logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

SE Palmeiras

SC Corinthians 0-1 SE Palmeiras: “Fogo amigo” amplia vantagem do líder

A CRÓNICA: LÍDER E QUASE IMBATIVEL, SE PALMEIRAS DOMINA O FUTEBOL BRASILEIRO

Os primeiros momentos de jogo evidenciaram uma alternância na posse da bola. Porém, quando o SC Corinthians teceu o domínio do jogo sobre o SE Palmeiras, construiu duas jogadas pelo lado direito. Durante a ligeira vantagem puxada em favor ao timão, Renato Augusto foi um dos poucos oásis no deserto de criatividade neste derby escasso de oportunidades de golo.

Por outro lado, depois do rápido domínio corinthiano, o meio de campo do Palmeiras acertou a marcação e impediu qualquer avanço da equipa da casa. Assim, sem grandes oportunidades, a primeira parte do jogo trouxe muita transpiração e pouca inspiração na Neo Química Arena.

A insólita primeira parte foi rapidamente esquecida, isto porque a partir do intervalo as equipas vieram com maior ímpeto e aceleração de jogo para tirar o zero do placar. Os espaços foram criados ao mesmo tempo que o vigor físico diminuiu.

Assim, a evidente qualidade técnica do plantel palmeirense foi temporariamente anulada pela imposição física e apetite pela vitória impulsionado pelo estádio lotado de adeptos alvinegros. Entretanto, o simples e o menor espaço para uma equipa bem treinada podem e foi fatal para o timão. Desta forma, depois de uma bola perdida no meio de campo, o Palmeiras fez uma troca de passe em aceleração pelo lado direito, onde Piquerez cruzou para o meio da área e lá o próprio defesa do Corinthians empurrou a bola para o fundo das redes.

Este golpe no ímpeto do Corinthians foi a gota de água no ritmo de alta intensidade na marcação. O nervosismo tomou conta dos adeptos e dos jogadores e o Palmeiras saboreou os minutos passarem para aumentar a distância em relação ao segundo colocado do Brasileirão e arquirrival.

 

A FIGURA

Joaquín Piquerez – O assistente do autogolo que também foi o grande responsável pelas poucas subidas no ataque do Palmeiras. Com a entrada de Mayke era previsto que o escape das laterais alviverdes ficaria pelos pés de Piquerez e nisto ele foi comprometido. Com poucas, porém eficazes jogadas, o lateral uruguaio leu com perfeição o movimento tático e determinou um grande jogo tanto na defesa quanto no ataque.

 

O FORA DE JOGO

Yuri Alberto – A grande transferência de meio de época do Corinthians parece que ainda não desembarcou em São Paulo. No seu oitavo jogo com a camisola alvinegra, Yuri Alberto não cumpriu o seu principal ofício, marcar golos. Frente ao Palmeiras foi engolido pela melhor defesa do campeonato e nada pôde fazer para transferir as jogadas de ataque do timão.

 

ANÁLISE TÁTICA – SC CORINTHIANS

Ainda com um plantel muito debilitado com saídas e jogadores lesionados, Vitor Pereira apostou na formatação de 4-3-3 com variação para um 4-1-4-1. De modo idêntico ao Palmeiras, quando sem a bola, o Corinthians se transforma no 4-1-4-1 com Du Queiroz como primeiro homem à frente dos defensores. Porém, quando recupera a bola, rapidamente Renato Augusto avança mais a frente para construir a jogada em conjunto com os extremas e o ponta de lança, transformando-se assim num 433. Deixando Fausto Vera e Du Queiroz numa linha mais defensiva.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Cássio (5)

Rafael Ramos (6)

Bruno Méndez (6)

Balbuena (6)

Piton (6)

Vera (5)

Queiroz (7)

Renato Augusto (8)

Gustavo Mosquito (6)

Yuri Alberto (4)

Roger Guedes (4)

SUBS UTILIZADOS

Fagner (4)

Adson (-)

Roni (4)

  

ANÁLISE TÁTICA – SE PALMEIRAS

Após a heroica e desgastante classificação na Libertadores, o Verdão começou o derby com apenas duas ausências do seu temido esquadrão. E as duas ausências ficaram apenas pelo setor direito de campo. No lugar de Marcos Rocha, Mayke entra com uma postura mais defensiva para segurar a principal saída de ataque da equipa rival, além de possibilitar o apoio avançado do lateral Piquerez pelo lado esquerdo. Mais a frente, pelo lado direito, a ausência de Gustavo Scarpa fez com que Rony se deslocasse para a extrema-direita e trouxe a entrada de López para ser um ponta de lança de ofício. No mais, o Palmeiras manteve a sua costumeira formatação de 4-3-3 com mobilidade entre os extremas com Raphael Veiga que se transformou num 4-1-4-1 sem a bola. No segundo tempo, Abel chamou Gabriel Menino para o Lugar de Veiga, que deu uma maior amplitude para quebrar as linhas no setor de meio de campo, enquanto Wesley renovou o fôlego do ataque do lado esquerdo.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Weverton (6)

Mayke (6)

Gustavo Gómez (7)

Murilo (7)

Piquerez (8)

Danilo (6)

Zé Rafael (5)

Raphael Veiga (4)

Dudu (5)

Roni (6)

López (6)

SUBS UTILIZADOS

Wesley (5)

Gabriel Menino (7)

Navarro (5)

Bruno Tabata (6)

Adepto incondicional de futebol, Kayalu apaixonou-se pelo desporto no momento em que sentiu pela primeira vez a vibração e paixão das claques. É este sentimento que ele projeta passar ao informar e apresentar tudo que o desporto mais popular do mundo traz. Além disso, os motores da Fórmula 1 e a competitividade do vólei enchem o resto da paixão deste brasileiro.

Adepto incondicional de futebol, Kayalu apaixonou-se pelo desporto no momento em que sentiu pela primeira vez a vibração e paixão das claques. É este sentimento que ele projeta passar ao informar e apresentar tudo que o desporto mais popular do mundo traz. Além disso, os motores da Fórmula 1 e a competitividade do vólei enchem o resto da paixão deste brasileiro.

FC PORTO vs CD TONDELA