, estava na altura de ir para a Liga NOS. As portas da primeira abriram-se através da Académica. A escolha dificilmente podia ter sido pior. O clube de Coimbra jogava mal, muitas vezes optando por bater direto, com Gonçalo sozinho na frente, um jogo que não favorece, de todo, as suas características. O clube acabou por descer e o jovem avançado foi várias vezes preterido em função de Rafael Lopes.

Enquanto Gonçalo estava em Coimbra, no Porto apareceu como uma bomba André Silva, que acabou por ocupar a vaga de Paciência no plantel principal. Seguiu-se o Olympiakos, naquela que se revelou outra péssima escolha de carreira. Praticamente não jogou e nem sequer foi inscrito na Liga dos Campeões. Em janeiro trocou os gregos pelo Rio Ave. Lá, convenceu Luís Castro e conquistou a titularidade, ainda assim só conseguiu marcar um golo.

Anúncio Publicitário
Fonte: Facebook Oficial de Gonçalo Paciência
Fonte: Facebook Oficial de Gonçalo Paciência

Chegamos então ao início da presente temporada. André Silva saiu para o AC Milan e Aboubakar tinha o futuro incerto, mas nem assim Gonçalo foi opção para Sérgio Conceição. Novo empréstimo, desta feita ao Vitória de Setúbal. José Couceiro costuma lançar e moldar os jogadores jovens, o que juntamente com o tipo de futebol que as suas equipas praticam, são duas razões para este ser o clube certo. Para já começou como suplente, entretanto ganhou a titularidade e leva já um golo, marcado na vitória frente ao Sp. Braga.

Gonçalo Paciência é um avançado extremamente evoluído tecnicamente, mas falta-lhe uma maior veia goleadora. É também um jogador alto, ainda assim não impressiona fisicamente e é razoavelmente rápido. Futebol apoiado e ataque planeado é o tipo de jogo que mais o beneficia, sendo que uma parceria numa formação com dois avançados também pode ser uma solução interessante (chegou a fazer dupla com André Silva na equipa B do FC Porto). Certo é que está com 23 anos e ainda não se conseguiu afirmar, dando até ideia de estar descartado pelos dragões e tem aqui uma última oportunidade para confirmar todo o seu potencial e fazer jus ao apelido.

Foto de Capa: Facebook Oficial de Gonçalo Paciência