Bruno de Carvalho: «Benfica tem passado ao lado de uma série de processos e é difícil para qualquer pessoa compreender»

    Após a condenação de César Boaventura, o Bola na Rede quis obter a reação de Bruno de Carvalho sobre o tema. O antigo presidente era o dirigente do Sporting em 2015/16 e fala, sem rodeios, sobre César Boaventura, Luís Filipe Vieira, Jorge Jesus o processo Cashball e até do seu eventual regresso ao mundo do futebol. É a primeira reação de Bruno de Carvalho a todos os temas, após ter saído do mundo do futebol. Um exclusivo Bola na Rede.

    Bola na Rede: Bruno de Carvalho, vamos diretos ao assunto: queremos a sua reação em relação à recente condenação de César Boaventura. Acredita que o Benfica deveria ter sido considerado arguido neste caso ou implicado no processo?

    Bruno de Carvalho: Sinceramente, o Benfica tem passado ao lado de uma série de processos e é difícil para qualquer pessoa compreender. É difícil de compreender que o Benfica não tenha nada a ver. Acho que o MP tem andado a fazer as suas investigações e o comum dos mortais não entende que seja assim tão fácil o Benfica nunca ter ligação a caso nenhum. Vou recordar, por exemplo, uma notícia de 23 fevereiro de 2023; em escutas, um ex-diretor-desportivo do Vitória FC dizia que o Benfica prometeu dez mil euros a cada jogador da sua equipa para um encontro frente ao FC Porto. Também um então jogador do GD Chaves, Nélson Lenho, também tinha dito que tinham sido oferecidos 15 mil euros pelo Benfica, caso vencessem o FC Porto. É outro processo, é o Jogo da Mala. E temos agora uma condenação a César Boaventura, que, em 2018, me apelidou de “pessoa mais corrupta de Portugal” e que dizia nunca tinha aliciado jogador nenhum. Chamou-me cretino. De facto, isto começa a ser incompreensível porque o César Boaventura afinal aliciou jogadores para beneficiarem o Benfica para sua única auto-recreação. Foi também o Paulo Gonçalves que fez também por sua auto-recreação. Foi o motorista do Luís Filipe Vieira que também o fez. Toda a gente à volta do Luís Fílipe Vieira faz tudo por auto-recreação. Ele foi um santo que andou no futebol português e teve azar só se rodear de pessoas que faziam tudo o que era ilegal para beneficiar o Benfica e ele é que não soube de nada. Foi um santo no futebol português que se rodeou de pessoas que estavam sempre a cometer crimes para o Benfica ser campeão. É engraçado…

    Bola na Rede: Em relação à pena de César Boaventura, que foram três anos e quatro meses, sente que foi justa? Que opinião tem sobre o tema?

    Bruno de Carvalho: Sinto que tem o interesse relativo que tem. A partir do momento em que o senhor andou a aliciar jogadores por sua livre iniciativa e andou a chamar outras pessoas de corruptos e cretinos, como a mim, acho que ser condenado por pena suspensa, ou não, é relativo. Ele devia estar é no Hospital Júlio de Matos, num hospício. É um grande adepto do Benfica e, por iniciativa própria, andou a corromper toda a gente. Coitadinho… É um senhor que veio dizer, em 2020, que esteve na origem do caso Cashball, onde foi toda a gente ilibada. Acho que este senhor, se o Benfica não tem nada a ver, devia estar é num hospício. Se a pena dele foi leve ou pesada, penso que terá de ser considerado inimputável. Não passa pela cabeça de ninguém que os crimes que andou a cometer não foram só por ele. Andou em nome do Benfica e afinal não era nada em nome do Benfica. Ele coitado tem de ser tratado. Tirem-lhe esta pena suspensa e metam-no num hospício, que é onde ele deve estar.

    Fonte: Bola na Rede

    Bola na Rede: A sua relação com César Boaventura nunca foi boa…

    Bruno de Carvalho: Eu nunca tive relação com César Boaventura, nunca conheci essa pessoa.

    Bola na Rede: Mas César Boaventura chegou a afirmar que o Bruno de Carvalho teria direito a 10% da transferência do Adrien para o AC Milan…

    Bruno de Carvalho: A seguir a ter saído do futebol, quando as pessoas são umas cobardes, falam só nas costas quando a pessoa já não pode dizer nada. Se tivesse existido uma proposta do AC Milan pelo Adrien, eu tinha levado o Adrien às costas para Milão. E não sei se teria pago para o terem levado depois de tudo o que soube dele. O César Boaventura foi um dos elementos usados para, naquele maio, colocar lenha na fogueira contra mim. O senhor só dizia disparates. Que eu era o mais corrupto, que eu era culpado do Cashball… Acho que ele até disse que eu tentei arrancar a árvore onde apareceu Nossa Senhora de Fátima. Esse senhor disse tanto disparate, mas vingou. O Cashball foi anunciado no dia em se deu o ataque à Academia. Percebam como está tudo interligado. O Cashball acabou a ser um Cash-bola. Ninguém foi condenado a nada. O César Boaventura quando é entrevistado e me chama corrupto, em vez de falar dele e do que lhe estavam a perguntar sobre se aliciou jogadores ou não, só falava dos encapuçados e do Bruno de Carvalho… As pessoas não se podem esquecer de que nessa entrevista que ele dá, ele chega ao ponto de acusar o Jorge Jesus de ter ligado para o Salin, guarda-redes do Marítimo. O Salin recebe um telefonema e diz: “Ó César Boaventura, vê lá tu que era o Jorge Jesus a oferecer-me 150 mil euros para eu não sofrer um golo“. Estou mesmo a ver o Jesus, que não dava um euro a ninguém, a oferecer dinheiro, fosse a quem fosse. Verifiquem as barbaridades que foram ditas… Cashball nunca existiu, foi uma notícia falsa.

    Bola na Rede: Acha, então, que César Boaventura está ligado ao começo do caso?

    Bruno Carvalho: Foi ele que deu origem a este caso, não me interessa o tipo de pena. O Benfica vai passando sempre de lado porque não tem culpa do Paulo Gonçalves e do César Boaventura. Vamos ver se no Jogo da Mala, pelo menos… Aí, há-de ser o Tiago Vieira e o Nélson Lenho que têm culpa, toda a gente terá culpa… Quero também relembrar que o Jorge Jesus massacra-me em dezembro de 2017 que eu tinha de o ir defender no caso do Benfica vs. Jorge Jesus por causa dos 14 milhões de euros. Era um euro por cada benfiquista. Chegou ao final de dezembro, estava a ir para o julgamento e dizem-me que o Benfica e o Jorge Jesus chegaram a acordo. Foi coisa que eu estranhei. Por que é que se chega a acordo? O Benfica abdicava de 14 milhões de euros? O Jorge Jesus chegou a acordo porquê? Liguei-lhe e ele passou o dia sem me atender. Depois disse-me que eu não tinha nada a ver com isto. E eu insisti para saber que acordo teve com o Benfica porque era a sua entidade patronal. Disse-lhe que ele só podia querer trair o Sporting, que, na altura, estava em primeiro lugar. Houve uma reportagem que indicou que os contactos entre Jorge Jesus e Luís Filipe Vieira foram constantes e foram muito mais a partir de 27 de abril, onde havia mensagens e tudo foi intensificado. Havia mensagens como “nós sabemos mais a dormir do que eles todos acordados“. Quero-vos dizer que o ataque à Academia se dá uns dias depois. Ainda fomos à Madeira e aconteceu o que aconteceu. O Sporting perdeu mais de 20 milhões e o Benfica ganhou 43 milhões de euros. Quero dizer que ainda que o Rui Patrício afirmou em tribunal que recusou um prémio de meio milhão de euros para ganharem ao Marítimo. Os vice-capitães disseram que o Rui Patrício nunca lhes falou nesse prémio. Portanto, só o Rui Patrício é que recusou. Recusou o prémio e teve um deslize…

    Fonte: Bola na Rede

    Bola na Rede: Onde quer chegar?

    Bola na Rede: Bom, quem quiser acreditar que o Paulo Gonçalves e o César Boaventura estiveram a trabalhar sozinhos, ok. Quem quiser acreditar que o Sporting estava em primeiro lugar e há um acordo secreto entre o Benfica e o Jorge Jesus devido a um deslize, está também no seu perfeito entendimento. Desde janeiro daquele ano tive a perfeita noção do que ia acontecer e aconteceu. As pessoas depois vieram dizer que eu estava em burnout e que estava maluco. Aprendam a ler as coisas como elas são. Desde que saí do futebol, aquilo que tenho estado a ver e a sentir é que afinal tinha razão em tudo. Tudo isto vai acontecendo e vai-me irritando por aquilo que me fizeram a mim, à minha família e, sobretudo, ao Sporting. Havia também um e-mail do Luís Filipe Vieira que era algo como “estamos a tratar de unir o Sporting” e este presidente, Frederico Varandas, teve azar de o seu lema ser “Vamos unir o Sporting”. É um azar tão grande…

    Bola na Rede: Com tudo isto que aconteceu nos últimos dias, acha que o Sporting teria o direito de receber o título de 2015/16?

    Bruno de Carvalho: Sempre falei desse ano e sempre disse que nós fomos os justos vencedores. Sempre me chamaram populista, demagogo e louco. Riem-se muito, mas não sou louco. A verdade factual é que já há uma condenação. E foi sobre essa época. Mas como foi um doido, coitado. Era só um adepto muito fervoroso. Vamos ver o Jogo da Mala também. Mas não há dúvida de que forças mexeram para não sermos campeões. Portanto, pelo menos moralmente, já que a lei tem o interesse relativo que tem, sim. Não deixamos de estar em Portugal, um país que acha que César Boaventura e o Paulo Gonçalves agiram sozinhos. O MP apenas achou que as pessoas que foram a Alcochete não agiram sozinhas. Aí estava o Bruno de Carvalho por trás. De resto, tudo o que envolve o Benfica, o Benfica nunca é envolvido. O MP tem ali uma visão muito fechada ao Benfica e ao Sporting do Bruno de Carvalho. Mas no Benfica nunca está envolvido, vamos ver… Tenho pena, como cidadão português, de olhar para o MP e ver a dualidade de critérios. Com tanta facilidade foram atrás de mim até às últimas consequências e acabaram por não me poder acusar de nada. Mas o Benfica está sempre fora de todos os processos. Como dizem, a justiça é cega e em Portugal é mesmo cega. Esses processos deviam ser em braile.

    Bola na Rede: Falou do processo Cashball, César Boaventura esteve relacionado com o caso. Por que é que acha que o processo não foi recordado agora no momento da sentença?

    Bruno de Carvalho: Porque há jornalistas que têm falta de memória e estiveram envolvidos na história que fizeram à minha volta. Neste momento não lhes dá jeito mostrar às pessoas que, afinal, havia um puzzle que dava para ser montado. Uma cabala. As pessoas estão tão confusas e já ouviram tanta informação que já não sabem. E agora, quando as coisas se vão clarificando, fecham os olhos. Há jornalistas que fizeram o que fizeram por maldade, outros fizeram por dinheiro. Eu, Bruno de Carvalho, é que continuo a ser expulso de sócio. Já nem digo expulso de presidente. Fui expulso de sócio do Sporting… Quando saí do Sporting, tinha 32 processos contra mim e ganhei todos.

    Bola na Rede: Acredita que a sua carreira no mundo do Futebol acabou devido a estes casos?

    Bruno de Carvalho: Não sou nenhum santo, também cometi os meus erros. Agora, dos meus erros para aquilo que me fizeram. E, sobretudo, por grande parte dos sportinguistas terem acreditado que alguém sempre defendeu o clube, podia ter chegado a uma situação de burnout ou maluquice e prejudicado o Sporting, ou o que quer que seja. Às vezes, ainda penso neste assunto e digo assim: “vamos imaginar que era maluco e era um César Boaventura ou um Paulo Gonçalves, o Sporting só lhe faltava um jogo: era contra o Aves. Por muito respeito que tenha pelo Desportivo de Aves, é o Desportivo de Aves. Faltava um jogo contra o Aves e eu, maluco, mandava bater nos jogadores. Para quê? Para ganhar ao Desportivo de Aves… A sério? Para ganhar ao Desportivo de Aves? Eu não consigo conceber bater nos jogadores para o que quer que seja, agora quando faltava um jogo… Opá, isto é tão estúpido. Portanto, mandava bater para irem com contusões para irem jogar com o Aves. Isto não era um presidente maluco, era um idiota chapado e imbecil. Só peço perdão à minha família por me ter metido num clube onde as pessoas caíram nas histórias mais ridículas e estúpidas que já vi na minha vida. Agora, estão a sair todas estas conclusões e, afinal, o Jorge Jesus e o Luís Filipe Vieira falavam… Alguém se lembra que o treinador do Sporting liga ao presidente do clube rival e diz “nós sabemos mais a dormir do que os outros acordados“. E depois o Sporting salta do primeiro lugar para o terceiro, perdendo o campeonato e o acesso à Liga dos Campeões, quando faz um acordo com Luís Filipe Vieira. Querem fazer de mim otário? Esforçava-me 24 horas por dia e estão a fazer de mim parvo. Benfica sem saber ler nem escrever ganha 43 milhões de euros. Jorge Jesus, que é o crânio dos crânios, mete o William Carvalho a andar e um Piccini lesionado contra o Benfica [5 de maio de 2018]? E eu é que sou maluco? Gostava de saber até hoje por que é que os sportinguistas são tão diferentes e tão eloquentes, nunca pediram para saber que acordo foi este entre Luís Filipe Vieira e Jorge Jesus para o Benfica lhe perdoar 14 milhões de euros quando estávamos em primeiro lugar. Por que é que os sportinguistas não exigem saber? Foi mais fácil acreditar que o presidente tinha enlouquecido.

    Bola na Rede: Depois de tudo isto, sente que não faz mais sentido regressar ao mundo do futebol? Com outro tipo de cargo, por exemplo?

    Bruno de Carvalho: Sem o cargo de presidente, não estou a ver outra coisa. Sou abordado todos os dias que tenho de voltar ao Sporting… Mas os sportinguistas têm de perceber o seguinte: para voltar ao Sporting, tenho de voltar a ser sócio. E isso são os sportinguistas que têm de se mexer e eliminar aquela decisão hedionda de me expulsarem de sócio. Não vale a pena dizerem que tenho de voltar porque, mesmo que eliminem essa decisão, eu decidirei se quero voltar, ou não. Mas custa-me perdoar as pessoas de um clube que me fizeram passar por coisas tão más. A mim e à minha família. Custa-me muito, mas tenho muita honra e orgulho pelo que fiz. Gostava de ver como é que as pessoas reagiriam se estivesse Portugal inteiro a chamar-me nomes e uma pessoa sozinha a tentar limpar o seu nome. Porque, pela Constituição, todos têm direito à sua dignidade e ao seu bom-nome… menos o Bruno de Carvalho. Fiquei no Sporting não foi por gozo, eu sabia o que estava a acontecer e tentei limpar o meu nome. Não consegui porque a avalanche era demasiado grande. Disseram-me que o futebol tinha ficado muito melhor quando saí do futebol e estou a ver que está muito melhor. Está muito mais saudável, muito menos polémicas, muito menos zaragatas, tem estado uma maravilha, não há problemas, não há detenções… Pelo menos, a minha herança chamada VAR reduziu, e em muito, o desequilíbrio que havia no futebol português. À conta disso, o Sporting já foi campeão uma vez e, provavelmente, vai ser campeão uma segunda. E esse orgulho ninguém me vai tirar. Por muito que o presidente do Sporting atual tenha apagado as imagens da Sporting TV e do Estádio, eu tenho muito orgulho que o Sporting esteja a conseguir ser campeão e eu sinto que tem um cunho muito meu.

    Fonte: Bola na Rede
    - Advertisement -

    Subscreve!

    Artigos Populares