O Mourinhos vs. Guardiolas recebeu Tiago Fernandes, o treinador do Leixões SC para a época 2020/21 que substitui o histórico Manuel Cajuda. Com uma vasta carreira em equipas técnicas – mas tenra em idade -, o jovem treinador falou sobre a experiência nos vários escalões do Sporting CP, sobre as aprendizagens no GD Estoril e no GD Chaves e ainda deixou algumas previsões para o futuro.

O programa começou com o melhor conselho que recebeu do pai, Manuel Fernandes, e que estes anos de “avanço” permitiram estar agora ao mais alto nível como treinador. Quando ainda treinava a UD Leiria, Tiago Fernandes ainda acreditava ficar no plantel principal, contudo, o pai tinha outros planos: «tu para jogar na minha equipa esquece. Prefiro que vás estudar e que prepares para ser meu [treinador] adjunto».

Como pior momento da carreira, Tiago Fernandes não se esqueceu do sabor «amargo» de não ter mantido o GD Chaves na Primeira Liga. Em busca de um novo desafio, o treinador chegou a Trás-dos-Montes com sete pontos e consigo o rendimento da formação transmontana tinha subido, e «com a média pontual que tínhamos garantíamos a manutenção». Porém, a equipa técnica acabou por sair quando tudo estava a correr bem.

No GD Estoril-Praia, Tiago Fernandes classificou como «uma experiência boa», mas, tal como já tinha acontecido no GD Chaves, sentiu que estava a fazer o seu trabalho segundo aquilo que a direção lhe estava a pedir, que neste caso era estar nos cinco primeiros lugares e lançar “miúdos”. A última tarefa, o jovem português já estava mais do que habituado depois de diversos anos a treinar as camadas jovens dos leões, onde encontrou pérolas como Jovane Cabral, Daniel Bragança e Francisco Geraldes.

Anúncio Publicitário

O tema Sporting e Rúben Amorim também foi falado e Tiago Fernandes reforçou a ideia de que o atual treinador dos leões «não tem experiência como treinador, mas tem como jogador e isso é uma grande bagagem». O jovem treinador afirmou que não é fácil treinar o Sporting CP e que se tem de dar «tempo e espaço para Rúben [Amorim] errar». Relembrou também que não saiu dos leões por «falta de experiência», mas sim porque Marcel Keizer já estava contratado.

Quanto a previsões para o futuro, Tiago Fernandes diz estar focado no Leixões SC e que pretende ter uma equipa competitiva e organizada. Contudo, sabe que a Segunda Liga é muito competitiva e espera lutar pelos três pontos em todos os jogos. Mas as previsões não ficaram só com a sua carreira, mas também de Vítor Oliveira: «É um pouco como o Vítor Oliveira, porque vem para a Segunda Liga, toda a gente sabe que ele vai subir. Ainda bem que ele já não vai treinar mais».

Artigo revisto por Joana Mendes

Comentários