Matheus Luiz Nunes, jovem natural do Rio de Janeiro e agora com 21 anos de idade. Chegou bem cedo a Portugal e aos 13 anos integra a formação do GDU Ericeirense, que foi a sua casa em todo o seu processo de formação. No seu primeiro ano de sénior, Matheus Nunes chegou a treinar no Clube Oriental de Lisboa (na altura no Campeonato de Portugal) mas acaba por ser dispensado devido a uma lesão.

O CAMINHO ATÉ AO SPORTING CP

Chegou a treinar em clubes como o Leicester City FC ou como o SC Braga e até no SL Benfica, mas foi na Ericeira então que deu os primeiros passos e onde a sua história se construiu e começou aos poucos e poucos, carimbando o passaporte para outros voos e para demonstrar toda a sua qualidade. Sagrou-se campeão da Divisão de Honra da AF Lisboa e subiu ao Pro-Nacional somando vários minutos e vários golos. Deu-se um novo rumo: o GD Estoril Praia. Com a ida do técnico Luís Freire para a formação da linha de Cascais, o nome de Matheus Nunes surgiu logo como hipótese para os sub-23 canarinhos.

Matheus Nunes
O jovem médio destacou-se ao serviço dos canarinhos
Fonte: GD Estoril-Praia

Desde então, a sua ascensão foi astronómica. Em destaque no GD Estoril-Praia, somando vários minutos nos sub-23, mas também na equipa principal, o médio confirmava mais uma vez a sua qualidade chamando assim a atenção de outros clubes. Foi então que apareceu a hipótese Sporting CP. O clube de Alvalade comprou o médio brasileiro por 500 mil euros, ficando com 50 por cento do passe, mais a opção de adquirir mais 40 por cento, novamente por 400 mil euros, como garantiu também recentemente Frederico Varandas numa entrevista ao Canal 11.

O CRESCIMENTO EM ALVALADE

Anúncio Publicitário

Em Alvalade, foi na equipa de sub-23 que Matheus Nunes ganhou o seu espaço e onde se tornou uma peça essencial. Por vezes foi sendo chamado para fazer trabalhos junto da equipa principal sendo chamado tanto por Keizer como por Leonel Pontes e depois Silas. A estreia na equipa principal ainda está por chegar, mas com as recentes notícias e com as (menos) recentes exibições, o médio tem demonstrado merecer a sua oportunidade no lugar mais alto do futebol português.

Apesar de ser um jogador alto, Matheus Nunes numa fase inicial da sua carreira e ainda em alguns jogos no GD Estoril-Praia atuava como extremo ou como número 10. Mas em Alvalade mudou e o médio mais ofensivo, tornou-se num médio mais box-to-box, num médio mais completo. Isso obrigou a que o brasileiro tivesse um trabalho redobrado no ginásio e é visível de que conseguiu aumentar em muito a sua massa muscular, garantindo outro porte e outra presença física no meio campo.

O QUE PODE TRAZER AO MEIO-CAMPO DO NOVO SPORTING CP DE AMORIM

Tem sido sobretudo no momento defensivo que o médio mais evoluiu e se destacou. Possui uma passada e cadência muito larga e elevada, sendo um jogador muito combativo e inteligente, conseguindo encurtar os espaços, pressionando os adversários e recuperando também assim muitas bolas. Um jogador que num meio-campo a dois elementos como é o sistema táctico de Rúben Amorim, poderá ser uma enorme mais-valia pois o médio brasileiro acaba por ser um jogador trabalhador sem bola, sempre em prol da equipa e conseguindo fechar muito bem os espaços, sendo forte no sentido posicional e táticamente. Consegue facilmente transportar a bola para a frente de ataque, podendo romper assim uma primeira linha de pressão adversária. Demonstra também não ter medo em assumir uma primeira fase de construção ofensiva, se atuar como médio mais recuado, e assim ir muitas vezes buscar a bola bem junto dos centrais. Um jogador bastante rotativo e completo.

O facto de ter sido um jogador mais ofensivo – como já referido anteriormente – faz assim que o jovem brasileiro seja um médio mais completo e que possua várias qualidades técnicas para ser um box-to-box completo e de destaque na Primeira Liga. Tendo também já atuado em terrenos mais avançados, permite ao jogador uma maior polivalência podendo então desempenhar várias funções. É um jogador que tem revelado também uma excelente capacidade no passe curto e sobretudo na forma como aborda o passe longo.

Olhando para o que foi o trabalho de Rúben Amorim na sua passagem pelo SC Braga, Matheus Nunes parece ter o perfil ideal para se afirmar e encaixar no meio-campo e poder desempenhar qualquer uma das funções no meio-campo a dois. No entanto, as suas semelhanças com Fransérgio saltam à vista e foi nessa mesma posição de número oito que o jogador do SC Braga mais emergiu na mão de Rúben Amorim. Resta aguardar para confirmar se será então uma aposta clara do novo técnico leonino e se conseguirá confirmar todo o seu potencial e num contexto competitivo bem diferente da Liga Revelação conseguir até uma evolução mais acentuada e mais rápida, podendo afirmar-se também de forma mais assertiva e podendo num futuro ser uma mais-valia não só a nível desportivo como a nível financeiro.

Fonte: Sporting CP

Comentários