O passado dia 21 de setembro foi um dia importante para o futebol angolano: o 1.º de Agosto conseguiu assegurar presença nas meias-finais da Liga dos Campeões africana. Pela primeira vez na sua história, o clube militar conseguiu chegar a uma fase tão adiantada da prova de clubes mais importante do continente africano, o que é um feito importante para esta equipa, que tem vindo a assentar a sua posição como a “Melhor Equipa Angolana”, ao vencer as últimas três edições do Girabola.

A jogar a segunda mão no estádio do TP Mazembe da Rep. Democrática do Congo, os comandados de Zoran Maki estavam obrigados a marcar fora, depois de terem empatado a zero no seu terreno. E o jogo começou da pior forma para o campeão angolano, já que os congoleses se adiantaram no marcador logo nos primeiros 15 minutos, graças ao golo de Muleka, mas a reação militar surgiu por intermédio de Mongo, ao minuto 34, que num excelente remate, após um livre ensaiado, empatou a eliminatória. Mas a passagem do D’Agosto foi de proporções épicas graças a um nome: Tony Cabaça. O guardião angolano protagonizou uma assombrosa exibição, defendendo tudo o que havia para defender e, sobretudo, parou duas grandes penalidades, que lhe valeram não só o título de “Melhor em Campo”, mas também a possibilidade de figurar no Onze Ideal para a CAF, a organização que tutela o futebol em África.

Tony Cabaça foi a figura do jogo em Lubumbashi, ao defender duas grandes penalidades                    Fonte: 1.º de Agosto

A passagem à próxima fase além de merecida, pode ser justificada pelo excelente trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pela direção do 1.º de Agosto, que, ano após ano, tem conseguido formar uma equipa baseada em dois pilares (experiência com juventude), que além de ser a atual força dominante em Angola, começa a dar cartas fora de portas da banda, e a prova disso mesmo está no apuramento histórico para as meias-finais da Liga dos Campeões.

O próximo obstáculo no percurso do 1.º Agosto até à final é o Espérance de Tunis da Tunísia, que eliminou o Étoile Sahel também da Tunísia. É uma equipa que na atual edição da prova tem tido um percurso quase imaculado: em 12 jogos, perdeu só uma vez e sofreu apenas seis golos, o que demonstra que o Espérance tem uma boa organização defensiva, aliada à qualidade ofensiva evidenciada nos jogos com 18 golos marcados. O clube tunisino, ao contrário do D’Agosto, tem historial na Liga dos Campeões, uma vez que já venceu esta competição por duas vezes (1994 e 2011), o que prova que o próximo obstáculo do atual tricampeão angolano não será nada fácil.

Com a primeira mão a ser disputada no dia 2 de outubro, o certo é que o 1.º de Agosto terá de batalhar imenso caso queira atingir a presença na Final da Liga dos Campeões, o que acontecer seria ainda mais épico para o único representante angolano nas competições africanas. Será o D’Agosto capaz de ultrapassar o Espérance de Tunis? Como se costuma dizer, o sonho comanda a vida, e o certo é que os comandados de Zoran Maki puseram os seus fiéis adeptos a sonhar com a ida à Final…veremos até onde vai o conjunto militar na Liga dos Campeões!

Anúncio Publicitário

Foto de Capa: 1.º de Agosto

Artigo revisto por: Jorge Neves