3º lugar – Lucílio Baptista

A carreira de Lucílio Baptista ficou manchada pelo erro na Final da Taça da Liga em 2009 Fonte: Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol
A carreira de Lucílio Baptista ficou manchada pelo erro na Final da Taça da Liga em 2009
Fonte: Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol

Este ex-árbitro da AF Setúbal é dos árbitros com mais currículo a nível nacional. Tornou-se internacional em 1996, mas começou a ganhar notoriedade nesse plano quando em 2001 apitou a final do Mundial de sub-17 entre a França e a Nigéria. Essa foi a sua rampa de lançamento para uma boa carreira a nível internacional, onde arbitrou 26 jogos nas competições europeias, e também esteve na Taça das Confederações em 2003 e no EURO 2004.

No plano nacional, no século XXI, Lucílio Baptista arbitrou duas finais da Taça de Portugal: a Finalíssima em 2000 entre o Sporting CP e o FC Porto, e também em 2003/2004 entre o SL Benfica e o FC Porto, onde o clube encarnado quebrou o jejum de oito anos sem títulos e o árbitro lisboeta foi alvo da ira de Mourinho: “Este árbitro é uma farsa!”.

Em 2008/2009 arbitrou a Final da Taça da Liga entre o SL Benfica e o Sporting CP, onde ficaria negativamente marcado pelo penalti a favor do encarnados a cobrar uma mão na bola inexistente. Situação sobre a qual ele interveio a público, tendo numa entrevista à SIC assumido que tomou uma decisão errada.

Retirou-se em 2010 e actualmente é o Vice-presidente da Secção de Classificações do Conselho de Arbitragem.

Comentários

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
Artigo anteriorGirabola: A Tragédia de Uíge
Próximo artigoFC Porto B 0-1 SC Freamunde: Tanta crueldade!
O Tiago é um jovem natural de Montemor-o-Novo, de uma região onde o futebol tem pouca visibilidade. Desde que se lembra é adepto fervoroso do Sport Lisboa e Benfica, mas também aprecia e acompanha o futebol em geral. Gosta muito de escrever sobre futebol e por isso decidiu abraçar este projeto, com o intuito de crescer a nível profissional e pessoal.                                                                                                                                                 O Tiago não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.