Se começamos esta semana com uma aula de Manuel Cajuda, o Mourinhos vs. Guardiolas teve uma presença ilustre de Carlos Daniel, jornalista da RTP, onde houve nova “telescola” de Futebol. O jornalista português confessou ser mais admirador de Pep Guardiola, porém mantém um grande respeito por aquilo que foi a carreira de José Mourinho.

O programa começou com o relembrar de uma seleção do Brasil de Mundial de 1982 com um grande meio-campo (Sócrates, Zico e Falcão). Contudo, não deixamos “a magia brasileira”. Carlos Daniel acredita que não se deve desvalorizar aquilo que é o jogador Neymar, pois são jogadores que nos dão paixão devido à sua genialidade.

Para aqueles que queiram seguir Jornalismo Desportivo, Carlos Daniel deixou três conselhos: querer ser jornalista e não jornalista desportivo, pois é necessário dominar várias áreas e indo evoluir o conhecimento da área do Desporto; se isto for o sonho da pessoa, o jornalista acredita que deve seguir o mesmo; por fim, é necessário saber mais do jogo, visto que não são apenas necessários “os números” ou as leis de jogo.

Por cá, Carlos Daniel denota que há mais qualidade fora dos “três grandes”, dentro das quatro linhas. Foi pelo Norte do país que o jornalista destacou qualidade nas equipas do Rio Ave FC de Carlos Carvalhal, do FC Famalicão de João Pedro Sousa e de alguns momentos do Vitória SC de Ivo Vieira.

Anúncio Publicitário

O tema Rúben Amorim veio à conversa e o jornalista realçou que gostou de momentos no SC Braga. Todavia, foi o recente trabalho do jovem treinador no Sporting CP que se focou mais a conversa. Carlos Daniel salienta haver boas ideias de jogo, mas com algumas debilidades, especialmente a capacidade de jogar com o jogo exterior. Não se esqueceu de referir que há a “pressão de vencer” nos leões e isso pode ser prejudicial para Rúben Amorim.

Artigo revisto por Joana Mendes