É inegável que muitos dos talentos que vão parar às grandes ligas europeias nascem (ou renascem) em campeonatos menos conhecidos, menos competitivos e também menos mediáticos. Da Sérvia, chega-nos um nome que tem condições para “renascer”, mesmo que sob outros holofotes: Umar Sadiq, avançado do FK Partizan.

Com apenas 23 anos, o ponta de lança nigeriano não só já passou por várias equipas, como também já jogou em cinco países diferentes. Oriundo do Abuja FC, da Nigéria, chegaria a solo europeu em 2013 por mão do Spezia Calcio 1906, onde deu nas vistas, tendo sido contratado, então, pela AS Roma, em 2015.

A sua passagem pela equipa da capital de Itália não foi a mais feliz. Realizou apenas 6 jogos, com 2 golos marcados. O registo foi anda pior nos emblemas italianos a que foi emprestado, tendo vestido as camisolas do Bologna FC e do Torino FC sem qualquer golo marcado. A cada seis meses, foi saltando de equipa em equipa, com a Roma a ter de emprestar o jogador ao NAC Breda (da Holanda), ao Rangers FC (da Escócia) e ao AC Perugia Calcio (de Itália), emblemas nos quais marcou golos, mas nunca se destacou.

Cada janela de transferências significava um novo rumo na carreira de Sadiq. Contudo, esta época está a ser diferente para o avançado de 23 anos. Depois de emprestado pela AS Roma ao Partizan no mercado de verão, o clube sérvio optou por accionar a opção de compra na reta final do passado mercado de inverno.

Anúncio Publicitário

Na presente temporada, Sadiq tem sido uma peça fundamental na formação de Savo Milosevic. Marcou 15 golos em 34 jogos, contribuiu com 11 assistências e assumiu-se como o melhor marcador da equipa, quer em contexto interno, quer na Liga Europa – num grupo disputado com o Manchester United FC, o AZ Alkmaar (que se apuraram) e o Astana FC.

A realizar a melhor época da carreira, Umar Sadiq tem-se revelado letal na formação de Belgrado, fruto da sua capacidade de trocar as voltas ao adversário, de revelar ter o timing certo e de ser forte na pressão ofensiva. Além disso, o ponta de lança (colega de equipa do já conhecido Markovic) faz valer também o seu 1,92 metros no jogo aéreo.

Face aos tempos que se vivem, todo o futebol parou, e o campeonato da Sérvia não foi exceção. Ainda assim, no meio de um plantel maioritariamente composto por jogadores sérvios, é Sadiq quem mais sobressai nos processos de jogo da equipa, que se encontra no 2º lugar, bem atrás do rival FK Estrela Vermelha. Será desta que o internacional nigeriano ganha asas para outros voos?

Artigo revisto