Um jogo que terminou empatado não seria, à primeira vista, um daqueles para recordar. Mas o famoso “4-4 com o Leverkusen” não é apenas um empate e não é apenas um jogo. É daqueles que ficam na história do clube, uma epopeia além-fronteiras, que se juntou a outras tantas noites europeias “à Benfica”. Após um empate a um golo na Luz no jogo da primeira mão, as águias estiveram a perder por 2-0 em Leverkusen, mas acabaram por dar a volta ao jogo e à eliminatória com uma exibição de raça e muito querer, traduzida num imprevisível e improvável empate 4-4.

Vamos então ao filme do jogo. Estamos no dia 15 de Março de 1994, no estádio Ulrich-Haberland, em Leverkusen. Segunda mão dos quartos-de-final da extinta Taça das Taças. Na primeira mão, no estádio da Luz, empate a um com golos de Markus Happe para os alemães e de Isaías para os encarnados.

A cronologia dos golos nesta fria noite de Março é a seguinte: Ulf Kristen marca primeiro para os alemães à passagem do 24.º minuto e Bernd Schuster (sim, esse mesmo) aumenta a vantagem para 2-0 aos 58’. O Benfica não demora a reagir e reduz no minuto seguinte num remate fantástico de Abel Xavier, após assistência primorosa de Rui Costa.

Anúncio Publicitário

Ainda o Bayer se está a refazer do golo sofrido e já o Benfica empata o jogo. Canto teleguiado de Rui Costa e João Pinto antecipa-se à defesa alemã, cabeceando com oportunismo e fazendo o 2-2 ainda com meia hora de jogo pela frente.

Com este resultado, o Benfica está na frente da eliminatória pela regra dos golos fora, o que faz com que o Bayer se lance com tudo para o ataque em busca do golo que permita virar o tabuleiro a seu favor. A reta final do jogo é eletrizante, como o comprova a marcha do marcador: aos 78’, Kulkov faz o 3-2 e coloca o Benfica a vencer pela primeira vez esta noite, concluindo um contra-ataque rápido após (mais um) grande passe de Rui Costa.

Por esta altura já as águias sentem que têm o pássaro na mão, mas a verdade é que quase o deixam fugir em apenas dois minutos. Kristen bisa no jogo aos 80’ e Pavel Hapal coloca o marcador em 4-3 a favor dos alemães aos 82’.

Com este resultado, o Benfica está fora da Taça das Taças. Mas os encarnados ainda tinham uma palavra a dizer nesta eliminatória e, a cinco minutos do fim, João Pinto coloca Kulkov na cara do golo, com o russo a bisar no jogo e a colocar o placar num improvável 4-4.

Até final, o Benfica tranca os caminhos para a sua baliza e festeja a passagem à ronda seguinte com os cerca de dez mil portugueses presentes no Ulrich-Haberland. O empate 4-4 permite ao Benfica seguir para as meias-finais da Taça das Taças, onde cai aos pés do Parma FC de Gianfranco Zola, Tomas Brolin e Faustino Asprilla.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES

Bayer Leverkusen: Dirk Heinen, Foda, Christian Worns, Markus Happe, Lupescu, Tolkmitt (Fischer, 66’), Pavel Hapal, Ralf Becker (Paulo Sérgio, 66’), Bernd Schuster, Andreas Thom e Ulf Kristen.

SL Benfica: Neno, Abel Xavier, Hélder, William, Kulkov, Vítor Paneira, Stefan Schwarz, Rui Costa (Hernâni, 85’), João Vieira Pinto, Yuran (Rui Águas, 89’) e Isaías.

Artigo revisto por Inês Vieira Brandão

Comentários