Anúncio Publicitário


Alemanha e Suécia entraram em campo em Sochi com propostas diferentes. Para os alemães apenas a vitória interessava. A vitória do México sobre a Coréia do Sul obrigava os alemães a partiram para cima dos suecos. Uma derrota alemã os eliminava da Copa do Mundo e caso empatasse dependeria de uma derrota da Suécia para o México, na última rodada, para ter chances de classificação. Já a Suécia que venceu a Coréia do Sul na primeira rodada, entrou no relvado considerando um empate contra os atuais campeões do mundo sendo um bom resultado. Os suecos que nas eliminatórias europeias eliminaram a Holanda na fase de grupos e a Itália no play-off teria outra oportunidade de eliminar um gigante mundial.

O treinador alemão Joachim Löw ficou muito insatisfeito com a estreia de sua equipa no Mundial e modificou bastante o time para a segunda rodada. Rüdiger entrou na defesa no lugar do Hummels, no meio campo Khedira e Ozil deram lugar para Rudy e Reus, respectivamente. Já na seleção sueca a única modificação que o treinador Jan Olof Andersson promoveu foi o retorno do defensor titular Lindelöf no lugar do Jansson que atuou na estreia.

A jogar no 4-2-3-1 a Alemanha teve Reus e Draxler abertos pelas pontas, Müller a atuar mais centralizado e com o Werner na frente. Os alemães dominaram completamente o adversário no início do jogo. A Suécia entrou em campo no tradicional 4-4-2 e com 10 minutos de jogo tinha dado apenas seis passes certos. Porém, a melhor chance de golo criada foram dos suecos. O avançado Berg recebeu a bola em um contra-ataque e obrigou ao Neuer fazer uma grande defesa. No lance, o avançado reclamou de pênalti que teria sofrido pelo defensor Boateng, porém o juiz nada marcou.

Anúncio Publicitário

A Alemanha explorava os lados de campo e a Suécia se manteve inabalável em sua defesa. Com o passar do tempo os alemães baixaram o ritmo e a Suécia conseguia ter um pouco mais de posse bola. Aos 30 minutos Joachim Löw foi obrigado a mexer na equipa. Saiu o médio Rudy, com uma fratura no nariz, para a entrada de Gündogan.

Aos 31 minutos Tony Kroos saiu jogando errado no campo defensivo, Claesson recuperou a bola para os suecos, lançou o avançado Toivonen que brilhante encobriu o guarda-redes Neuer e marcou um verdadeiro golaço em Sochi. A Suécia fazia 1 a 0 na Alemanha, placar que eliminava os alemães na primeira fase da Copa do Mundo. Algo que jamais ocorreu na história.

A Alemanha chegou no final do primeiro tempo com mais de 75% de posse de bola e controlava a maioria das ações do jogo, mas a Suécia tinha ao seu favor o contra-ataque e sempre levava muito perigo quando subia. Apesar de toda posse de bola, os jogadores ofensivos da seleção não fizeram uma boa primeira parte e ficaram muito aquém de suas capacidades.

Para a segunda parte a Alemanha voltou com uma novidade e com uma outra formação em campo. O ponta de lança Mario Gómez entrou no lugar do Draxler. A intenção do treinador era fazer com que a equipa tivesse mais poder de conclusão das jogadas. A substituição deu mais certo do que se imaginava.

Low chegou a levar as mãos à cabeça
Fonte: FIFA

Aos 47 minutos Mário Gomez fez uma bela jogada na linha de fundo e cruza para Reus que mandou a bola para o fundo das redes sueca. Alemanha 1 x 1 Suécia. O golo de empate reacendia as esperanças alemã.
A Alemanha sufocava a Suécia de maneira impressionante. Não saía do campo ofensivo e explorava muito o seu lado ofensivo direito com Kimmich e Müller, que trocou de posição em campo com Reus e na segunda parte jogou mais aberto na direita enquanto o Reus ficou mais centralizado.
A Suécia fazia uma partida correta no que propôs. Não mudou a sua postura em campo, defendia com afinco e sempre levava perigo nos contra-ataques.
Aos 66 minutos Mario Gómez recebeu um lindo passe de Rüdiger quase na pequena área e perdeu uma inacreditável chance de golo. Essa foi a melhor oportunidade de golo que os alemães tiveram na segunda parte. Para ganhar tempo o treinador sueco começou a promover as primeiras substituições no jogo. Mas sem mudar seu esquema tático.
Aos 81 minutos o drama alemão aumentava de vez. Boateng fez falta dura em Berg e recebeu o seu segundo cartão amarelo no jogo. A situação estava complicada, mas apenas a vitória interessava. Mesmo com um jogador a menos, Joachim Löw arriscou tudo. Sacou o lateral Hector para colocar o avançado Brandt no relvado. O treinador sabia que o empate praticamente eliminava a sua seleção da Copa do Mundo. A Alemanha tentava de tudo pata virar o jogo e parecia nem estar com um homem a menos.
Aos 91 minutos Brandt chutou da entrada da área e a bola explodiu na trave. O gritou de golo ficou preso na garganta dos adeptos alemães. Mas não por muito mais tempo.
Em uma cobrança de falta em dois tempos, Tony Kroos chuta com efeito para a baliza de Olsen e marca um verdadeiro golaço. Os adeptos alemães foram ao delírio nas arquibancadas e esse golo colocava a Alemanha de volta ao Mundial.
Depois do golo não teve mais tempo para nada. A vitória alemã se confirmou e a chance de qualificação às oitavas de final ficou nas mãos da seleção. Uma vitória contra a Coréia do Sul garantia a equipa na próxima fase. Já a Suécia precisará vencer o México para garantir sua passagem à segunda fase. Talvez esse tenha sido o melhor jogo da Copa do Mundo até o momento.
ONZES INICIAIS:
ALEMANHA: Neuer, Kimmich, Rudiger, Boateng, Hector (Brandt 86′); Kroos e Rudy (Gundogan 31′); Muller, Draxler (Gomez 45′), Reus; Werner.
SUÉCIA: 
Olsen, Lustig, Lindelof, Granqvist, Augustinsson; Claesson (Durmaz 73′), Larsson, Ekdal, Forsberg; Berg (Thielin 89′), Toivonen (Guidetti 77′).

Foto de capa: FIFA

Anúncio Publicitário