Cabeçalho Futebol Internacional

 

Agora que a 1.ª volta do Girabola’17 já se jogou, é a altura de se fazer um breve balanço aos principais acontecimentos ocorridos nas 15 jornadas do campeonato angolano. À primeira vista, é possível observar que a edição deste ano tem-se primado pelo equilíbrio, não só jogos, mas também na classificação, visto que entre os primeiros lugares da tabela classificativa não existe grandes diferenças pontuais.

Apesar desse aspeto positivo e fulcral para o contínuo crescimento da competitividade do Girabola, o certo é que a “Lei do mais forte” (ou melhor, a ”Lei dos mais fortes”) continua a imperar: os quatro favoritos à conquista do título de campeão (Kabuscorp, Petro de Luanda, 1.º de Agosto e Recreativo do Libolo) ocupam os lugares cimeiros da classificação, o que demonstra perfeitamente que a tendência destes clubes estarem sempre no topo da liga irá perdurar por muito tempo. O Petro de Luanda terminou em 1.º com 34 pontos amealhados no final da quinze jornadas, mas apenas com 1 e 2 pontos de vantagem para 1.º de Agosto e Kabuscorp, 2.º e 3.º classificados respetivamente. O outro candidato, o Libolo, termina esta primeira metade do Girabola no 6.º lugar, mas ainda com margem para recuperar a distância, visto que tem dois jogos em atraso.

Kabuscorp levou de vencido o 1º de Agosto (2-0) Fonte: Girabola
Kabuscorp levou de vencido o 1º de Agosto (2-0)
Fonte: Girabola

Um outro ponto importante de salientar é também as duas equipas que fizeram uma 1.ª volta acima das expetativas do público angolano: o Sagrada Esperança e o Progresso do Sambizanga. Habituadas a lutar por um lugar a meio da tabela, as duas equipas surpreenderam ao longo das quinze jornadas, e, inclusive, terminaram à frente do antigo campeão Libolo. É certo que, quando se aproximar a fase de todas as decisões, não se espera que ambos se mantenham nos atuais lugares da classificação, mas os dirigentes e adeptos do Progresso e do Sagrada deverão ficar bastante orgulhosos com a performance dos seus clubes, independentemente do que venha a acontecer na 2.ª volta.

Anúncio Publicitário

No que diz respeito à última parte da tabela, o equilíbrio mantém-se como nota dominante, já que os clubes estão separados por poucos pontos, o que poderá evidenciar que a luta pela permanência será entretida. O ASA e o Santa Rita de Cássia ocupam os lugares de despromoção. A equipa do Santa Rita, que está a fazer a sua primeira época na principal divisão do futebol angolano, encontra-se no 16.º lugar com apenas 7 pontos conquistados no 15 jogos disputados, fruto de uma vitória, quatro empates e dez derrotas. A equipa do Uíge, apesar da situação delicada que viveu na 1.ª volta (mudança de treinador), ainda vai tempo de retificar o seu trajeto até ao momento, visto que está somente a 5 pontos do Progresso da Lunda Sul, o primeiro emblema acima da linha de água.

Em jeito de conclusão desta análise, o Girabola’17 tem sido uma edição repleta de muita incerteza e jogos emocionantes, o que é bastante benéfico para a evolução do futebol angolano, que, caso o campeonato se mantenha competitivo até ao seu final, irá com certeza atingir um patamar de excelência. Cá estaremos à espera que se inicie a 2.ª volta!

    Foto de Capa: Girabola