Já com meia temporada percorrida chegou a altura de colocar os olhos em cima daqueles, que no meio de tantos, se destacam pela sua irreverência e qualidade acima da média. Desta vez, o inglês que tem espalhado magia pelos relvados portugueses, Marcus Edwards, contratado ao Tottenham Hotspur FC. Aos 20 anos chegou com o rótulo de um dos maiores desequilibradores da sua geração, sendo que na primeira época como sénior nos holandeses SBV Excelsior deteve o título de jogador com mais dribles da época.

Edwards é, portanto, um desequilibrador nato, não se limitando a meter a bola na frente e correr, sempre que recebe a bola procura adornar o lance, o que acaba por colocar sérias dificuldade a quem o enfrenta. Por partir de situações de um para um, é um jogador de risco e em Portugal estes iluminados são muitas vezes repreendidos pelos seus atributos, mas é indiscutível que são jogadores desta linha e que trazem de volta a magia do futebol. O inglês ainda tem de melhorar a sua relação com a definição do último passe e mesmo a sua relação com o golo, apesar de já levar seis golos em 24, é curto para um jogador da sua qualidade. Para além disso, a sua capacidade de cruzamento é muito interessante, contabilizando quatro assistências.

O extremo ex-Tottenham HFC foi muitas vezes apontado para ser considerado a possível revelação da época
Fonte: Vitória SC

Juntamente com Ola John, Lucas Evangelista e Bruno Duarte têm contribuído para praticar um dos melhores estilos táticos e desempenhos em campo, vistos nesta época. Apesar de não ser sempre recompensado com golos e vitórias, a equipa vimaranense pratica um futebol atrativo e cativante para quem vê – tirando proveito maioritariamente da rapidez de Edwards e as diagonais que faz entre os centrais são quase sempre motivo de perigo para os adversários. A sua influência na equipa tem sido cada vez maior, o extremo direito é uma das armas principais deste Vitória SC.

No momento atual, em comparação com a sua passagem pela Holanda na época passada, Marcus Edwards está um jogador mais maduro, mais competente e objetivo, mas sem perder a sua identidade futebolística. Tem tudo para ser um dos atletas de referência em Portugal, o que permite ao Vitória SC, no presente, retirar proveito do rendimento futebolístico e futuramente um rendimento económico, sendo que a cláusula de rescisão está marcada nos 15 milhões, perfeitamente ao alcance de uma equipa de primeira linha.

 

Foto de Capa: Vitória SC

Artigo revisto por Joana Mendes

Comentários