Após algumas semanas sem a bola rolar nos relvados dos estádios de Angola, eis que o Girabola está de volta para o rejúbilo dos adeptos do “Desporto Rei”! Com início marcado para o dia 27 de outubro, a edição deste ano promete novamente ser repleta de ação e incerteza a cada jornada, e tem logo uma atenuante: será disputada entre dois anos civis (inicia-se no último trimestre de 2018 e terminará, ao que tudo indica, em maio de 2019), o que de certa forma permitirá aos treinadores das 16 equipas preparar com tempo cada compromisso para o campeonato. Em seguida, irei fazer uma previsão do que será a 41.ª edição do Girabola.

Começando pelo campeão em título, o 1.º de Agosto irá tentar atingir o tetracampeonato, que, caso consiga, será inédito na história do futebol angolano. A equipa de Zoran Maki não teve tanto tempo para preparar a nova época, uma vez que teve a disputar a Liga dos Campeões africana até a uma fase muito adiantada da prova e que terminou de forma inglória – perdeu por 4-2 com o Espérance de Tunis e falhou o acesso à final. Apesar do tempo reduzido de preparação, os “Militares” perfilam-se como os principais candidatos a conquistar o título, não só porque são os detentores do troféu há três anos consecutivos, mas também por terem conseguido manter o núcleo duro de atletas que conquistou o tri.

Quanto ao Petro de Luanda, o clube orientado por Beto Bianchi, que renovou o seu vínculo contratual até 2020, está empenhado em quebrar a hegemonia do seu grande rival da capital angolana. Para isso, o Petro foi buscar alguns reforços – oito no total, e com o destaque a ir para dupla ganesa Isaac Mensah e Inusah Musah, ambos provenientes do Hearts of Oak da Primeira Divisão do Gana. A equipa petrolífera parte para esta nova época com as aspirações renovadas de chegar ao título de campeão, que lhe foge desde 2009.

O D’Agosto quer repetir a festa de campeão das últimas três épocas, e conquistar o inédito tetra
Fonte: 1.º de Agosto

No que diz respeito aos outros dois candidatos ao título, Kabuscorp e Recreativo do Libolo, ambos as equipas irão contar com novos treinadores para esta edição do campeonato: Paulo Torres do lado do Kabuscorp e Sérgio Branco no Rec. Libolo. Os dois técnicos terão uma missão espinhosa pela sua frente, pois têm como principal objetivo levar o seu respetivo clube de novo à glória, o que não se adivinha desde logo uma tarefa fácil, tendo em especial atenção as duas últimas épocas, em que a discussão do título tem sido entre D’Agosto e Petro. As direções dos dois clubes também já assumiram que o objetivo passa por conquistar o título, e para o efeito reforçaram em força os plantéis, o que fará com que a luta pelo troféu de campeão seja intensa em todas as jornadas.

Por último, é de salientar os regressos do Santa Rita de Cássia e ASA e a presença do Saurimo FC que irão participar no principal campeonato de Angola, após terem garantido a subida de divisão. Os recém-promovidos estão motivados para jogar no Girabola, embora saibam que terão de lutar imenso para se manterem entre a elite do futebol angolano.

Parece estar tudo a postos para o início da nova edição do Girabola, bastando apenas aos árbitros darem o apito para se começar a jogar um campeonato que irá ser bastante incerto até ao seu término como têm sido em anos anteriores. Que se retome então a festa do futebol angolano!

 

Foto de Capa: Girabola ZAP

Artigo revisto por: Jorge Neves

 

Comentários