internacional cabeçalho

Numa altura em que o Girabola entra na sua fase decisiva, é importante verificar a atual classificação, com vista a tentar encontrar quem é que poderá ser o campeão da 37.ª edição. À primeira vista, é possível observar que três equipas partem para as últimas seis jornadas com as ambições intactas na busca do seu principal objetivo da época – Ser Campeão, e são elas: o 1.º de Agosto, o 1º classificado com 51 pontos e o melhor ataque da prova até ao momento; o Recreativo do Libolo, o atual bicampeão em título e que se encontra no 2º lugar com 48 pontos; e, por último, o Petro de Luanda, que ocupa o 3º lugar e pretende alcançar o título que lhe foge desde 2009. O Kabuscorp, considerado um crónico candidato ao título, tem a tarefa mais complicada: está no 4º lugar com 40 pontos e, até ao término do campeonato, terá de vencer todos os jogos e esperar que os três primeiros classificados percam pontos. Neste texto, irei fazer uma análise aos quatro candidatos ao título, de modo a poder dar uma previsão do que se pode esperar até à 30.ª e última jornada.

Começando pelo campeão em título, o Recreativo do Libolo, orientado pelo português João Paulo Costa, procura alcançar um feito inédito em 74 anos de história: o Tricampeonato. Com um plantel com uma média de idades de 26,91 anos, o Rec.Libolo tem como principal arma o facto da maioria dos jogadores que compõem o plantel ter acima dos 26 anos, o que poderá ser uma vantagem nas últimas jornadas em que se dão as grandes decisões. Num plantel com jogadores experientes, muito deles com passagens pelo campeonato português, como por exemplo – Ricardo Batista, Wires, Erivaldo Ferreira, existe um jogador que se sobressaí dos restantes: Mamadou Diawara. O ponta de lança francês de 27 anos, que já representou o Belenenses, é o elemento em que a massa adepta liboliana deposita as suas esperanças na hora de marcar golos. Apesar dos números não serem muito simpáticos (3 golos em 11 jogos do campeonato), é de se prever que Diawara irá ter um papel fulcral no último terço do campeonato.

Gelson é o novo "menino de ouro" do futebol angolano Foto: redeangola
Gelson é o novo “menino de ouro” do futebol angolano
Foto: redeangola

O 1.º de Agosto, ou também conhecidos por “Os Militares”, ocupa neste momento o 1.º lugar do campeonato e, consequentemente, os seus adeptos esperam que a atual situação não se altere até novembro. Com o melhor ataque da prova (42 golos marcados), o 1.º de Agosto, clube treinado pelo bósnio Dragan Jovi, pretende conquistar o Girabola e dar fim a uma seca de títulos de 6 anos, que se iniciou após a conquista da Supertaça em 2010. O plantel possui uma média de idades de 25,96 anos, sendo que há um atleta que tem vindo a dar provas de ser o novo “Menino de Ouro” do futebol angolano: Gelson Dala. O jovem avançado demonstra ser o “abono de família” da equipa, uma vez que já leva 20 golos marcados na prova, o que representa 46% do total de golos marcados nas 24 jornadas completas. Muito do sucesso do 1.º de Agosto no que falta jogar no Girabola passará pelos pés de Gelson que, de certo, irá querer continuar a marcar imensos golos e arrecadar o prémio de melhor marcador do campeonato.

O Petro de Luanda, clube que possui o maior número de títulos conquistados (15 no total), parte para o último fase do campeonato com o objetivo de alcançar o título e reforçar o estatuto de equipa dominante do Girabola. Com uma equipa jovem (média de idades de 24,59 anos), a equipa tricolor, sob a orientação do hispano-brasileiro Beto Bianchi, tem no seu capitão Job a sua maior referência, que com as suas maravilhosas e espetaculares fintas é capaz de desbloquear jogos e levar o Petro às vitórias, embora saiba de antemão que terá sempre de esperar por resultados menos positivos, por parte dos seus adversários que ocupam os dois primeiros lugares da tabela classificativa, o 1º de Agosto e Recreativo do Libolo.

Numa situação mais complicada, encontra-se o Kabuscorp. O clube do bairro do Palanca encontra-se no 4.º lugar a 11 pontos do 1.º lugar e, para agravar a sua situação, recentemente, alterou o seu treinador (o angolano Romeu Filemon substituiu o seu compatriota Miller Gomes no comando técnico). Apesar dessas contrariedades, o novo técnico recusa desistir da luta pelo título e tem no coletivo, cuja média de idades ronda os 25 anos, a maior estrela da equipa, o que poderá jogar em benefício da mesma. Apesar de já contar com um campeonato conquistado no seu palmarés, o Kabuscorp é, das quatro equipas candidatas ao título, a que parte para as próximas jornadas com menores possibilidades de alcançar o tão ambicionado de título.

Em jeito de conclusão, as expectativas dos adeptos encontram-se no seu auge máximo, dado que 1.º de Agosto, Recreativo do Libolo, Petro de Luanda e Kabuscorp irão fazer tudo o que estiver aos seus alcances para atingir os três pontos, a medida que as jornadas se irão desenrolar. Quem agradece são os adeptos que poderão assistir a verdadeiros espetáculos de futebol aos fins-de-semana nos vários estádios espalhados pelo território angolano, e que se mantenha assim até ao mês de novembro. E é caso para dizer: “Que a bola comece a girar no Girabola”!

Comentários