Nascido a 21 de maio de 1991, em Três Rios (estado do Rio de Janeiro), Guilherme Costa Marques foi revelado pelo Paraíba do Sul FC, emblema do estado carioca ao qual se juntou com 15 anos. Aí, depressa se destacou nas denominadas «categorias de base» e, com somente 16 anos, já lhe era concedida a oportunidade de se estrear pela equipa principal.

Posteriormente, aos 17 anos, após conquistar o Campeonato Estadual da terceira divisão de sub-20 e de despertar o interesse de vários clubes brasileiros, «Guilherminho», alcunha pela qual é conhecido na terra natal, optaria por emigrar pela primeira vez e, desta feita, rumar a Portugal para integrar os sub-19 do SC Braga.

Chegado ao nosso país, o jovem médio mostrou-se determinado em não deixar que aquela grande mudança se fizesse notar dentro das «quatro linhas», e consegui-o, ao ponto de merecer a confiança de Domingos Paciência – à época, treinador da equipa principal dos Arsenalistas -, que, em janeiro de 2010, o fez estrear numa partida relativa à fase de grupos da Taça da Liga, diante da União de Leiria.

No entanto, e não obstante o seu talento inegável, a afirmação do jovem brasileiro ficaria, em parte, comprometida devido à forte concorrência; em particular, a preponderância de uma dupla composta pelos seus compatriotas Alan e Mossoró (dois dos mais emblemáticos futebolistas que representaram o SC Braga durante a última década).

Assim sendo, na temporada seguinte, o médio viria a disputar oito partidas (marcou dois golos), enquanto na época de 2011/2012, e já sob orientação de Leonardo Jardim, a sua contribuição se resumiria a uns escassos 29 minutos de utilização – contabilizados ainda em agosto – na UEFA Europa League, seguindo-se um empréstimo ao «vizinho» Gil Vicente FC. Terminado o período de empréstimo, o meio-campista acabou por ser integrado na recém-constituída equipa B dos bracarenses, ao serviço da qual protagonizou uma temporada bastante positiva na Segunda Liga.

O talento escondido em Portugal que «virou» ídolo na Polónia

Apercebendo-se de que a permanência em Braga não iria favorecer a sua evolução, Guilherme decidiu não renovar e deixou o clube no verão de 2013, regressando ao Brasil. Sensivelmente seis meses depois, as portas da Europa abriram-se novamente, com o criativo – então com 22 anos – a rumar à Polónia para assinar pelo Légia de Varsóvia.

A experiência na capital polaca até nem começou da melhor maneira, com o médio a contrair uma rotura de ligamentos logo após os dois primeiros jogos ao serviço do clube, o que fez com que apenas realizasse três partidas até ao fim da temporada que culminou com a conquista do título de campeão da Ekstraklasa. Porém, as épocas seguintes trouxeram a estabilidade de que necessitava para assentar o seu jogo e se assumir como uma das figuras do futebol de posse praticado pelos Legioniści, atuando ora descaído sobre uma das alas, ora como segundo médio mais recuado num esquema-tático 4-2-3-1 (sobretudo, quando foi treinado por Stanislav Cherchesov, atual selecionador da Rússia, na época de 2015/2016).

Aquando da sua passagem pelo Légia, Guilherme Marques tornou-se o sétimo futebolista brasileiro com maior número de partidas realizadas na primeira divisão polaca
Fonte: Legia Warszawa

Por conseguinte, o êxito de Guilherme Marques no melhor período da história do Légia (conquista do tricampeonato, de taças e as sucessivas participações na UEFA Champions League) fez-se ecoar além-fronteiras, com o médio esquerdino natural de Três Rios a assinar, em janeiro de 2018, pelos italianos do Benevento Calcio, pondo fim a uma ligação de quatro anos (150 jogos; 21 golos e 23 assistências) ao clube de Varsóvia.

Aos 26 anos, Guilherme dava, assim, um novo impulso à carreira, ao ter a oportunidade de disputar um dos campeonatos mais exigentes da Europa, a Serie A italiana. Ora, apesar de, a nível coletivo, a experiência no clube da «Cidade das Bruxas» ter sido negativa (despromoção à Serie B), o habilidoso médio brasileiro acabou por se exibir em bom plano, participando em 12 partidas da primeira divisão do futebol transalpino, marcando dois golos e fazendo duas assistências.

Com a chegada da presente temporada, o médio que passou pela formação do SC Braga voltou a mudar de ares, rumando ao Yeni Malatyaspor, formação do principal escalão na hierarquia do Futebol turco. No atual quinto lugar do campeonato turco, Guilherme Marques totaliza (na referida prova)  24 jogos, cinco golos e sete assistências (trata-se do futebolista com maior número de assistências da sua equipa), efetuando uma média de (1,3) passes decisivos por encontro.

Resta, agora, ao futebolista canarinho, dar continuidade ao bom desempenho ao serviço do conjunto orientado por Erol Bulut para que possa progredir ainda mais na carreira.

 

Foto de Capa: Think Ball & Sports Consulting

Comentários