Expulsão ditou afastamento blaugrana: Barcelona 1-4 PSG

    Foi mais um grande jogo de Champions entre Barcelona e PSG, aquele que se viveu no Estádio Olímpico Lluís Companys, na segunda mão dos quartos-de-final da prova milionária. O Paris Saint-Germain eliminou o Barcelona e está entre as quatro melhores equipas da Europa. Os catalães entraram em campo com um golo de vantagem na eliminatória, fruto do 2-3 da primeira mão, e talvez por isso tenham dado a iniciativa de jogo aos parisienses, que dominaram os primeiros minutos da partida, mas sem nunca criar perigo junto da baliza de Donnarumma. Eles que ataquem, que nós marcamos. Foi o que devem ter pensado os jogadores do Barcelona, que chegou à vantagem no marcador por intermédio de Raphinha, num golo com ligeiro toque de cinismo que poderia destabilizar o adversário.

    O tento do extremo brasileiro parece mesmo ter feito acordar a formação blaugrana, e Robert Lewandowski podia sentenciar praticamente a eliminatória, mas o internacional polaco não quis que a sua equipa ficasse mais perto de Wembley, palco da final deste ano da Liga dos Campeões. Só que à passagem da meia hora do encontro surgiu o lance que teve influência no desfecho da eliminatória. Ronald Araújo foi expulso e deixou o Barcelona a jogar com menos um elemento. O conjunto orientado por Luis Enrique estava em superioridade numérica e até ao intervalo foi dono e senhor do jogo, e não foi por acaso que chegou ao empate, de novo com a lei do ex a funcionar. Ousmane Dembélé voltou a marcar contra a sua antiga equipa e fez renascer a esperança de uma remontada.

    O segundo tempo trouxe um PSG em cima do Barcelona, e a acreditar que era possível dar a volta à eliminatória. E foi em bom português que se começou a desenhar a façanha parisiense, quando Vitinha, do meio da rua, disparou forte e colocado, não dando hipótese a Ter Stegen. O Barcelona estava completamente desorientado e mais ficou com a expulsão do seu treinador, Xavi Hernández. Os nervos apoderaram-se da equipa catalã, e talvez por isso, a grande penalidade cometida por João Cancelo é o reflexo disso mesmo, de uma equipa desorientada em campo e incapaz de contrariar a avalanche ofensiva francesa, sabendo que estava nessa situação por culpa própria, fruto de estar reduzida a 10 desde muito cedo.

    Kylian Mbappé converteu o castigo máximo e colocou os adeptos do Barcelona em desespero, sabendo que faltavam ainda mais 30 minutos para se jogar. O que se verificou a seguir foi um Barcelona num ataque desenfreado, com os parisienses também eles a responder, tornando os minutos finais com muita emoção, onde qualquer uma das equipas podia faturar. Mas o dia era mesmo dos franceses e Mbappé deu a estocada final no último minuto, resolvendo de vez a eliminatória, deitando por terra a esperança catalã em alcançar as meias-finais da Liga dos Campeões. O PSG vai defrontar agora o Borussia Dortmund, e é um forte candidato a estar presente na final, que se vai disputar no dia 1 de junho.

    - Advertisement -

    Subscreve!

    Artigos Populares

    As 2 razões da insatisfação de Samuel Portugal no FC Porto

    Samuel Portugal não está satisfeito com o papel que...

    Besiktas garante contratação de Gabriel Paulista a custo zero

    O Besiktas garantiu a chegada do defesa central Gabriel...

    João Mendes regressa ao Vitória SC depois de deixar o FC Porto

    João Mendes é reforço do Vitória SC. O lateral...
    Rui Alves Maria
    Rui Alves Mariahttp://www.bolanarede.pt
    O Rui é natural de Tavira. Desde 2003 que a sua residência é em Odivelas e com essa deslocação teve a oportunidade de frequentar e concluir um Curso Profissional de Técnicas Jornalísticas. O jornalismo foi sempre a sua paixão desde muito cedo e o seu gosto pela escrita foi acompanhando essa mesma paixão. No entanto, é no jornalismo desportivo que se sente mais à vontade para desenvolver todas as suas capacidades.