Dia 16 de abril de 2008, jogo em pleno estádio José de Alvalade, disputava-se o dérbi de Lisboa a contar para as meias-finais da Taça de Portugal. Os Leões comandados por Paulo Bento procuravam o acesso à final, na tentativa de conquistar o segundo troféu da época, tendo já no seu museu a Supertaça vencida em agosto frente o FC Porto. Do outro lado, um Benfica comandado por uma das suas grandes figuras, Fernando Chalana, terceiro treinador dos encarnados na época. Na liga, a distância para o FC Porto era enorme e, por isso, qualquer um dos grandes de Lisboa queria chegar à final para terminar a época na disputa pela prova rainha. Na final já tinha lugar reservado o FC Porto, depois de vencer o Vitória de Setúbal por 0-3 na véspera.

Jogo marcado para às 20h30. Ambiente animado e quente em Alvalade numa noite de chuva. Jorge Sousa apita para o início do jogo sob um nevoeiro provocado pelas tochas, com o Sporting CP a alinhar com o seu clássico losango, marca de Paulo Bento, com Rui Patrício na baliza, eixo defensivo composto por Abel, Tonel, Miguel Veloso e Leandro Grimi, o meio campo composto por Adrien Silva, João Moutinho, Simon Vukcevic e Leandro Romagnoli, e na frente faziam dupla Yannick Djaló e Liedson. Do lado dos encarnados Óscar Cardozo foi surpresa, no banco, alinhando as Águias com Quim na baliza, Maxi Pereira, Nélson, Luisão e Leo na defesa, meio-campo com Kostas Katsouranis, Rui Costa, Petit, Cristián Rodríguez e Ángel Di María, e Nuno Gomes como referência atacante.

Jogo que começa repartido, com perdas de bola de ambas as partes e muitas precipitações na hora de rematar à baliza. O primeiro lance de perigo pertenceu ao Sporting, aos 6 minutos, num livre batido por João Moutinho, a cruzar para o cabeceamento de Tonel que só valeu para o susto. Aos 8 minutos Leandro Grimi tenta um remate à entrada da área que passa muito longe do alvo. Aos 9 minutos, num mau atraso da defesa, Di María isola-se procurando ganhar a bola a Rui Patrício, o guardião sai e, na disputa do lance, o extremo argentino deixa o pé esquerdo para trás e cai, vendo o cartão amarelo por simulação. Primeiros dez minutos de muitas bolas largas, na procura de aberturas para os homens mais rápidos e habilidosos de cada equipa. SL Benfica a demonstrar algumas desconcentrações defensivas e o Sporting CP a tentar tirar proveito disso.

Aos 13 minutos, livre de longa distância para as Águias batido por Rui Costa, com um balão facilmente agarrado por Rui Patrício. Aos 14 minutos, Liedson recupera a bola num lance que parecia perdido, frente a Leo, junto à bandeira de canto, descendo até à baliza e a rematar de trivela, mas a bola vai direta à malha lateral. A partir dos 15 minutos de jogo, o SL Benfica começa a crescer, a ter mais consistência e, aos 16 minutos, Di María, numa tabelinha, entra dentro da área, cruza mas Leandro Grimi tira a bola dos pés de Rui Costa, que ficava em excelente posição no centro da área para inaugurar o marcador. A chegar os 19 minutos, numa combinação entre Rui Costa e Di María, que deixou a defesa verde e branca completamente perdida, o ‘maestro’ faz o primeiro das Águias, com a bola a passar entre as pernas de Rui Patrício.

Anúncio Publicitário

Nos minutos seguintes a turma de Paulo Bento procurou pressionar e chegar à igualdade, mas sem qualidade no último terço, com a defesa do SL Benfica a conseguir parar as iniciativas dos Leões. Aos 24 minutos, Di María faz um cruzamento longo para Nuno Gomes que, num pontapé fortíssimo na zona onde Rui Costa fez o primeiro, atira ao lado da baliza. Apesar do maior caudal ofensivo verde e branco, as águias causavam mais perigo.

Perto da meia hora de jogo já aqueciam Pedro Silva e Marat Izmailov. O Benfica continuou a crescer e a pressionar, principalmente pelos pés de Di María e Rui Costa. Aos 30 minutos, Léo passa Rui Costa, que devolve ao brasileiro, entra na área pela ala esquerda do ataque, cruza para a pequena área onde aparece Nuno Gomes para fazer o segundo golo da partida.

Primeira substituição no jogo, sai Adrien Silva e entra Marat Izmailov aos 33 minutos. Paulo Bento, e com razão, não estava satisfeito com as transições entre defesa e meio campo, espaço ocupado pelo, na altura, jovem leão. João Moutinho recuou no meio campo, jogando o médio russo na ponta mais ofensiva do losango.

Canto para o SL Benfica aos 36 minutos, bate Rui Costa para o cabeceamento de Luisão contra o relvado e a bola sai ao lado da baliza. Protestos de Luisão, ficando uma grande penalidade por assinalar a favor dos encarnados. O defesa foi agarrado por Tonel. Nos restantes minutos da primeira parte, o SL Benfica controla minimamente a partida, com momentos de troca de bola acompanhados por ‘olés’ e assobios. O Sporting procura atacar mas sem sucesso, com muitas dificuldades, principalmente no último terço. Ángel Di María ainda mete a bola dentro da baliza aos 44 minutos, mas estava em posição irregular. Muitos protestos dos Leões, que pediam o segundo amarelo para o argentino. Jorge Sousa apita para o intervalo após um minuto de compensação.

Ambas as equipas começam a segunda parte com os jogadores que terminaram a primeira. Início de segunda parte pacato, com disputas de bola taco a taco. Aos 46 minutos, Fernando Chalana manda aquecer László Sepsi, Luís Filipe e Óscar Cardozo. Do lado do Sporting, continua a aquecer Pedro Silva e juntam-se Bruno Pereirinha e Derlei, este último que veio de uma lesão que o afastou por sete meses e meio dos relvados.

Aos 48 minutos, Marat Izmailov faz um passe a rasgar para Liedson que, no lado direito da grande área, atira ao lado, com a bola a sair junto à bandeirola de canto. Continua a pouca qualidade no último terço por parte dos Leões. Muita eficiência do encarnados na pressão e no corte, jogando com tranquilidade.

Grande saída de Rui Patrício aos 54 minutos, após um mau corte da defesa verde e branca, impedindo o isolamento de Ángel Di María que ficaria em boa posição para fazer o terceiro dos encarnados. O relógio marcava 55 minutos de jogo quando Luisão vê o cartão amarelo por entrada dura sobre Liedson na zona do meio-campo. Aos 57 minutos é a vez de Crístian Rodríguez ver a cartolina amarela, por ter parado em falta um contra-ataque dos Leões.

Marat Izmailov faz um remate perigoso aos 59 minutos, à entrada da área mas a bola passa ao lado. O Sporting estava a instalar-se no meio campo do Benfica, mas sem conseguir criar grandes oportunidades de golo. Estava uma hora de jogo corrida quando João Moutinho tira a bola a Rui Costa e, à meia distância, atira, Quim defende com a ponta dos dedos e a bola embate na barra. O lance acordou os adeptos e a equipa. Aumenta a pressão leonina.

Paulo Bento faz a segunda substituição e tira Leandro Romagnoli aos 61 minutos para entrar Derlei. Muito aplaudido. Yannick Djaló recua para a posição 10. Passo um minuto, Derlei tem a primeira oportunidade. Cruzamento de Djaló e, em estilo mergulho, o avançado brasileiro ganha posição a Luisão e atira ao lado.

Primeira mexida do lado do SL Benfica. Entra László Sepsi para o lugar de Ángel Di María, aos 66 minutos. Sai o responsável pelos desequilíbrios da primeira parte que permitiram aos encarnados marcar.

Faltavam 24 minutos para o fim quando João Moutinho levanta a bola para Simon Vukcevic que, dribla na ala direita, junto à linha da grande área, cruza e Yannick Djaló, na pequena área, faz de pé direito o primeiro golo para os Leões.
Os Leões continuaram a pressão e aos 68 minutos, sob um nevoeiro das tochas, Derlei atira à entrada da área para uma grande defesa de Quim. Seguiram-se vários ataques dos leões na procura do empate. Aos 70 minutos, a bola ressalta na área do SL Benfica e Simon Vukcevic tem tudo para fazer o segundo, mas Quim, mais uma vez, impede.

Aos 71 minutos João Moutinho vê a cartolina amarela por puxar a camisola a Cristián Rodriguez, que já tinha passado pelo médio leonino. Na sequência, livre batido por Rui Costa perto da área, e Nuno Gomes falha o terceiro das Águias, tinha tudo para aumentar a vantagem.

Perto dos 76 minutos, numa insistência de ataques dos leões, João Moutinho passa para Marat Izmailov que, dentro da grande área perde, João Moutinho recupera, faz um cruzamento atrasado para Liedson que, sozinho perto da marca da grande penalidade, atira para o segundo dos leões. Em menos de 10 minutos o Sporting chega à igualdade.

Mais uma falta a meio campo, mais um amarelo. Nuno Gomes vê o cartão amarelo aos 77 minutos por falta sobre Miguel Veloso. Nem passados 5 minutos, o Sporting faz o 3º e passa a frente do marcador. Lançamento rápido marcado na ala esquerda do ataque, a bola chega a Liedson que, perto da área, pica para Marat Izmailov que, no lado direito da área, cruza para a entrada da pequena área onde está Derlei para finalizar.

80 minutos de jogo e Sporting está na frente do marcador. Sporting passou de uma equipa sem ideia para uma com resoluções. A entrada de Derlei e a saída de Ángel Di María mudaram completamente o rumo do jogo.

Jogada de ataque do SL Benfica, um corte incompleto da defesa do Sporting deixa a bola para Cristián Rodríguez que faz um remate fora de área sem hipóteses da Rui Patrício. 82 minutos, 3-3.

Jogo intenso no momentos finais, com muitas trocas de bola e muito disputado. Óscar Cardozo preparava-se para entrar quando Yannick Djaló, fora de área, atira, a bola levanta ao bater na biqueira de Luisão, faz um arco e entra sem hipóteses para o guarda-redes encarnado. O Sporting volta a ter vantagem, 4-3. Duas alterações aos 86 minutos, uma para cada lado: Óscar Cardozo e sai Petit, sai Yannick Djaló e entra Gladstone.

O Benfica tenta nos últimos minutos fazer o golo do empate, mas sem grandes ocasiões. O Sporting fez gestão de posse de bola, jogando com o desgaste dos encarnados. Jorge Sousa deu 4 minutos de compensação e, no penúltimo minuto de jogo, Simon Vukcevic faz, num remate de primeira, o quinto a contar para os leões, após um grande passe de Miguel Veloso, a aproveitar a subida no terreno dos encarnados na procura do tento do empate.

A partida termina com a festa verde e branca. Após estar a perder por 2-0 ao intervalo, em pouco mais de 20 minutos de jogo, o Sporting marca 5 golos. Grande partida de futebol, onde na primeira parte Ángel Di María e Rui Costa foram donos e senhores da bola e, na segunda, a crença, a raça e a vontade dos Leões foram mais que suficientes para virar, de forma brilhante, o rumo do jogo.

Sporting CP: Rui Patrício; Abel, Tonel, Miguel Veloso e Leandro Grimi; Adrien Silva (35’ Marat Izmailov) , Leandro Romagnoli (61’ Derlei), Simon Vukcevic e João Moutinho; Yannick Djaló (86’ Gladstone) e Liedson

SL Benfica: Quim; Maxi Pereira, Nélson, Luisão e Leo; Petit (85’ Óscar Cardozo), Kostas Katsouranis, Rui Costa e Cristián Rodriguez; Ángel Di Mária (66’) e Nuno Gomes

Foto de Capa: Youtube

Comentários