Anúncio Publicitário

A CRÓNICA: BALE E RAMSEY LIDERARAM “SHOW” DE BOLA GALÊS

O Estádio Olímpico de Baku foi o palco do arranque da segunda jornada do grupo A, que opôs a Turquia e o País de Gales. Depois de um início de competição tremido para as duas nações, após uma derrota para os turcos e um empate para os galeses, a conquista de pontos era fundamental para ambas as formações.

Posto isto, num encontro ajuizado pelo árbitro português Artur Soares Dias, o equilíbrio foi nota dominante nos minutos inicias, com as duas equipas a tentarem visar a baliza adversária. Com o decorrer do tempo de jogo, as oportunidades de golo foram aparecendo para ambos os lados, mas o nó no marcador teimava em desapertar, até que, a três minutos do intervalo, Aaron Ramsey respondeu de forma brilhante a um excelente passe de Gareth Bale e colocou o resultado a favor dos galeses.

Anúncio Publicitário

Na segunda parte, a Turquia correu atrás do prejuízo, tentando igualar a partida o mais rapidamente possível, de maneira a ter tempo para discutir os três pontos, mas voltou a pecar na finalização. Apesar do melhor arranque por parte da formação turca, foi o País de Gales quem esteve mais perto de marcar, com Gareth Bale a ter nos pés uma chance de ouro, após ser marcada uma grande penalidade a favor da sua equipa, mas foi incapaz de marcar.

Os turcos continuaram a lutar para marcar, mas a falta de eficácia e as boas intervenções do guardião Ward foram mantendo a baliza galesa inviolada. Já em tempo de compensação, Conor Roberts fez o segundo tento na partida, dando a machadada final no encontro.

Com este resultado, a Turquia está muito perto da porta de saída do Euro 2020, enquanto o País de Gales soma quatro pontos e, é líder do grupo A, ainda que à condição.

 

A FIGURA

Aaron Ramsey – O médio galês da Juventus FC, é o maior destaque da sua seleção, a par de Gareth Bale, e não gorou as expetativas dos seus adeptos ao realizar uma grande exibição, mostrando-se como um autêntico patrão na sua equipa. Destaque também para a exibição de Bale, também ele um dos melhores em campo.

O FORA DE JOGO

Eficácia turca – Apesar da indubitável qualidade na frente de ataque da Turquia, a seleção voltou a ficar em branco, e voltou a mostrar-se muito perdulária à frente da baliza adversária. E como diz o ditado, quem não marca sofre…

 

ANÁLISE TÁTICA – TURQUIA

A formação orientada por Şenol Güneş apresentou-se num sistema tático base em 4-1-4-1, com o veterano Burak Yılmaz a ser a referência atacante da equipa. Apesar da qualidade individual dos seus elementos atacantes, a Turquia pecou a nível ofensivo neste encontro, ao ter desperdiçado algumas boas chances para marcar. No aspeto defensivo, também demonstrou fragilidades, cedendo algum espaço aos rápidos e ágeis avançados galeses, o que acabou por ser fatal.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Çakır (7)

Çelik (6)

Ayhan (7)

Söyüncü (7)

Meraş (6)

Yokuşlu (6)

Karaman (6)

Çalhanoğlu (7)

Tufan (6)

Ünder (7)

Yilmaz (6)

SUBS UTILIZADOS

Demiral (7)

Yazici (7)

Müldür (6)

Dervisoglu (6)

Kahveci (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – PAÍS DE GALES

A formação orientada por Robert Page alinhou num dispositivo tático base em 4-2-3-1, com Aaron Ramsey e Gareth Bale a serem os homens de maior destaque dos galeses. Com uma boa organização defensiva e um ataque veloz e criativo, o País de Gales conseguiu surpreender a Turquia, tanto em transição, como no aproveitamento do espaço entre linhas.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ward (7)

Roberts (7)

Mepham (7)

Rodon (6)

Davies (7)

Allen (6)

Bale (8)

Morrell (7)

Ramsey (8)

James (7)

Moore (7)

SUBS UTILIZADOS

Ampadu (6)

Wilson (-)

Williams (-)

Anúncio Publicitário

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome